Por onde se começa a restaurar uma mota?
#1

Evaginemos que temos diante de nós um pedaço de história, num estado assucatado, cujo objectivo será restaurar para ele nos dê uma nova oportunidade.

Por onde se começa!?
O que é preciso ter em conta?
O que pode ser aproveitado e o que não?
Quais os principais cuidados a ter?

I just don't run with the crowd!

www.loneriderendlessroad.com
Responder
#2

Mag, pá..... anda cá!

Estão-te a chamar!!!
Responder
#3

Por onde se começa!?:
- Começar pelo PPR ( plano poupança restauro ).

O que é preciso ter em conta?
- Que esse PPR tem de estar ao niv€l da qualidade que se vai exigir ao resultado final.

O que pode ser aproveitado e o que não?
- normalmente não sobra muito para se aproveitar do PPR reunido, o mais usual é haver reforços ao PPR existente.

Quais os principais cuidados a ter?
- Não desmontar aquilo que não se tem o PPR para refazer

devil
Responder
#4

Acompanhei o meu pai no restauro da mota dele,Norton es2 500cc de 1952!
Mal tratada,desconfigurada e muitos " e se isto não dá"!

Desmontou tudo até ficar em peças,ver o estado do quadro e mandar o motor para arranjar o que for preciso!pistão novo limpar carburador,carretos da caixa etc!

Tirando o motor com ele que fez tudo,eu ajudei em algumas coisas como desmontar/montar e pesquisa de peças/fotos online!
Dá um trabalho do carilho e muito tempo " desperdiçado",muitos euros a voar...mas cada vez que ele arregaça as mangas para a por a trabalhar vê se na cara dele que valeu a pena!
Responder
#5

Entendo...
Nada do que não soubesse (imaginasse).
Para já tenho uma dificuldade acrescida, não tenho muitos contactos por aqui no que se refer a lacagens e demais tratamentos ao material.
Mas eu descubro.

O objectivo é que pareça NOVO.

Não tenho tempo limite, nem orçamento....

Que seja o que o Génio da Lâmpada quiser!

I just don't run with the crowd!

www.loneriderendlessroad.com
Responder
#6

Agora mais a sério, tendo em conta que já fazes manutenção nas tuas meninas é mais um trabalho de investigação de material e logística e acção pois conforme a idade e disponibilidade de peças para o veiculo a reparar é preciso ter em atenção na desmontagem no que se deve "lavar a cara" e não substituir.

É que o nível: como NOVO a 100% nem sempre é possível e é preciso antecipar isso no plano de acção para não correr o risco de desmontar uma peça para restaurar que nem estava má de todo e agora para arranjares usado só arranjas cara e pior do que já tinhas.

Por isso o desmontar tudo para mim é na fase em que já a desmontaste e montaste na tua cabeça de ponta a ponta para antecipar tudo isso. Senão fazes a parte simples que é espalhar tudo e depois passa demasiado tempo até tornares a montar.

Muitas fotos e pequeno resumo da ordem de anilhas, espaçadores, vedantes de cada peça ajuda bastante. Ver por exemplo ao desmontar o motor, já saber se há jogo de juntas de substituição ou se tens de ter em atenção o desenho das antigas para fazer um jogo usando papel de juntas. Tudo o que é borrachas e pastilhas de travão e discos de embraiagem deve ter de ser novo logo perceber o que há de kits de reparação na travagem, embraiagem, travagem, carburadores. Que casquilhos, rolamentos, raios e aros de rodas existem etc Qual o estado da ferrugem no deposito, pode ser limpo e revestido para novo uso ou terás de arranjar substituto? etc etc

Aconselho veres o que há por ai de encontros de clássicas e fazer uns "amigos" novos que de certeza partilham a rede de especialistas nessas áreas de lacagem, torneiros, pintores etc

Boa sorte desde já pois não é nada fácil o jogo da caça de material, insistência com o especialista demorado sem te saltar a tampa, não poder montar o que já tens pois ainda falta qqer coisa antes disso lol
Responder
#7

Tenho alguns factores a meu favor.
Não se trata de um veículo muito antigo.
É uma Honda e ainda tem muita coisa em catálogo, além disso tenho o workshop Manuel que me diz, peça a peça, como devo montar o animal.
O motor deve ter uns 120000km, o que para uma 250 4T é uma cifra considerável, mas acredito que com umas velas novas uma boa limpeza ao carburador e alguma persistência que a conseguia pôr a trabalhar.
Mas também me lembro que comia mais óleo que gasolina, o que faz pensar que não deve ter segmentos e que as guias da válvulas devem ter entregado a alma ao criador....
O motor vai ser o mais caro, a par com os cromados (próprios de uma pequena naked dos anos 90).
Os contactos já estão a ser procurados, mas é, para mim, o mais difícil pelas questões óbvias de ser emigrante, não ter referências, ainda ter alguma dificuldade no vocabulário técnico, etc, etc!

I just don't run with the crowd!

www.loneriderendlessroad.com
Responder
#8

(07-09-2017 às 14:50)LoneRider Escreveu:  que para uma 250 4T (...)
próprios de uma pequena naked dos anos 90

Uma Two Fifty? smile
Responder
#9

(07-09-2017 às 15:29)carlos-kb Escreveu:  
(07-09-2017 às 14:50)LoneRider Escreveu:  que para uma 250 4T (...)
próprios de uma pequena naked dos anos 90

Uma Two Fifty?  smile

Yep shy

Em breve começam as hostilidades.
Ainda tenho que ver até que ponto os ratos andaram a jogar com o sistema eléctrico. O_O what

I just don't run with the crowd!

www.loneriderendlessroad.com
Responder
#10

Tenrinho, isso é mota de velhos para sair ao fim de semana! Se ainda fosse uma Nsr 250. Isso é que era!  tong
Responder




Utilizadores a ver este tópico: 1 Visitante(s)