Os nossos Pópós.
#21

Dfelix, percebeste que o carro continua de boa saúde certo? Quem entregou a alma ao criador acabou por ser mesmo o vizinho...
Responder
#22

No meu caso passou-me um Fiat Uno 45S de 1991 pelas mãos(primeiro carro) e que saiu das minhas mãos em melhor estado do que chegou.
Depois veio um Hyundai Getz 1.1. Dentro do que havia na altura dentro do segmento e do que o meu dinheiro podia comprar, foi a melhor opção. Até ao momento em que decidi troca-lo porque a vida mudou e precisei de comprar um diesel, nessa altura arrependi-me porque tinha comprado novo e ao fim de ano e meio, quando tentei fazer retoma, davam-me menos 40% a menos!!! Foi o dia em que decidi que não voltava a comprar carro novo!
Lá ficou o meu pai com ele e assim ficou com carro novo e despachei o dele, um Punto. De seguida veio um Astra H 1.3Cdti, que foi despachado ao fim de 155000kms e 6 anos, quando estava a pedir uma despesa considerável para breve.
Em 2011 veio o que anda por cá agora, um Megane 1.5Dci 2007

O Primeiro(Fiat Uno) antes de ir embora.

[Imagem: ftOWpev.jpg]

O actual(Megane), que já sofreu muitas alterações, principalmente a nivel de interiores.
[Imagem: LOmJVpJ.jpg]
Responder
#23

Alguns dos meus, popós e motas... já foram bem mais, alguns serviram para pagar a R1

[Imagem: DWam6sR.jpg]:cool:

lol  lol
Responder
#24

(12-12-2014 às 00:11)luisnogueira Escreveu:  No meu caso passou-me um Fiat Uno 45S de 1991 pelas mãos(primeiro carro)

O meu primeiro carro também foi um Fiat Uno Evo.... mas neste caso, o 1.0 i.e.S.

A cada 1500Kms, mamava-me meio litro de óleo lol
Deixou-me empanado na AE por duas vezes (1ª. foi a bomba de gasolina que pifou.... na 2ª. foi o distribuidor). Jurei que não me deixava apeado uma terceira vez! Vendi-o na primeira proposta que apareceu.

[Imagem: zX4Kq81.png]

Responder
#25

Pois, o meu era o 45S era o Uno Evolution, já com vidros electricos, fecho centralizado...um luxo!!! lol lol lol
Veio das mãos do meu irmão completamente assassinado. Tinha só queimado a junta da cabeça 3 vezes antes de me vir parar às mãos, basicamente com ele era colocar gasolina e andar, e quando se lembrava lá mudava óleo!
Fiquei-lhe com o carro na altura com 10anos por 600Eur, vendi-o 3 anos depois por 800Eur lol lol
E tive pena de o despachar. Vendi-o com uma recomendação ao comprador... andar com garrafa de 1.5l na bagageira para ir atestando a refrigeração, gastava mais ou menos 1.5l de água por semana por causa de uma fuga numa rela que ficava na parte de trás do motor e que era preciso tirar motor fora para substituir. ficava mais barato 1,5l de água por semana.
Responder
#26

lol

O meu Uno Evo i.e.S já trazia injecção (era de 1993)... A par de fecho central, direcção assitida, vidro eléctricos e farois de nevoeiro. Este era o modelo de "luxo" dos Uno, a par do 60SX (com a diferença que este ainda era carburado).

E curioso.... quando o comprei (em 1998), uma das coisas que verifiquei, foi o facto de ao final de uma semana não ter água quase nenhuma no radiador. Levei-o de imediato a um station-marché (mais rápido e próximo), e o mecânico disse-me logo, após ver o carro, que tinha a junta da cabeça queimada. Paguei a garrafa de coolant que me meteu e fui de imediato ter com quem me o tinha vendido, um vizinho meu, conhecido por ser um grande trafulha, que claro, negou logo e disse que o carro estava impecável quando me o vendeu dead . Armei algazarra, e depois de convencido, concordámos assim em que eu pagava a junta (cerca de uns 3 contos e meio, ainda na época dos escudos), e ele pagaria a mão de obra. A reparação ainda ficou em cerca de 20 contos (100 euros, portanto) no total.

Durante uns 3 anitos não me deu mais chatice nenhuma, até ás que referi acima. Despachei-o em 2001.

[Imagem: zX4Kq81.png]

Responder
#27

Meus mesmo, já tive um Yaris 1.0 e andei muito com um Corsa B 1.2. Depois passei para a melhor marca de carros do mundo - carro de empresa: primeiro, um Ibiza de aluguer e depois, um Corsa D 1.3cdti branco. Atualmente, tenho um Toyota Prius e um 206 1.1.
Se tivesse dinheiro, concretizava o sonho de criança de ter um Lancia Delta HF Integrale. :grin:
O melhor que já guiei, foram duas voltas ao Estoril num Ferrari F430, rematadas com uma volta num 911 GT3. Ainda hoje me babo a pensar nessas voltinhas. cool
Responder
#28

Aos 18 anos tive a sorte de ter um Ford Escort 1.3L de 1982, modelo dos quais aqueles quadradões que andavam nos ralis da altura. Durou 4 meses!
Seguiu-se um Fiat 127 dos mais antigos, boa máquina mas como jovem "irrequieto" decidi por-lhe o motor do panda 1000, depois durou mais 3 meses!
Cresci, e já com 21 ou 22 anos comprei o meu primeiro carro a sério, um belo Renault Clio Bebop. Muitos kilometros e boas recordações.
No ano 2000, após perseguir um sonho antigo lá comprei o meu primeiro carro novo, 0 kilometros. Fiat Punto HLX 16V, boa máquina a acelerar mas uma junta de cabeça queimada aos 80000km e após inumeros problemas apartir dos 100000 kilometros ditou a sua despedida com a ajuda também do meu rebento e até a atualidade lá tenho uma carrinha do povo (VW) Golf de 2003 que faz o seu trabalho exemplar e já lá vão 175000km.

Andar de moto... sentir o vento na venta! cool
Suzuki TU 250 - Honda CBF 500.
Responder
#29

(10-12-2014 às 10:50)dfelix Escreveu:  Ter um carro antigo é mais uma questão de paixão.
Porque em termos de despesa, as coisas não são assim tão simples.

Concordo contigo nalguns casos, mas no dos W123 particularmente, são hinos à durabilidade e à resistência.
O material para o meu mercedes é ao preço da chuva e até agora tenho um carro com 490.000Kms que apenas me gastou um radiador alguns fusíveis e lâmpadas.
Todo o resto que gastei nele foi cosmética e ainda tenho muito carro para andar.
Eu nunca gostei particularmente de Mercedes, aliás, deixei de gostar deles com o W115, o famoso /8 (barra 8), o que veio a seguir sempre achei simplesmente horroroso, o meu inclusive, acho-o lindo de tão feio que é, agora uma coisa digo, o sacana do carro na altura valeu cada centavo que custou, porque ainda hoje é um excelente carro com um comportamento e um conforto acima da média, com muita pena apenas de não ter prestações equivalentes a um 2.0 recente...
Responder
#30

atão e os carros anteriores e as idas ao centro de lisboa?
inventarem aquela lei anticonstitucional, que anteriores a 2000 nao devem circular

que tem estado a ver com os carros que as pessoas têm
Responder




Utilizadores a ver este tópico: 2 Visitante(s)