O que gostas menos na tua mota?
#1

[Imagem: Mota+2cv_2.JPG]

Qual o maior defeito na tua mota? O que gostas menos? O que de vez em quando te dá vontade de a trocar pela viatura da imagem acima?


Responder
#2

(13-08-2018 às 15:43)vindaloo Escreveu:  Qual o maior defeito na tua mota?

As centralinas são consideradas material de desgaste rápido. Tirando isso, tudo OK.

(13-08-2018 às 15:43)vindaloo Escreveu:  O que gostas menos?

Por vezes anda um burro montado nela que mais valia andar de bicicleta...

(13-08-2018 às 15:43)vindaloo Escreveu:  O que de vez em quando te dá vontade de a trocar pela viatura da imagem acima?

Astigmatismo ou miopia.
Responder
#3

(13-08-2018 às 15:43)vindaloo Escreveu:  Qual o maior defeito na tua mota?

Mito: Um pistão novo a cada 10k... se não gripar antes.
R1200S: Só funciona bem com 98.
Scrambler: Caixa de velocidades com a suavidade de uma alfaia agrícola.

(13-08-2018 às 15:43)vindaloo Escreveu:  O que gostas menos?

Mito: O tempo que passa com o motor aberto.
R1200S: O telelever. Tanta gente fala bem, mas é uma valente bosta.
Scrambler: Os ponto morto que ocasionalmente descubro entre qualquer uma das velocidades engrenadas. Excepto aquele entre 1ª e 2ª que ocasionalmente desaparece.

(13-08-2018 às 15:43)vindaloo Escreveu:  O que de vez em quando te dá vontade de a trocar pela viatura da imagem acima?

Não vale a pena trocar por algo tão parecido!
Responder
#4

(13-08-2018 às 15:43)vindaloo Escreveu:  Qual o maior defeito na tua mota? O que gostas menos?

Como principais pontos negativos:
- Inaptidão para andar em ambientes urbanos, de trânsito congestionado ou velocidades baixas, que se reflectem  em aquecimento excessivo e emanado para o condutor, esticões / estalos da transmissão, maneabilidade e manobralidade (tudo questões facilmente adivinháveis mesmo antes de a comprar).
- Caixa dura e ruidosa
- Depósito com pouca autonomia
- Comportamento um pouco "intrusivo" do C-ABS especialmente em travagens mais empenhadas.
- Falta de um sistema de controlo de tracção (integrado na versão pós 2012), que facilmente nos faz sacudir a traseira à saída de curva, em acelerações mais emotivas.
- Complexidade do sistema de fixação das carenagens.
- Pintura facilmente riscável (por não ter acabamento envernizado)

Curiosamente, uma das coisas que apontam como um dos seus maiores defeitos, que é o seu peso elevado, é das coisas que menos dou conta dele.

(13-08-2018 às 15:43)vindaloo Escreveu:  O que de vez em quando te dá vontade de a trocar pela viatura da imagem acima?

Tudo é negociável. Apresentem-me a dita viatura à troca, acrescida de uma proposta com números interessantes... e logo vemos! bigsmile

[Imagem: zX4Kq81.png]

Responder
#5

Z750 - 2007

O ponto mais fraco praticamente desde nova, para mim sempre foram os travões.

Sempre senti falta de potencia e doseabilidade e nunca entendi bem porque. Vou-vos contar a 'epopeia' da minha guerra com este assunto.

A mota vem equipada com 2 discos de 300mm, pincas de 2 pistoes na frente e bomba da nissin. E o convencional disco 250mm traseiro de pinça simples.

Nao que para os parâmetros de hoje em dia seja um bom setup, mas face a concorrência da epoca teoricamente ate seria um pouco superior, algo que na pratica nunca achei que acontecesse, sempre que fazia um swing com alguem com uma mota idêntica.

Sem resultados com as pastilhas OEM, passei para a EBC e o resultado foi desastroso. Alem de me terem comido imenso disco e deixado pior que roxo, tinham um comportamento super instável apos 2 ou 3 apertos.

Convencido que o problema ainda podiam ser as pastilhas passei para a SBS (gama LS) e o comportamento a frio piorou um nadinha, mas quando eram precisas a mota ja abrandava mais. Um comportamento mais estável naqueles apertos de a curva se aproximar demasiado desproporcionada a velocidade...

Continuava a achar que apesar de tudo, a mota ainda nao era doseavel e cada jogo de pastilhas acabava com desgaste disforme (sempre o barulho de ir a rocar no disco) e resolvi percorrer o caminho das pedras:

Malha de aco, discos novos e bombas novas. Tudo de origem. Uma intervencao que nao ficou tao barata assim, e que ainda assim... nao fez milagres! Melhorou imenso atrás, mas a frente nunca ficou dócil.

Ja mais recentemente, dei a guerra como perdida e com relativamente poucos km, um dos pistons na frente... cansou-se. Novamente o roca roca e de pastilhas limpas. Agravando-se a partir de meia duzia de km rolados, com o aquecimento do sistema.

Sempre a trocar o óleo muito frequentemente.

Mais recentemente e a meio de uma viagem, partiu o apoio da pinça. Meio perigoso ate. Felizmente reparei numa fissura durante a hora de almoço com ela parada.

Mas chegar a casa sem travões nao foi inedito ao longo da vida da mota e da minha convivência com ela.

Na 2a edicao da RIM e saindo de casa com um jogo pastilhas a frente com aprox. 5000km e menos que isso atrás, tambem derreti para la de la dos avisadores os travoes na frente e cheguei a casa mais uma vez a 'por o pe no chao'.

Em muitos km (bues mm) nunca me deu dissabores nenhuns para alem desta merda. Nem motor, nem parafusos desapertados, nem faiscas com componentes electricos... nada.


Responder
#6

(13-08-2018 às 17:00)dfelix Escreveu:  Não vale a pena trocar por algo tão parecido!


(13-08-2018 às 17:33)carlos-kb Escreveu:  Tudo é negociável. Apresentem-me a dita viatura à troca, acrescida de uma proposta com números interessantes... e logo vemos! bigsmile

Pah.. eu detesto evidenciar-vos o obvio, mas estou-vos a ver super entusiasmados e fico ligeiramente preocupado...

... e que se repararem a foto acima e apenas uma versao com motor a combustao de uma coisa destas:

[Imagem: maxresdefault.jpg]

Mas quem sou eu para julgar? Olhem... sejam felizes!


Responder
#7

O que gosto menos...

GSXR1100WP

Muita coisa... É pesada, difícil de curvar, vou muito dobrado, e com as pernas muito encolhidas, gasta muito, deita muito calor, preferia que fosse zarolha como a srad que tive, a suspensão é rija nas horas...

GSF400P

É muito pequena para mim, carburação demasiado caprichosa, suspensão muito branda e travões péssimos...

O que me faz não as trocar.

GSXR1100WP

Não sei... Adoro aquele motor com caixa de 5... De resto... Um misto de sensações... A verdade é que cada vez que olho para ela acho-a linda.

GSF400P

É uma moto muito engraçada de conduzir e que curiosamente se mexe muito bem e adora estradas cheias de curvas... E um gajo a conduzir aquilo até imagina que está fazer uma corrida de moto GP... A 80km/h...

[Imagem: SM4eYt9.png]
Responder
#8

(13-08-2018 às 15:43)vindaloo Escreveu:  1.
Qual o maior defeito na tua mota?
2.
O que gostas menos?

O que de vez em quando te dá vontade de a trocar pela viatura da imagem acima?

1-
Sv- Aquela suspensão arcaica. 
A qualquer momento, se penso na coisa, parece que vou cair a qualquer curva que faça. Se por acaso sair inspirado de casa e completamente a borrifar-me para isso, a coisa até corre bem.
Travões: são manifestamente maus. O morder é anedótico...e juntando a suspensão apenas um cheirinho de travão e a nota parece um barco a afundar ..

Tracer- guiador: além de ser muito largo, que a partir de 200/250km começa a ser incómodo a partir dos 140 a vibração do guiador às mãos...tanto que num dia de viagem chego a ficar com a mão direita dormente.

2-
Sv: o v2 tem algumas virtudes mas também tem coisas que gosto menos. 
Se gosto da resposta contundente em baixas/médias não gosto do que vem depois, a folga de motor necessária para rolar tranquilamente a partir dos 130/140...não tem. O motor já vai um pouco lá em cima e vai num rolar que, não sendo esforçado, a relação curta de caixa também não ajuda...

Tracer: suspensão de origem. Rola-se, mas aquele motor merecia uma suspensão tão boa ou melhor a acompanhar o mesmo. 
Vidro de origem: é ridículo. Mais valia não ter, uma cueca que manda um vento turbolento que parece que vamos com os 4 vidros do carro abertos a 200...




Coisas que mais gosto
SV: É uma óptima commuter no dia a dia, super simples. Apenas meter gasolina e andar. Não tem botoezinhos, nem extras nem é pretensiosa. É exactamente aquilo que é .Uma nakeds do mais básica que existe (nem tem ponteiro do combustivel  blink )
 Aprecio o facto de ser uma mota rara em Portugal (ainda não vi nenhuma igual desde que ando de mota)  proud

Tracer: É a mota na qual fiz grandes estradas, fiz amizades. Aquela mota em que a mulher pergunta.me quando vamos andar e aquela tirando os defeitos, tem a virtude de ser aquela que mais completa o que para mim é viajar e andar de mota. 
Gosto muito do som do CP3 com o Arrow e da ciclística numa estrada de serra  shy

Velasquez87
Responder
#9

(13-08-2018 às 15:43)vindaloo Escreveu:  1. Qual o maior defeito na tua mota?
2. O que gostas menos?
3. O que de vez em quando te dá vontade de a trocar pela viatura da imagem acima?

1. O maior defeito é não ser Kawasaki

2. A brecagem para manobras impede uma melhor utilização citadina apesar de ser alta, comprida e gordita

3. Só mesmo por parvoíce trocaria a Sprint por essa transformer
Responder
#10

1.  O maior defeito será o amortecimento anedótico da coisa, ainda assim não é tão má como uma Tracer stock  devil

2.  O "rilhar" tipico da transmissão.

3. Nada em particular.

[Imagem: images?q=tbn%3AANd9GcT4XLIkYtQDw11iDiKFM...g&usqp=CAU]


Responder




Utilizadores a ver este tópico: 1 Visitante(s)