Novo motor V60 da Harley-Davidson está a chegar
#1

[Imagem: j2hsdfv2m51urdh4nplyszg1ay2.jpg]

A marca sediada em Milwaukee tem planos bastante ambiciosos para o futuro, incluindo não apenas a entrada no mundo das motos elétricas com a LiveWire, como também com o lançamento de modelos bastante diferentes do que a Harley-Davidson nos costuma presentear, como são os casos da Pan America 1250, da Custom 1250 ou ainda da Streetfighter.

Mas a Harley-Davidson não irá apostar apenas nos modelos de maior cilindrada, e nesse sentido, está a trabalhar, de acordo com a revista alemã Motorrad, num novo motor de média cilindrada.

Os esquemas utilizados para homologação do motor foram descobertos pela Motorrad. Trata-se de um motor bicilíndrico em que os cilindros formam um V a 60º. Criado para ser compacto, bastante mais compacto do que os atuais motores Harley, esta nova unidade motriz terá um cilindrada entre os 500 cc e os 1000 cc, dando à marca americana a possibilidade de criar um novo conjunto de modelos que poderão satisfazer as necessidades dos motociclistas europeus que pretendem conduzir ao bom estilo Harley-Davidson, mas dentro dos limites da carta A2 (cilindradas entre os 500 cc e os 750 cc), sendo que a variante de maior capacidade ficará reservada a motos de cariz mais “desportivo”.

Com duas árvores de cames à cabeça, este motor “biálbero” promete vir a revolucionar a forma como as Harley-Davidson se deixam conduzir. Sendo mais compacto e significativamente mais leve, o condutor sentirá uma maior facilidade em explorar as motos que vão usar este novo bicilíndrico.


Fonte:
https://www.andardemoto.pt/moto-news/428...-a-chegar/



Portanto... deve estar para rebentar aí a NC das Harleys. cool
Ou talvez não.
Olhando para o boneco, parece que em 2019 estão a trabalhar em algo idêntico ao que os outros fazem há décadas.
Só que... num V60.

Se isto for para servir uma gama abaixo das Street ... é bater no fundo!

Muito provavelmente o que escrevi foi gerado automágicamente através do Moto Lero
Responder
#2

Se os fregueses mais tradicionalistas no que diz respeito à marca (e que não são poucos) já não andavam a achar muita piada às tentativas recentes de incursão por outros segmentos de mercado adentro, agora então é que vão ser elas...

O tempo dirá se é um tiro no pé ou a sobrevivência.

[Imagem: f800r_long.jpg?raw=1]
Suzuki GSX1300R * BMW F800R * ex-Kawasaki ZZR 1100 * ex-Honda Hornet 600 * ex-Honda CBF 125 * ex-Yamaha DT 50 LC (x2)
Responder
#3

Hoje em dia os motores são em grande parte desenvolvidos por empresas especializadas, Ricardo, Powertrain - Porsche Engineering, Cosworth Powertrain, Yamaha, etc...

A complexidade, incluindo os factores de produção, é de tal forma elevada que este trabalho é normalmente delegado.

Pode haver um caderno de encargos por parte da Harley Davidson, mas o motor vai ser parecido com outros (excepto talvez na sonoridade).

Nas 4 rodas, mesmo grandes marcas como a Mercedes utilizam a Renault Powertrain para alguns motores (1.5 e 1.6 D e 1.3 G). Não compensa "inventar a roda".

Knowing a man well never leads to hate
Responder
#4

Se por um lado afastam os clientes hardcore, por outro lado abrem portas a um mercado mais abrangente, e o nome harley por si só vende muito.
Na minha opinião vão ter sucesso especialmente se levarem estes modelos aos mercados inndianos e asiáticos, vejam o que a KTM fez com as 125,390 foi exactamente o mesmo exercício econômico e rendeu muuuuuuito dinheiro, diria que neste momento é o grande cash cow da ktm em vez das 1290 e restante gama alta.

Os tempos mudam, e as marcas olham para objectivos e melhores estratégias de os alcançar, estao a cagar-se para os clientes hardcore, na KTM os clientes que garantiram a sobrevivencia da marca em 1991 quando teve a beira da falência sao completamente ignorados hoje em dia.

Por essas e por outras que eu digo gostar de motas e não de marcas, hoje é x amanha é y, desde que goste da moto nao me importa o branding no deposito.

Ia comentar, mas não tenho ar.

Assinatura
Responder
#5

(01-05-2019 às 10:43)pareias Escreveu:  Hoje em dia os motores são em grande parte desenvolvidos por empresas especializadas, Ricardo, Powertrain - Porsche Engineering, Cosworth Powertrain, Yamaha, etc...

Isto é um fórum de motociclismo.
E apesar de algumas práticas industriais serem semelhantes, os players são outros.
O motor das V-ROD tinha uma parceria com Porsche Engineering.
Mas outros foram delegados à Rotax, por exemplo. E houve casos em que o investimento foi feito e a unidade acabou descartada (e na altura aproveitada pela Buell) como o caso do Helicon.

Muito provavelmente o que escrevi foi gerado automágicamente através do Moto Lero
Responder
#6

(01-05-2019 às 11:44)dfelix Escreveu:  
(01-05-2019 às 10:43)pareias Escreveu:  Hoje em dia os motores são em grande parte desenvolvidos por empresas especializadas, Ricardo, Powertrain - Porsche Engineering, Cosworth Powertrain, Yamaha, etc...

Isto é um fórum de motociclismo.
E apesar de algumas práticas industriais serem semelhantes, os players são outros.
O motor das V-ROD tinha uma parceria com Porsche Engineering.
Mas outros foram delegados à Rotax, por exemplo. E houve casos em que o investimento foi feito e a unidade acabou descartada (e na altura aproveitada pela Buell) como o caso do Helicon. 



É a mesma coisa. É sabido que o motor da S1000RR teve dedo da equipa de engenheiros da F1 da BMW e o motor da MV-Agusta 1000 teve dedo da Ferrari.

São empresas com equipas, software, equipamentos purpose-built, etc que não é racional duplicar.

Cf.
"The F4 engine is a liquid cooled inline four cylinder four-stroke with two overhead camshafts (DOHC), 16 radial valves, electronic multipoint injection, induction discharge electronic ignition, with engine displacements of 749.5 cc (45.74 cu in), 998 cc (60.9 cu in), and 1,078 cc (65.8 cu in). The engine was derived from the 1990–1992 Ferrari Formula One engine. Early in the design process Ferrari engineers assisted in the development of the engine. MV (Cagiva at the time) quickly deviated from the Ferrari design, but they kept one important feature, the radial valves. The F4 engine is unique in the sense that it is the only radial valved motorcycle engine currently in production. "

Knowing a man well never leads to hate
Responder
#7

Nunca se esqueçam que os "senhores" andam nisto para vender motas, e fazer dinheiro... Nem que para isso, os "senhores" do marketing tenham de convencer o mercado, que uma HD monocilindrica, a diesel, e pintada de laranja fluorescente com bolinhas amarelas, é que é...

[Imagem: SM4eYt9.png]
Responder
#8

(01-05-2019 às 14:12)nelsonajm Escreveu:  Nunca se esqueçam que os "senhores" andam nisto para vender motas, e fazer dinheiro... Nem que para isso, os "senhores" do marketing tenham de convencer o mercado, que uma HD monocilindrica, a diesel, e pintada de laranja fluorescente com bolinhas amarelas, é que é...

Nem mais. Daí a minha consideração inicial...

(01-05-2019 às 04:14)marco.clara Escreveu:  O tempo dirá se é um tiro no pé ou a sobrevivência.

Mas por vezes faz-me espécie ver as marcas sentirem-se obrigadas a mudar de rumo de forma tão radical... É o mercado a funcionar...

[Imagem: f800r_long.jpg?raw=1]
Suzuki GSX1300R * BMW F800R * ex-Kawasaki ZZR 1100 * ex-Honda Hornet 600 * ex-Honda CBF 125 * ex-Yamaha DT 50 LC (x2)
Responder
#9

(01-05-2019 às 12:12)pareias Escreveu:  
(01-05-2019 às 11:44)dfelix Escreveu:  
(01-05-2019 às 10:43)pareias Escreveu:  Hoje em dia os motores são em grande parte desenvolvidos por empresas especializadas, Ricardo, Powertrain - Porsche Engineering, Cosworth Powertrain, Yamaha, etc...

Isto é um fórum de motociclismo.
E apesar de algumas práticas industriais serem semelhantes, os players são outros.
O motor das V-ROD tinha uma parceria com Porsche Engineering.
Mas outros foram delegados à Rotax, por exemplo. E houve casos em que o investimento foi feito e a unidade acabou descartada (e na altura aproveitada pela Buell) como o caso do Helicon. 



É a mesma coisa. É sabido que o motor da S1000RR teve dedo da equipa de engenheiros da F1 da BMW e o motor da MV-Agusta 1000 teve dedo da Ferrari.

São empresas com equipas, software, equipamentos purpose-built, etc que não é racional duplicar.

Cf.
"The F4 engine is a liquid cooled inline four cylinder four-stroke with two overhead camshafts (DOHC), 16 radial valves, electronic multipoint injection, induction discharge electronic ignition, with engine displacements of 749.5 cc (45.74 cu in), 998 cc (60.9 cu in), and 1,078 cc (65.8 cu in). The engine was derived from the 1990–1992 Ferrari Formula One engine. Early in the design process Ferrari engineers assisted in the development of the engine. MV (Cagiva at the time) quickly deviated from the Ferrari design, but they kept one important feature, the radial valves. The F4 engine is unique in the sense that it is the only radial valved motorcycle engine currently in production. "

Boas;
Pareias, não acredites em tudo o que lês, nem a venhas impingir para aqui.
Responder
#10

(01-05-2019 às 22:00)Johnny_1056 Escreveu:  
(01-05-2019 às 12:12)pareias Escreveu:  
(01-05-2019 às 11:44)dfelix Escreveu:  Isto é um fórum de motociclismo.
E apesar de algumas práticas industriais serem semelhantes, os players são outros.
O motor das V-ROD tinha uma parceria com Porsche Engineering.
Mas outros foram delegados à Rotax, por exemplo. E houve casos em que o investimento foi feito e a unidade acabou descartada (e na altura aproveitada pela Buell) como o caso do Helicon. 



É a mesma coisa. É sabido que o motor da S1000RR teve dedo da equipa de engenheiros da F1 da BMW e o motor da MV-Agusta 1000 teve dedo da Ferrari.

São empresas com equipas, software, equipamentos purpose-built, etc que não é racional duplicar.

Cf.
"The F4 engine is a liquid cooled inline four cylinder four-stroke with two overhead camshafts (DOHC), 16 radial valves, electronic multipoint injection, induction discharge electronic ignition, with engine displacements of 749.5 cc (45.74 cu in), 998 cc (60.9 cu in), and 1,078 cc (65.8 cu in). The engine was derived from the 1990–1992 Ferrari Formula One engine. Early in the design process Ferrari engineers assisted in the development of the engine. MV (Cagiva at the time) quickly deviated from the Ferrari design, but they kept one important feature, the radial valves. The F4 engine is unique in the sense that it is the only radial valved motorcycle engine currently in production.

Boas;
Pareias, não acredites em tudo o que lês, nem a venhas impingir para aqui. 


Bom, a fonte está disponível: https://en.wikipedia.org/wiki/MV_Agusta_F4_series

Sempre é capaz de ter mais credibilidade do que o diz-que-disse.

Knowing a man well never leads to hate
Responder




Utilizadores a ver este tópico: 1 Visitante(s)