Nova monster
#61

marco.clara Escreveu:recordo-me de algumas fotos de malta aqui do fórum em que algumas oficinas faziam elaborados exercícios de equilibrismo para sustentar a mota durante a sua manutenção.

[Imagem: kLA11e3.jpg]

[Imagem: QKmafvp.png]
Responder
#62

Um conjunto monobraco/jante, normalmente é mais interessante que um normal... Mas se tivermos um braço oscilante assimétrico, pode muitas vezes ser bem mais interessante que um mono braço fundido em alumínio... Mas se falarmos de mono braços ao melhor estilo treliçado....

[Imagem: 2b08e9ffb89b34b054b42a3729c8b6f2.jpg]

[Imagem: SM4eYt9.png]
Responder
#63

(16-12-2020 às 14:23)nelsonajm Escreveu:  Um conjunto monobraco/jante, normalmente é mais interessante que um normal... Mas se tivermos um braço oscilante assimétrico, pode muitas vezes pode ser bem mais interessante que um mono braço fundido em alumínio... Mas se falarmos de mono braços ao melhor estilo trelicado....

[Imagem: 2b08e9ffb89b34b054b42a3729c8b6f2.jpg]

Um dos mais bonitos monobraços treliçados, é para mim, o da X-Diavel (c/ belt drive).

[Imagem: JhRw7xh.jpg]

E recordas-te da M S4R com o motor da 996 e também monobraço em treliça?

[Imagem: 7pK67wv.png]

[Imagem: bvQpDXk.png]

Mesmo para as Monster de braço oscilante convencional, havia fabricantes aftermarket que tinham braços oscilantes em treliça, a fazer "pendent" com o quadro!

[Imagem: cJk0oTO.jpg]

Mas o braço oscilante treliçado mais interessante que vi, foi o híbrido em carbono e alumínio, da Tesi 3d Race Café. Aliás, não só o braço oscilante, como todo aquele quadro "omega" híbrido.

[Imagem: ynp8Q6k.png]

Curiosamente, a Benelli é das poucas marcas actuais a recorrer a braços oscilantes tubolares, herança das TNT 900 e 1130.

[Imagem: JIK2i8C.jpg]

[Imagem: QKmafvp.png]
Responder
#64

Até nesta Megelli o dito é muito bonito...

[Imagem: JnC4A4w.jpg]
Responder
#65

(16-12-2020 às 16:03)nelsonajm Escreveu:  Até nesta Megelli o dito é muito bonito...

[Imagem: JnC4A4w.jpg]

Até pode ser bonito, e posso estar enganado, mas...

... não consigo deixar de pensar que tudo parece demasiado frágil nesta mota (a começar pelo braço).
Responder
#66

É uma 250... Não precisa de grande coisa...

[Imagem: SM4eYt9.png]
Responder
#67

(14-12-2020 às 22:26)nelsonajm Escreveu:  Mas não creio que se justifica, do ponto de vista técnico, a vantagem de poder tirar a roda traseira, sem mexer na corrente ou na pinça... Quantas vezes fazemos isso durante o tempo em que a temos...

O "quantas vezes fazemos" dependerá de cada um. rolleyes

Se justifica comprar uma moto com monobraço só por este motivo?
Claro que não!

Mas estando lá é algo que, quem faz certas intervenções, acaba por se usufruir.
Na maior parte dos casos é tirar um freio e desapertar uma porca para soltar a roda.
Não é preciso mexer na corrente!
Não é preciso mexer na maxila!
Fácil, fácil...

A própria afinação da corrente é muito mais fácil.
Pois basta aliviar o aperto do eixo e rodar um excêntrico para o mover.
Não há cá afinadores nem preocupação com o alinhamento.

Até a calibração pode ser feita nas mesmas máquinas das jantes auto!

(16-12-2020 às 00:00)Caroço Escreveu:  mas fico aqui é a bater mal , quando leio , a a questao de quanto a mota pesa , menos um kilo ou quatro ser relevante para a decisão de a comprar... percebo prque sao poucos os membros resistentes por aqui.

Não me parece que seja relevante para a decisão de a comprar.
Porque quem realmente gosta compra na mesma.

Agora não venham é com a história que perder 18kg face à 821 é irrelevante.
Pode estar mais feia, desvirtuada e de lado parecer uma MT. Mas em termos práticos o mais certo é ser bem mais maneável e até divertida de se conduzir que a antecessora.

(16-12-2020 às 10:55)marco.clara Escreveu:  Manutenção: se por um lado as tarefas de manutenção podem ser simplificadas, por outro podeerão ser necessárias ferramentas específicas (e portanto menos comuns) para fazer essa manutenção, ou até mesmo um suporte específico caso a mota não tenha o descanso central; recordo-me de algumas fotos de malta aqui do fórum em que algumas oficinas faziam elaborados exercícios de equilibrismo para sustentar a mota durante a sua manutenção.

Tipo isto? lol

[Imagem: 428ab995632860d37c892aa3de9375d9.jpg]

(a resposta tinha mais texto e quotes fofinhos... mas o forum não está a deixar postar tudo de uma vez!)

Muito provavelmente o que escrevi foi gerado automágicamente através do Moto Lero
Responder
#68

Por acaso tenho um cavalete de monobraço ainda do tempo da Speed Triple.
E com a bmw acabo por ter que fazer alguns improvisos.

[Imagem: 400951290e9e5ff0e0cf5cbcfd742433.jpg]

Para trocar o pneu uso umas "preguiças" para assentar o tubo depois de já ter sacado a roda.
Não é perfeito, mas desenrasca.

Mas fora a questão do cavalete, não vejo ferramentas transcendentes a ser necessário.

Algumas jantes são apertadas por enormes porcas.
Estilo 46mm. Algo que não vem nos conjuntos de caixa convencionais.
Algumas usam mesmo um estriado diferente.
Mas é o tipo de coisa que se arranja tão facilmente como uma chave de filtro ou qualquer outra ferramenta que se compra uma vez e pode eventualmente, mesmo já sem a moto, servir para desenrascar alguma situação no futuro.

Há ainda o gancho para ajuste da corrente.
E esse costuma vir no kit de ferramentas que acompanha a moto.

Fora isso são chaves perfeitamente normais que se encontra no Leroy mais próximo.

(16-12-2020 às 13:51)carlos-kb Escreveu:  [Imagem: kLA11e3.jpg]

Pelo menos não tem uma linha de escape a estorvar a zona de apoio! lol

Muito provavelmente o que escrevi foi gerado automágicamente através do Moto Lero
Responder
#69

Eu quando comprei a Dorothy tive aquela ideia de que um descanso central talvez fosse o mais indicado para determinadas coisas.

Uma delas mudar os pneus!

Felizmente não preciso de fazer nada disso para sacar os pneus da minha mota.
Responder
#70

(17-12-2020 às 03:09)dfelix Escreveu:  Mas fora a questão do cavalete, não vejo ferramentas transcendentes a ser necessário.

Algumas jantes são apertadas por enormes porcas.
Estilo 46mm. Algo que não vem nos conjuntos de caixa convencionais.
Algumas usam mesmo um estriado diferente.

Pois, a minha ideia era que em alguns casos as porcas de fixação poderiam ter formatos menos comuns, daí o meu comentário.


(17-12-2020 às 03:09)dfelix Escreveu:  Mas é o tipo de coisa que se arranja tão facilmente como uma chave de filtro ou qualquer outra ferramenta que se compra uma vez e pode eventualmente, mesmo já sem a moto, servir para desenrascar alguma situação no futuro.

Há ainda o gancho para ajuste da corrente.
E esse costuma vir no kit de ferramentas que acompanha a moto.

Fora isso são chaves perfeitamente normais que se encontra no Leroy mais próximo.

Eventualmente pode dar alguma dor de cabeça se precisarmos fazer alguma intervenção numa oficina de "vão de escada" que não tenha as chaves necessárias, mas de facto numa lógica de manutenção realizada pelo próprio, adquirir mais uma chave ou duas não será grande dor de cabeça.
Responder




Utilizadores a ver este tópico: 1 Visitante(s)