MotoGP 2022
#11

(03-05-2022 às 12:27)Liquid_Fire Escreveu:  Tenho a certeza que a decisão de anunciar a saida não foi feita sem pesar as consequencias e muito menos sem analisar os aspectos legais, estamos a falar de Japoneses.
Não me espanta, para correr é preciso dinheiro, coisa que me parece estar a escassear na suzuki, no ano de 2021 as vendas baixaram 29% na europa, e só não foi um pessimo ano para a suzuki porque conseguiram penetrar o mercado chines com 93% de aumento de vendas, mas a china consome utilitarias e não desportivas de alta cc, motogp não tem (ainda) grande mercado naquele continente.

Pelo menos a Dorna está a alertar que, havendo um contrato de participação, a vigorar até 2026, a Suzuki terá, de uma ou outra forma, custos (mesmo sem se saberem clausulas contratuais), que serão certamente avultados.

A organização do Ezpeleta, acaba sempre a lucrar... perdendo no entanto, o espectáculo, no caso da decisão de sair, se tornar definitiva.
Para além de que a acontecer, também tenho ideia que essa decisão não venha a ser favorável, comercialmente, para a marca de Hamamatsu.

[Imagem: QKmafvp.png]
Responder
#12

A mí o que mais me chateia é que talvez se vai perder a melhor base de todo o padock.

A Suzuki é, de longe a moto mais estável e com a melhor velocidade em curva, a que cuida melhor os pneus e a moto mais pilotavel (a par com os pianos) do padock.

O ano pasado pecava por não ter ponta e este ano o problema foi resolvido sendo que o único handycap sejam as qualificações de sábado, onde nisto o piloto tem um peso determinante.

Este ano, se não fossem por estas notícias, tenham muito boa base, apostada na regularidade, para poder lutar por todos os títulos em jogo.

Não sei se, depois disto vai haver motivação para lutar e de fundo é a longo prazo, o campeonato vai perder competitividade. Reparem que, desde Domingo e pela primeira vez em muitas temporadas, que o campeonato tem todos os Fabricantes sem qualquer tipo de concessão!
Responder
#13

(03-05-2022 às 12:53)carlos-kb Escreveu:  
(03-05-2022 às 12:27)Liquid_Fire Escreveu:  Tenho a certeza que a decisão de anunciar a saida não foi feita sem pesar as consequencias e muito menos sem analisar os aspectos legais, estamos a falar de Japoneses.
Não me espanta, para correr é preciso dinheiro, coisa que me parece estar a escassear na suzuki, no ano de 2021 as vendas baixaram 29% na europa, e só não foi um pessimo ano para a suzuki porque conseguiram penetrar o mercado chines com 93% de aumento de vendas, mas a china consome utilitarias e não desportivas de alta cc, motogp não tem (ainda) grande mercado naquele continente.

Pelo menos a Dorna está a alertar que, havendo um contrato de participação, a vigorar até 2026, a Suzuki terá, de uma ou outra forma, custos (mesmo sem se saberem clausulas contratuais), que serão certamente avultados.

A organização do Ezpeleta, acaba sempre a lucrar... perdendo no entanto, o espectáculo, no caso da decisão de sair, se tornar definitiva.
Para além de que a acontecer, também tenho ideia que essa decisão não venha a ser favorável, comercialmente, para a marca de Hamamatsu.

penso que infelizmente a concretizar-se, possa ter um efeito domino, arrastando a aprilia consigo, ainda acabamos a ver 4 construtores apenas a correr, honda ktm yamaha e ducati, logo por muito dinheiro que consigam sacar de um contracto em tribunal estão a ver um prego gigante ser espetado no caixão do motogp.

[Imagem: 3a28d74fcda810d6526bb56e69702394.jpg]
Responder
#14

Começam a surgir rumores que a causa da saida da suzuki do motogp é o seu sector automovel.
Aparentemente a suzuki está envolvida num escandalo dieselgate semelhante ao da VW (que custou à vw 40 bilioes em repercursoes legais), ainda não se conhecem as consequencias mas não serão certamente leves, esta é especulada como a grande razão do abandono do motogp

https://www.occrp.org/en/daily/16252-suz...on-scandal

https://www.motorcyclesports.net/pt/arti...-do-motogp

"Segundo o site speedweek.com, o motivo pode vir dos negócios da Suzuki no mercado automóvel. Isto porque o fabricante está acusado de vender pelo menos 22.000 carros a diesel com dispositivos de manipulação ilegais – um pouco à imagem do que aconteceu há alguns anos no Grupo Volkswagen.

O programa de MotoGP, que pouca atenção recebeu da Suzuki no Japão desde 2015 – está entregue a uma estrutura europeia e nunca foi explorado extensivamente em termos de marketing – poderá ser o sacrificado do escândalo diesel nos automóveis. A confirmar-se a saída, a Suzuki ficaria representada apenas no Mundial de Endurance – isto no que toca a campeonatos do mundo de motociclismo em asfalto. "

[Imagem: 3a28d74fcda810d6526bb56e69702394.jpg]
Responder
#15

Citar:... está entregue a uma estrutura europeia e nunca foi explorado extensivamente em termos de marketing...

A aposta na plano desportivo parece estar ao nível da própria gestão de produto da Suzuki.
Ou seja.. fraquinha, fraquinha, fraquinha...

A generalidade dos construtores estão lá para ganhar títulos... mas sobretudo para ganhar dinheiro!
Não só através dos patrocínios, como na concessão e suporte ás equipas satélite/privadas.

Todos sabem disso!
A própria Aprilia tem apostado nesta frente de conseguir fornecer uma equipa privada.
Teve pertinho de o conseguir esta época com a VR46... mas a Ducati acabou por ganhar a escolha.
(E com isto têm no presente 3 equipas concessionadas, o que significa 6 pilotos, pelo menos 12 motos e pelo menos 42 motores!)

A Suzuki nunca pareceu interessada em "vender" motos a outras equipas.
Tal como nunca pareceu interessada a vender o quer que seja, pois em 7 anos nunca teve um "main sponsor" que não eles próprios.
Curiosamente, neste aspecto a Aprilia também não...

Ainda assim, a Aprilia aparentemente irá conseguir o seu objectivo de fornecer uma nova equipa que irá ocupar o lugar da Suzuki com os respectivos pilotos.
O que acaba por ser uma enorme vitória a acrescentar aos bons resultados que tem obtido.

É pena ver um construtor que até tem obtido bons resultados sair desta forma.
Até por acaba por ser a única coisa assinalável que têm feito nos últimos anos.

Muito provavelmente o que escrevi foi gerado automágicamente através do Moto Lero
Responder
#16

E como por norma, aonde há fumo, há fogo... eis a confirmação oficial, na própria página oficial do MotoGP.

[Imagem: AA8KKmo.png]

https://www.motogp.com/en/news/2022/05/1...ure/420045

Pelos vistos, a razão (dada) é mesmo o factor económico.

[Imagem: QKmafvp.png]
Responder
#17

WithU Yamaha RNF to become satellite team of Aprilia

The deal means that there will now be four RS-GPs on the grid from 2023
Tags MotoGP, 2022, WithU Yamaha RNF MotoGP Team

Together for the next season, RNF Racing and Aprilia Racing reached a milestone today by announcing their partnership for two seasons and renewable for a further two years. For the first time in its young MotoGP history, Aprilia will have a satellite team and four Aprilia RS-GPs on track.
Following the past successes, RNF Racing maintains its philosophy which is to develop riders that will eventually become the factory team riders befitting the role of RNF Racing as the development team for Aprilia Racing. This philosophy is in line with Aprilia, which will involve a strong synergy that will lead Aprilia Racing to invest in the partnership for the training of engineers, technicians, managers and, of course, riders.
After proving its competitiveness in the 2022 season, Aprilia Racing presents a package that fits the objective for RNF Racing in the long run and to be competitive. With the multi-year programme in place, RNF Racing will be a valuable ally for Aprilia Racing in the immediate future that will lead to the expansion and enhancement of technical and sporting knowledge.
Razlan Razali, WithU Yamaha RNF MotoGP Team Founder and Principal: "We are absolutely thrilled for this long term partnership with Aprilia Racing. Our philosophy remains to work together with the factory team to develop riders that will one day become Aprilia factory riders. We will assist them in development to ensure that we continue to be competitive and ultimately win with Aprilia Racing. The proposal by Aprilia Racing fulfils our long term plans, strategies and security for the next two plus two years and I must thank Massimo for his trust, confidence and faith in us. We are absolutely looking forward to the season next year and this new partnership. At the same time, we want to express our gratitude to Yamaha for these past years working together and growing together. We will, though, maintain our focus on working hard this season in order to improve our results together with Yamaha and eventually conclude 2022 on a high note.”
Massimo Rivola, CEO Aprilia Racing: "I am happy to announce the agreement with RNF Racing. We have always reasoned in small steps and as we demonstrate the competitiveness of our RS-GP, a natural part of the journey is to see two more on track. The Noale racing department is a true heritage of knowledge, of technical culture applied to high performance motorbikes as well as sports management. With RNF Racing we find a partner to enhance and valorise this extraordinary heritage. We are thinking, of course, of the riders and the best competitiveness, but also of raising new generations of engineers, technicians and managers. To continue and improve the extraordinary, all-Italian tradition of Aprilia Racing.”


https://www.motogp.com/en/news/2022/05/2...lia/421979
Responder
#18

MotoGP – Grande Prémio de Portugal confirmado a abrir 2023!
A Dorna acaba de confirmar que o Grande Prémio de Portugal vai abrir a temporada de 2023 de MotoGP de 24 a 26 de março.

Por Bruno Gomes -Agosto 2, 2022

[Imagem: lgz2072.gallery_full_top_fullscreen.jpg]

Com o Grande Prémio do Qatar em Losail adiado para uma altura mais avançada do ano, devido a uma série de obras de reformulação das infraestruturas do traçado qatari tal como a revista MotoJornal aqui lhe tinha explicado em primeira mão no passado mês de maio, a temporada 2023 de MotoGP terá um início que será do agrado de todos os fãs portugueses! De acordo com a informação oficial divulgada pela Dorna, o Grande Prémio de Portugal 2023 será a ronda de abertura da temporada do Mundial de Velocidade.

Esta será a primeira vez desde 2006 que o MotoGP terá o seu início de temporada em solo europeu, e caberá ao Autódromo Internacional do Algarve acolher o paddock que inclui as categorias MotoGP, Moto2 e ainda as Moto3.

O Grande Prémio de Portugal 2023 vai realizar-se de 24 a 26 de março.

[Imagem: 41-aleix-espargaro_ds_8451.gallery_full_...screen.jpg]

O AIA será assim o cenário de estreia de novas cores e pilotos nas suas novas equipas, incluindo Miguel Oliveira, que, como sabemos, terá um novo desafio pela frente, sendo que o piloto português ainda não anunciou qual a nova equipa para o próximo ano. De qualquer forma, a sua estreia oficial será frente ao “seu” público, no que será certamente um momento de enorme comunhão entre os fãs de Miguel Oliveira e o próprio piloto.

Para a Dorna, esta foi então a melhor solução para suprir a ausência, pelo menos num momento inicial do ano, do circuito de Losail do calendário de MotoGP 2023. Para além do Grande Prémio de Portugal, o traçado algarvio será ainda cenário para uma série de testes de pré-temporada. Mas no caso dos testes ainda não foram anunciados os dias para a sua realização.

[Imagem: 49-fabio-digiannantonio-87-remy-gardner_...reen-1.jpg]

Para os fãs que gostam de história e de assinalar registos importantes, esta será também a terceira vez em três décadas que o Mundial de Velocidade terá o seu início na Europa, e para Portugal será mesmo a estreia como primeiro GP do ano.

Quanto ao calendário de MotoGP, a Dorna refere que o mesmo será anunciado em conjunto com a Federação Internacional de Motociclismo numa fase mais avançada da atual temporada.

Para os fãs que querem desde já garantir o seu lugar nas bancadas do Autódromo Internacional do Algarve, clicando >>aqui<< poderá aceder ao formulário online de aquisição de bilhetes para o Grande Prémio de Portugal 2023.


FONTE

[Imagem: QKmafvp.png]
Responder
#19

Se continuarem no mesmo registo que este ano de 2022, as contas são simples.

2 pessoas como eu fui:
2 x 95€ bilhetes
2 x hamburguers almoço = 25€

gastei 215€ só para ver (tive + alojamento e viagem, mas não vou contabilizar...)


Jerez 2 x 65€ e leva-se almoço... = 130€... tenho 85€ no bolso que dá para a gasolina até Jerez.... e o ambiente de Jerez é diferente para melhor...


Isto é mau de se dizer, mas se algo não muda, o AIA vai ser como o Estoril que saiu do calendario... sem publico isto não sobrevive...

Este ano estiveram perto de ~45000 pessoas no AIA... em 2023 deve já estar bem menos...

Ricardo - Honda CB500X
[Imagem: latest?cb=20150510093035]
Responder
#20

(02-08-2022 às 16:20)Mr.Ricky Escreveu:  Isto é mau de se dizer, mas se algo não muda, o AIA vai ser como o Estoril que saiu do calendario... sem publico isto não sobrevive...

Este ano estiveram perto de ~45000 pessoas no AIA... em 2023 deve já estar bem menos...

Só o jogo do Benfica-Arouca da 1ª jornada da 1ª liga, no próximo fim de semana, vai de certeza, meter mais gente (ávida de campeonato), do que um evento de um campeonato mundial... Enfim, país de futebolês!

Infelizmente é assim. Preços dos bilhetes altos (para o nosso nível de vida) e restrições de vária ordem, em relação a estacionamento, acessos, alimentação, etc... acabam a ditar o afastamento do público. Esta foto é bem elucidativa, quando se pagam umas boas dezenas de euros em bilhetes, viagens, estadia, deslocações p/ o recinto, estacionamento, alimentação, etc... e o "pack" ainda incluí a oportunidade de ser o espectador a "limpar" com o traseiro o caro lugar de assistência, que comprou.

[Imagem: dc8HZfj.jpg]

Estive nesse último GP no Estoril (2012), quando a Dorna já indiciava que o Estoril iria saltar fora, pelas fracas assistências que tinha (entre outros motivos). Quando se lembraram de o tentar "salvar", já era tarde. Nem bilhetes a 5 euros para o dia de corrida para bancadas no interior do circuito, ou a 20 euros para os 3 dias p/ as bancadas A e B (recta da meta), c/ acesso ao paddock e portagens grátis na A5 para motos, foram suficientes (mesmo atraindo 90 mil nos 3 dias) para o manter.

Já vi desde ontem, com o anuncio da primeira ronda no AIA, muito pessoal a dizer que não vai voltar depois da má experiência que tiveram nesta temporada. Acredito, tal como tu, que a assistência venha a ser ainda menor do que a de Abril (que já foi das mais fracas no conjunto das outras rondas desta temporada). E isso será um mau augúrio.

[Imagem: QKmafvp.png]
Responder




Utilizadores a ver este tópico: 1 Visitante(s)