mota parada durante longos períodos
#21

Eu nunca deixo a mota parada mais de 15 dias.. Simplesmente porque não aguento.. Lol qt ao vento, até aguento mas com chuva é mm lixado.. Na 25 Abril ui ui.. Grandes cagaços.. Chego a casa cheio de dores musculares de tanta tensão.. Mas felizmente estamos em Portugal, um dos melhores países em termos de clima..

Enviado do meu HUAWEI VNS-L31 através de Tapatalk
Responder
#22

(01-02-2017 às 22:16)LWillow Escreveu:  
(01-02-2017 às 21:46)LuisDrager Escreveu:  Nem sempre ha tempo para poder andar regularmente. .
Nem sempre está tempo para poder andar regularmente. .

O critério é subjetivo.
Responder
#23

(02-02-2017 às 00:59)marco.clara Escreveu:  
(01-02-2017 às 22:16)LWillow Escreveu:  
(01-02-2017 às 21:46)LuisDrager Escreveu:  Nem sempre ha tempo para poder andar regularmente. .
Nem sempre está tempo para poder andar regularmente. .

O critério é subjetivo.

Nem sempre ha tempo.. Nesta altura de inverno.. Tenho a mota a 10 meses e já lhe fiz 9000km.. por isso ainda faz uns km's..

Ex:AJP Pr4 125 Yamaha Yzf R125 / Yamanha Virago 535 / Yamaha Xj600
Actual: Yamaha Dragstar 650 / Kawasaki ZZR 1200 / Vespa T5 125 (1987)
Responder
#24

Só se for uma grande tempestade é que não lhe pego. Fora isso rola todos os dias.

É um piano "all-weather".

[Imagem: images?q=tbn%3AANd9GcT4XLIkYtQDw11iDiKFM...g&usqp=CAU]


Responder
#25

Ora bem....

Hibernar!?

Más quem é o Urso que quer hibernar? lol
(isto num outro fórum, daria para ficar no congelador durante uns tempos)

OK, vamos lá então ser construtivo.

Parar uma moto durante um período longo, pensemos em mais de 3 meses, embora que para mim 15 días já é demais, pode ser mais complicado, e dispendioso, do que se pensa.

O primeiro é cuidar da higiene, porque tu antes de ir para a cama xonar, lavas os dentes e tratas da tua higiene pessoal não!?
Então a moto também merece um banho, uma corrente lubrificada e meio quilo mais de pressão nos pneus.
Depois está o factor mecânico da coisa.
Se a moto vai estar parada, o ideal é mudar o óleo e filtro de oleo, verificar os níveis, limpar o filtro de ar e, no caso de uma paragem muito alongada no tempo (mais de um ano) tirar as velas fora, e gotear dentro dos cilindros uma "esghichadela" de óleo.
Porquê?
Eu depois explico.
O sistema eléctrico é dos que mais sofre com as paragens, pois sofre erosão nos contactos. A presença de energia eléctrica liberta calor, pelo que não se produz tanta condensação e o uso mantém os contactos saudáveis.
Como a moto vai estar parada, convém proteger esses contactos, pulverizando-os com um spray de contactos ou WD40.
A bateria deve permanecer ligada à um Optimizer, mas se não existir, podemos fazer à moda antiga.
Carregar a bateria, desligá-lo da moto e guardá-la num local seco, arejado e sem exposição directa à luz solar.
Não esquecer de voltar a ligá-la ao carregador antes de terminar hibernação da mota.
O sistema de alimentação deve ser purgado de forma a ficar seco.
Como se faz?
Simples, deixas a moto a trabalhar até que se acabe a gasolina.
Depois, ou proteges o depósito com algum produto antioxidante ou enches o mesmo com gasolina, tendo o cuidado de mudar a mesma se a paragem for muito prolongada.

Cuidados a ter durante uma paragem muito prolongada.

O motor não está livre de ser atacado pelos elementos.
Neste caso a água, resultante de uma condensação no interior dos cilindros (por exemplo).
Então o que fazer?
A "esguichadela" joga uma papel fundamental.
Convém fazer rodar o motor, para isso basta aceder à porca que te permite alinhar a distribuição.
Mas e a compressão?
Qual compressão suas abeculas!?
Primeiro tirasse as velas para que o motor fique solto, pegas nas chave e fazes rodar o motor.
Esse simples movimento faz com que o óleo circule no interior do motor (não tem pressão mas é suficiente para encher os conductos), mas este não chega às paredes do cilindro já que o efeito chapinhar em não existe (primeiro porque não à pressão, depois porque não há temperatura e por último porque esse efeito na maioria das motos de hoje se deve à existência de "óleo evaporado" dentro do motor.
É aqui que entra a esguichadela, pois o óleo no interior da câmara de combustão vai andar a acompanhar o movimento dos pistões, espalhando uma capa de gordura por toda a câmara impedindo a formação de óxidos e posterior degradação dos metais.
O único inconveniente é que, no final da hibernação o óleo existente na câmara pode isolar as velas.
Mas nada como depois se tem que mudar o óleo e fazer uma revisão para a temporada nova, põe-se a moto em andamento para aquecer o óleo que se vai mudar e isso permite que a câmara de combustão expulse ou queime o óleo em excesso.
Se as velas isolarem, põe-se novas e já está.

É pá, donde é que eu desencantei está informação!?

Isto foi arte e obra de uma equipe de jornalistas que ainda hoje fazem parte de uma redacção da especialidade chamada La Moto!

Curiosamente, chegaram à mesma conclusão que eu.

Melhor mesmo é não parar a mota.

Já viram o trabalho que dá?

I just don't run with the crowd!

www.loneriderendlessroad.com
Responder
#26

lone , esse artigo foi escrito á quanto tempo ???
Responder
#27

(02-02-2017 às 11:40)Caroço Escreveu:  lone , esse artigo foi escrito á quanto tempo ???

Caroço pá!

Já vivía aquí no Reino de Aragão.... rolleyes
Oito ou nove anos, mais ou menos.... confused


Raios me parta lá o raio do relógio que anda tão depressa! confused

I just don't run with the crowd!

www.loneriderendlessroad.com
Responder
#28

Lone,

Depois de ler o teu estudo científico sobre paragens prolongadas de motas, mantenho a minha opinião inicial, que é a mesma conclusão que os autores e tu tiraram... vale mais andar com elas!

lol
Responder
#29

Como já perceberam, o melhor é mesmo andar com ela... lol

Pensamos o mesmo Marco. blink

As minhas máquinas (e ex):
Kawasaki Versys 1000 / KTM 1290 Super Duke GT
Yamaha FZS 600 Fazer

[Imagem: censorship2.jpg]

Responder
#30

(02-02-2017 às 14:29)marco.clara Escreveu:  Lone,

Depois de ler o teu estudo científico sobre paragens prolongadas de motas, mantenho a minha opinião inicial, que é a mesma conclusão que os autores e tu tiraram... vale mais andar com elas!

lol

Tenho argumentos bué convincentes não é?

Eu nunca parei uma moto durante uma período muito prolongado.
Mas é certo que convém preparar bem uma hibernação para tentar evitar o seu deterioro com o tempo.

Um caso ainda bastante fresco na minha mente foi a Two Fifty do meu pai, parada à 6 ou 7 anos, que sofreu a erosão provocada pelos dentes dos roedores lá de casa (todos temos esse tipo de inquilinos).

Causa directa de algum desleixo e de uma paragem prolongada que nos levam a acreditar que existem Moto-ratos (de Marte ou não isso pouco interessa) e ao que parece com muito espírito! lol

Deixaram a instalação eléctrica toda a luzir! evil

I just don't run with the crowd!

www.loneriderendlessroad.com
Responder




Utilizadores a ver este tópico: 1 Visitante(s)