Lubrificante para XJ600N
#21

Isso já depende da moto, do ano da moto e da procura da dita peça. Eu já tive que esperar 4 dias para ter 1 peça de origem que era um simples fole de borracha.
Responder
#22

(11-12-2014 às 18:16)OFFICER Escreveu:  Existem muito boas marcas de produtos aftermarket e de melhor acesso que os que a marca vende.

Um hiflo na texoleo custa-me 9,5 eur.
Na motoclasse (que até me fica no caminho de casa) devem me pedir uns 11 euros.

Alternativas como os Fram e champion só consigo encontrar online.
E devem andar pelos 12 ou 13 euros. (o champion na louis.de custa 13 eur)
Acrescentar a isto os portes.

Em qualquer um dos dos concessionários bmw na zona de Lisboa, o filtro original custa-me... 15 euros!
disapointed


(11-12-2014 às 18:37)OFFICER Escreveu:  Isso já depende da moto, do ano da moto e da procura da dita peça. Eu já tive que esperar 4 dias para ter 1 peça de origem que era um simples fole de borracha.

Um fole de borracha não é um consumível que se troca pelo menos uma vez ao ano...
Responder
#23

(11-12-2014 às 19:05)dfelix Escreveu:  
(11-12-2014 às 18:16)OFFICER Escreveu:  Existem muito boas marcas de produtos aftermarket e de melhor acesso que os que a marca vende.

Um hiflo na texoleo custa-me 9,5 eur.
Na motoclasse (que até me fica no caminho de casa) devem me pedir uns 11 euros.

Alternativas como os Fram e champion só consigo encontrar online.
E devem andar pelos 12 ou 13 euros. (o champion na louis.de custa 13 eur)
Acrescentar a isto os portes.

Em qualquer um dos dos concessionários bmw na zona de Lisboa, o filtro original custa-me... 15 euros!
disapointed


(11-12-2014 às 18:37)OFFICER Escreveu:  Isso já depende da moto, do ano da moto e da procura da dita peça. Eu já tive que esperar 4 dias para ter 1 peça de origem que era um simples fole de borracha.

Um fole de borracha não é um consumível que se troca pelo menos uma vez ao ano...

Estás a referir-te a que filtro da hiflo? Para a XJ da Hiflo, o filtro de ar na texoleo custa 15€, eu paguei bem menos na motoclasse.

Já o de óleo está a 7.70€ na texoleo e eu paguei menos na motoclasse. Tudo depende dos contactos que se tem, às vezes nas lojas compensa face ao online.

Sei que por exemplo o de ar custa os tais 15€ na Yamaha, quanto a stocks dele não sei. O de óleo não vi e não sei se é barato ou é caro face aos 5€ que paguei por ele da hiflo.

De qualquer forma, eu troco de filtro SEMPRE a cada muda, pelo que ele não dura lá muito tempo de modo a desfazer-se e também sendo a XJ uma utilitária e que pouca RPM faz, vendo bem o óleo nem leva muita porrada assim como o filtro.

Posso dizer que não sabendo que filtro de ar a minha moto tinha antes, o que comprei da hiflo é muito superior ao que lá estava, sendo que a parte metálica é melhor e a própria vedação também. Eu até tinha por ai uma foto deles, a ver se encontro.

E sim, um fole não se muda de ano a ano, mas no caso das XJ muda-se bastantes vezes (não são assim tão poucas a rolar) e é uma peça que seca muito rápido e que deve ser trocada ou deixa de fazer a sua função de vedação da caixa do filtro de ar para o corpo dos carburadores. O rruella também já teve que trocar, a brincadeira não é assim tão barata quanto isso. No entanto, estas coisas não há da concorrência.
Responder
#24

(12-12-2014 às 10:51)OFFICER Escreveu:  De qualquer forma, eu troco de filtro SEMPRE a cada muda, pelo que ele não dura lá muito tempo de modo a desfazer-se e também sendo a XJ uma utilitária e que pouca RPM faz, vendo bem o óleo nem leva muita porrada assim como o filtro.

Também sempre fui apologista de trocar o filtro de oleo em cada muda.
Aquilo até é suposto aguentar substiuições alternadas. Mas faz-me confusão estar a contaminar o novo lubrificante com a sujidade do antigo.
O facto de aos 5-6 mil km o lubrificante ainda estar com a cor de novo é argumento mais do que suficiente para justificar meter sempre novo.

No caso da XJ, suponho que as revisões sejam a cada 6k.
A maioria das motos mais recentes têm intervalos de 10k, o que acaba por ser mais exigente em alguns aspectos.
Depois... filtrar um 5W40 100% sintético que quente parece água não será bem a mesma coisa que filtra um 20W50 semi-sintético que parece azeite.

(12-12-2014 às 10:51)OFFICER Escreveu:  Já o de óleo está a 7.70€ na texoleo e eu paguei menos na motoclasse. Tudo depende dos contactos que se tem, às vezes nas lojas compensa face ao online.

Durante muitos anos fui cliente da motoclasse.
Há 20 anos atrás no tempo das 50's não haviam opções online e portanto ia lá regularmente.
Actualmente passo lá muito ocasionalmente em modo "desenrasque".

Mas neste momento nem que me pagassem eu utilizaria um filtro de óleo da hiflo. lol

(12-12-2014 às 10:51)OFFICER Escreveu:  Posso dizer que não sabendo que filtro de ar a minha moto tinha antes, o que comprei da hiflo é muito superior ao que lá estava, sendo que a parte metálica é melhor e a própria vedação também. Eu até tinha por ai uma foto deles, a ver se encontro.

Não podes comparar a importância de um filtro de ar com o filtro de óleo.  disapointed
São coisas completamente diferentes e com importâncias também distintas.

O filtro de AR é pacífico!
O motor não vai gripar por má lubrificação se o filtro de ar entupir.  bigsmile
Quanto muito fica asmático e anda menos. Mas um filtro de ar entupido é para o motor o mesmo que enrolar menos o punho.
E até podes andar sem ele! Claro que o pó e cotão que o motor engole terá consequências a longo prazo... mas há muito boa moto aí na malta dos trackdays com vários anos de esfregas em cima e nunca levaram um filtro a nao ser na rodagem.

Agora, o filtro de óleo... é um mundo completamente diferente!
Excerce enorme pressão na bomba, e se este prende ou entope não chega lubrificante à zona superior do motor onde é suposto lubrificar a distribuição. Em muitos motores, não chega em quantidades e pressão suficientes para além de lubrificar, permitir também arrefecer o que acaba por o "fritar" e desaparecer misteriosamente.
A porosidade do papel é suposto ser adequada à viscosidade e pressão do circuito. E se ele se desfaz, o motor passa a ser lubrificado por... pasta de papel!

Depois há outro problema: A maioria das motos só tem a luz indicadora de pressão.
E pressão é coisa que não falta num filtro entupido.

Faço em casa practicamente tudo (desde que não envolva ligar a consolas especificas) e devo ter cerca de meio milhão feito em várias motos usando filtros de concorrência.
Mas hoje olho para trás e concluo que alguns problemas com consumo de oleo prematuros que tive derivaram daí.
E a realidade é que nenhum dos meus mecânicos de confiança usa filtros de óleo que não os originais, mesmo obtendo maiores margens com os de concorrência.


(12-12-2014 às 10:51)OFFICER Escreveu:  E sim, um fole não se muda de ano a ano, mas no caso das XJ muda-se bastantes vezes...

Não deixa de ser peça de substituição e não um consumível.  disapointed

Um agente yamaha deve receber semanalmente várias XJ para revisão. Não acredito que todas precisem de um fole.

No que diz respeito a peças, 4 dias até é um tempo aceitável de espera.
A maioria das marcas deixou de fazer stocks, pelo que esse é o tempo de chegar de outros agente ou da representação ibérica.

Recentemente esperei 2 meses por uma simples ficha da bosch que a BMW utiliza em praticamente todos os modelos do catálogo. Estava esgotada em todos os países que poderiam disponibilizar a mesma!
Também já esperei mês e meio por um retentor para uma 600RR, que não é propriamente um modelo raro em Portugal.
Responder
#25

Sim eu não me queixei dos 4 dias, apenas referi porque caso o filtro não esteja em stock, esse é o tempo de espera mesmo que pareça pouco.

Continuo a dizer, filtros de concorrência ou whatever desde que sejam bons, cumprem o seu papel, quer seja em carros, quer seja em motos e digo isto por utilizar os mesmos e nunca ter tido problemas.

Agora questiono, se no teu caso, fosse um filtro de origem que estivesse na moto quando se desfez, o filtro continuaria a ser bom? thumbsup
Responder
#26

Como já referi, o meu caso não é isolado.
Infelizmente foi preciso passar pela má experiência para descobrir outras situações idênticas. Algumas até com pessoas conhecidas.

Provavelmente sou é dos poucos que nunca teve pudor em falar do assunto. Pois quando ocorrem problemas deste tipo, a malta repara o motor sem que ninguém saiba e de imediato despacha a moto como "impecável"! blink

(Eu ainda fiz mais 140 mil km depois do sucedido. E vendi a moto com 220 mil oferendo garantia de a retomar caso desse algum problema)

Se o problema ocorre com um filtro original, considero que existe ali um defeito de fabrico.
E nessas condições tenho forma de me salvaguardar como já me aconteceu com outros consumíveis e componentes no passado. E se a manutenção for feita num agente oficial, ainda é mais fácil.

Recorrendo a um consumível "pirata" ainda por cima low budget, é mais complicado. O vendedor não assume. A comunicação com o fabricante é nula. E a marca da moto lava as mãos no momento em que usas um produto que não é o recomendado.

Aparte disso há o facto de que aquele filtro em questão tem uma qualidade visivelmente inferior.
O o-ring parece plástico, o invólucro mais parece uma lata de refrigerante e o papel no interior é de uma materia mais fibrosa que o original.

Do que pesquisei posteriormente, estas marcas utilizam materiais com especificações genericas para que se possam adequar a vários motores, alterando só o processo de produção de acordo com o tipo de montagem.
Mas nem quero ir por aí, pois acredito que os parâmetros sejam adequados quanto baste. Além disso, o tipo de utilização genérica que a malta faz das motos nem chega a ser suficiente para ter problemas. E quando dá problemas é porque já é "velha"... ou porque "toda a gente sabe que 60 ou 70 mil km é muito para uma moto"!
(adoro quando dizem isso)

Pessoalmente não acho que justifique a poupança, sobretudo sendo o filtro de óleo (e não ar) um elemento muito importante de uma parte bastante sensível do funcionamento do motor.

E acho que isto é bastante racional.
Não acho por exemplo que umas pastilhas de origem por serem mais caras sejam melhores que umas EBC ou Carbone Lorraine... Ou que as velas da NGK que a Yamaha vende na caixinha com o logo deles seja melhor que as NGK com exactamente a mesma referencia que compras na motoclasse.
Responder
#27

Após a análise ao vossos pareceres, vou por um 10W40, pelas minhas ideias concordo com o que a maioria disse relativamente ao óleo.

Em caso de dúvida, acelere...
Responder
#28

Obrigado pelos conselhos pessoal. agora só falta de ir a uma loja
Responder
#29

(11-12-2014 às 13:51)dfelix Escreveu:  Seguido o manual, as recomendações andam em torno do seguinte:

[Imagem: xj600oil_zps7b73bf6c.jpg]

A Yamaha não é inocente com estas recomendações.
São as viscosidades do Yamalube!

Tens no mercado um vasto numero de lubrificantes com um leque mais abrangente de temperaturas.
Daí que a maioria das motos deste tipo utilizem um SAE 15W/50.
Afinal, não só é mais adequado no arranque frio nesta época do ano, como nas temperaturas altas do verão.

O mais importante será respeitar o API SG... que na realidade é uma classificação obsoleta.
A maioria dos librificantes actuais cumprem classificações mais "modernas", mas isso é quase irrelevante para a tua moto.

O importante é que respeite pelo menos a recomendada pelo fabricante.

[Imagem: 4t-jaso-info-600x348ds.jpg]
(Aquele JASO MA significa que o lubrificante é adaqueado a motores cujo lubrificante é partilhado entre motor. Muitas marcas nem sequer fazem esta indicação, pois é o tipo predominante e para os restantes isto acaba por ser irrelevante)

Em resumo,
Para uma XJ600 eu utilizaria um semi-sintético 15W40 que fizesse referencia ao API SG.

Tão ou mais importante que a escolha do lubrificante, é a do filtro de oleo.
Evita  chinesices.
(Pessoalmente só utilizo filtros de origem. E só recomendo filtros de origem. E sou fundamentalista nesta escolha.)

E se fizeres a troca em casa, não te esqueças de substituir a anilha do bujão!  bigsmile
Aquilo é suposto esmagar no aperto.

Boas, tenho uma Diversion 900 e uso o Motul 7100 10W40, achas que estou a fazer mal em usar um sintético?
Uma questão, no manual aconselha a troca de óleo de 6 em 6 mil, contudo na altura o óleo que ela trazia era um óleo mineral 20w50... com a evolução dos óleos e, sendo o que uso sintético, mantenho o intervalo de troca igual ou posso fazer mais quilômetros? A qustão nem é pelo preço do óleo e do filtro, a questão é achar desperdício trocar aos 5mil (como alguma gente aconselha) e atirar óleo ainda com qualidade ao lixo...
Responder
#30

Não há qualquer problema em usares 100% sintético.
O que pode acontecer é depois de tantos anos a sopa de feijão ela estranhar o caldinho de marisco.
E agora alambazar-se um pouco.

Parece-me mais "problemático" o facto de ser um 10W40.
Não que cause problemas ao motor. Não causa.
Pode é ser consumido/queimado mais depressa. Sobretudo em dias quente como tem estado.
Portanto, recomenda-se observação regular.

É que os motores refrigerados a ar habitualmente trabalham com maiores tolerâncias.
Ou seja, uma maior folga interna nos componentes que dilatam. O que significa que lubrificantes de menor viscosidade podem se escapar e ser consumidos mais facilmente, normalmente a frio.
Daí que para o nosso clima, a maioria dos air cooled costuma ter indicado no manual viscosidades na casa dos 15W40.

Eu no teu caso não inventaria com os intervalos.
Manteria os 6K. Apenas optaria por um semi-sintético decente dentro destas viscosidades dos 15W40/50.
Não me parece que esse moto pelos anos que tem, rodagem que tem com minerais e pelo tipo de motor que é, tire algum proveito de algo pensado para motores com mecânicas com outros tipos de refrigeração e materiais.

Muito provavelmente o que escrevi foi gerado automágicamente através do Moto Lero
Responder




Utilizadores a ver este tópico: 1 Visitante(s)