Lei Seca
#31

(17-04-2019 às 15:16)marco.clara Escreveu:  Quase tão mau como a histeria coletiva, é a indignação generalizada. Tentar conhecer os factos é regra geral muito mais interessante e útil do que tecer prematuramente juízos de valor.

A quem interessar, recomendo está leitura:

[Imagem: factfulness.jpg]

A sabedoria popular sempre apregoou «Só quem está no convento é que sabe o que vai lá dentro».
Mas em pleno contra-senso, fazer considerações superficiais e juízos de valor estigmatizados acerca de terceiros (para além dos histerismos colectivos), é outra das características intrínsecas ao modo de ser "tuga"... Mesmo que disso só se tenha uma ténue ideia com base no que o primo do vizinho da colega do filho do amigo da namorada, disse. wtf



Responder
#32

Acabei agora de ouvir na Antena 1. Começa a haver tendência a outros bens escassearem em resultado directo desta greve... um exemplo é o gás em botija... e (imagine-se), o tabaco!
Desconhecia que o tabaco só podia ser transportado por este tipo de motoristas... é considerado material perigoso! bigsmile lol



Responder
#33

(17-04-2019 às 09:34)marco.clara Escreveu:  A mim choca-me mais a histeria coletiva que invariavelmente agrava (e muito) este tipo de situação, do que ver uma classe lutar pelos seus direitos, com as ferramentas que a lei lhe assiste. Os meios de comunicação não ajudam. Hoje já começaram a apontar armas para a eventual escassez de bem nos supermercados, por isso é de esperar que até ao final do dia haja corrida às compras de fim de mês antecipadas.

(17-04-2019 às 16:13)carlos-kb Escreveu:  Acabei agora de ouvir na Antena 1. Começa a haver tendência a outros bens escassearem em resultado directo desta greve... um exemplo é o gás em botija... e (imagine-se), o tabaco!

I rest my case...
Responder
#34

(17-04-2019 às 16:18)marco.clara Escreveu:  
(17-04-2019 às 09:34)marco.clara Escreveu:  A mim choca-me mais a histeria coletiva que invariavelmente agrava (e muito) este tipo de situação, do que ver uma classe lutar pelos seus direitos, com as ferramentas que a lei lhe assiste. Os meios de comunicação não ajudam. Hoje já começaram a apontar armas para a eventual escassez de bem nos supermercados, por isso é de esperar que até ao final do dia haja corrida às compras de fim de mês antecipadas.

(17-04-2019 às 16:13)carlos-kb Escreveu:  Acabei agora de ouvir na Antena 1. Começa a haver tendência a outros bens escassearem em resultado directo desta greve... um exemplo é o gás em botija... e (imagine-se), o tabaco!

I rest my case...

Marco, falei da possível escassez de tabaco à venda... como resultado directo da greve... de igual forma com os combustíveis ou o gás em botija (entre muitas outras matérias consideradas "perigosas").

Claro que por arrasto e indirectamente, todos os outros bens de consumo (não perigosos) poderão ser comprometidos. Basta não haver combustível para o transporte dos mesmos.



Responder
#35

(17-04-2019 às 14:57)dmanteigas Escreveu:  Não sei que profissionais são esses licenciados que ganham mais 200-300€ em entrada de carreira na função publica. Os técnicos superiores? 1200€, o que creio que seja o mesmo. Os TDT devem andar pelos mesmos valores também.

Não entendo sequer essa questão de "entrada de carreira" porque não existem carreiras.
Quem começa a trabalhar agora recebe o mesmo que os que começaram há prai 12-14 anos atrás quando as carreiras foram congeladas.
O que significa que tens funcionários licenciados, muitos deles com especialidade (que equivale a uma pós-graduação) que não levam sequer 1000 euros para casa.
Técnicos de radiologia ou de análises na maior parte dos casos nem sequer são licenciados.

(17-04-2019 às 14:57)dmanteigas Escreveu:  Os médicos auferem valores superiores pelos motivos óbvios, assim como os farmaceuticos.

Porém um interno ganha 1600 euros... quando na prática é um estagiário.
Mas nos médicos as coisas são diferentes porque há imenso outsourcing. E sobretudo porque têm uma Ordem que a todo o custo os coloca numa "classe" à parte.

Desconheço a realidade dos farmacêuticos e faz sentido que tenham um vencimento equiparado à sua posição.
Só coloco em causa as situações dos que não o têm.
Mas isto é uma questão cultural, e no caso da enfermagem há ainda a imagem que se trata de malta que está ali apenas para cumprir o que o médico ordena.

(17-04-2019 às 14:57)dmanteigas Escreveu:  A maior parte de vocês são de uma geração diferente. A minha geração é a geração que começou a trabalhar com os estágios profissionais de perto de 700€, sem subsidios de ferias e de natal e sem direito a férias (o meu caso).

Claro... afinal o recibo verde foi inventado só porque entraste no mercado de trabalho.


Quanto aos motoristas...
Nem fazia a mínima ideia que se tratava de função pública.
E se isto for como o que se passou com os estivadores, a comunicação social irá de forma exemplar passar uma imagem diferente da realidade.

Muito provavelmente o que escrevi foi gerado automágicamente através do Moto Lero
Responder
#36

O problema é que não tenho gasolina na marreca... e agora... também está de chuva...

[Imagem: SM4eYt9.png]
Responder
#37

Um condutor profissional, para além da carta de condução com as respectivas categorias tem que ter o CAM, uma espécie de mestrado em segurança e higiene no trabalho, leis de transporte, estiva e períodos de condução e descanso (561\06 CE).
No caso do transporte de mercadorias perigosas o ADR estabelece 4 categorias, Básico, Cisternas, Radioactivos e Explosivos.

Cada uma destas formações teem que ser recicladas a cada 5 anos, com o consequente risco de perderes o teu posto de trabalho sempre que falhas uma reciclagem.

Um condutor profissional que não esteja isento da Norma 561,não tem horário de trabalho defendido, a maioria das doenças incapacitantes (diabetes, Cardio Vasculares, doenças esqueleto-articulares etc, não são consideradas doenças profissionais.

Noventa por cento dos que fazem parte desta classe profissional, são-no por uma veía vocacional e quando uma pessoa faz o que gosta, sabe valorizar o que faz e marca os limites.

Eu sou um profissional do sector, transporto mercadorias de alto valor e tenho que respeitar um imenso número de protocolos de actuação, para além de estar também habilitado para o ADR Básico e Cisternas.

Esta luta é só uma melhora nas remunerações de uma pessoa que hoje começa a trabalhar as 12h e pode só chegar a casa (quando não dormem no camião) 15h depois, ou seja 15h úteis das quais 10h podem ser de condução, 3h30 de disponibilidade ou outros trabalhos esó 1h30 obrigatória como descanso.

Fica aqui só para saberem.
Posso prestar mais esclarecimentos se ainda houver dúvidas.

I just don't run with the crowd!

www.loneriderendlessroad.com
Responder
#38

Isto está a ficar muito sério e daqui a bocado está tudo a chamar nomes uns aos outros.

Aqui fica o meu contributo para aligeirar a coisa:



blink V
Responder
#39

Onde é que anda o Areias...

Afinal carte de pesados dá titulo académico...

LOL

[Imagem: SM4eYt9.png]
Responder
#40

(17-04-2019 às 17:46)nelsonajm Escreveu:  Onde é que anda o Areias...

Afinal carte de pesados dá titulo académico...

LOL

La chegaremos, lá chegaremos!

I just don't run with the crowd!

www.loneriderendlessroad.com
Responder




Utilizadores a ver este tópico: 1 Visitante(s)