legislação
#81

(12-01-2016 às 12:29)ACORXX Escreveu:  nestes casos posso garantir que fizeram a um colega meu que possui uma DR350 já com alguns anos ( mais de 10 ) a ir comprar um dispositivo para o descanso ( chamado corta corrente caso esteja engatada) o que mesmo com a declaração da marca a dizer que a mota vem de origem sem aquele acessório eles não quiseram saber e disseram que timham de ter.

Há motos que de origem não trazem(iam) killer switch no descanso lateral. Um bom exemplo, são(eram) as Buell.
Não basta ao inspector dizer que tem de ter.... ele tem de se basear na legislação, e para o exigir, tem de indicar o que está em desconformidade com o que a lei refere.

(12-01-2016 às 12:29)ACORXX Escreveu:  outra foi uma crf 450 de 2009 que vem matriculada e com luz dianteira e traseira mas não tras espelhos ou piscas de origem... não a p+assam em IPO pois dizem que tem de ter os piscas.... e nem mesmo novamente com a declaração da marca eles a passaram....

se fores ver á marca e perguntares existe um kit á venda ( extra) onde estão incluídos os piscas.....

Se é um extra, não és obrigado a comprá-lo. Se a moto está homologada para circular sem piscas, não é por haver um extra que complementa isso, que te irá impedir de obter a respectiva conformidade e aprovação numa IPO. Novamente aqui, é necessário justificar do ponto de vista legal, o motivo da reprovação.

(12-01-2016 às 12:29)ACORXX Escreveu:  quanto a legislação a que esta em vigor ( e temos de ir sempre pela nacional embora a mandatoria seja a da UE ) é a portaria 851/94 não existe nenhuma outra que se sobreponha a esta...

A UE não faz leis para os países.... apenas cria Directivas Comunitárias, que deverão ser adoptadas pelos países membros e transpostas para a legislação interna e nacional de cada um. Essa transposição tem sempre um prazo dado pela Comissão Europeia.
O mais que pode acontecer, por um país não o fazer, e ter sanções de carácter pecuniário (multas). Ou seja, haver uma Directiva Comunitária, não é forçoso que o que ela diz, já tenha que estar em vigor em dado país, pois pode ainda não ter sido transposta para o Direito nacional.

(12-01-2016 às 12:29)ACORXX Escreveu:  por isso eles se disserem que tem de ter... tem de ter não importa o ano..... o que é sempre uma treta

Continuo a perguntar, aonde está isso escrito, sendo que nessa mesma Portaria, apenas é feita alusão a "Nos motociclos que possuam luzes de mudança de direção. Então e os que não possuem?

(12-01-2016 às 15:21)ACORXX Escreveu:  
(12-01-2016 às 13:53)nelsonajm Escreveu:  para medirem DB terão de o fazer em câmaras insonorizadas... se não o fizerem... o teste vale "ZERO"

pois... pode dizer-me onde viu isso escrito?  o medidor terá de estar certificado com o devido selo colocado ... de resto  o teste é feito no exterior..... nunca dentro das instalações.

E já agora não querendo ser muito chato.... se a PSP o mandar parar numa operação de controlo e lhe disserem que vao efetuar a medição de ruido.... também o vao levar para uma camara insonorizada? se não o levarem não o podem multar pois não? ou neste caso é diferente?

(12-01-2016 às 16:16)nelsonajm Escreveu:  Na rua e com o motor desligado já o aparelho mede uns quantos db's.... Fiz-me entender?

O que o Nelson diz está correcto, e também já o tinha dito ali atrás. Uma perfeita medição de ruído só se poderá fazer em câmara acústica e insonorizada de ruídos "parasitas", para que o resultado seja fiável.
Eu coloco a questão pela inversa.... aonde está escrito que um teste de ruído pode ser feito num vulgar IPO, no exterior?
Na rua, mediante a zona que seja, mais ainda que seja uma zona sem grandes ruídos e sem trânsito, qualquer sonómetro já indica 40 a 50 db com a maior das facilidades.
Agora imagina que essa medição é feita no exterior, como referes, e que terias um valor de 90db na moto. Bastava por exemplo o som de um camião que está ali também ao lado, a fazer IPO, ser apanhado pelo sonómetro, para te elevar automaticamente o valor para um nível ilegal, quando na realidade até tinhas um índice decibélico legal.
O Regulamento Geral do Ruído é o diploma legal que rege esta temática.

A menos que desconheça, numa operação de fiscalização na via (aka operação stop), não te poderão fazer qualquer ensaio ou teste, seja ele mecânico ou acústico, mas apenas visual (luzes, pneus, matrícula, etc.).

__________________________________________________

O que te posso dizer mais? Já pensaste, e face a essas situações todas, fazer uma exposição escrita para a FMP, e ver qual a resposta? É que por desta forma, quer-me parecer que esses centros de IPO nos Açores estão a querer sobrepôr-se à lei e impor a sua própria lei, sabe-se lá com que objectivo (notinha a passar por debaixo da mesa?) disapointed

[Imagem: zX4Kq81.png]

Responder
#82

E já agora seria importante perceber o que é feito nessas inspecções a motos nos Açores, quais são os pontos inspeccionados/testados... para perceber se estão de acordo com a Lei ou acima desta...

[Imagem: SM4eYt9.png]
Responder
#83

E logo agora que estava a pensar montar um "Big Bore Kit" na marreca... quando fizer a inspecção, será que vão abrir o motor para ver se a cilindrada é mesmo a que vem no livrete...

[Imagem: SM4eYt9.png]
Responder
#84

[Imagem: Fluxo-Motociclos.png]
Responder
#85

já efetuei a respetiva carta a pedir parecer ao exposto, aguardo resposta por parte deles..... ( carta enviada para a DVG de ponta delgada, pois é ate agora o único sitio onde posso recorrer... caso saibam de mais algum agradeço...  )

Adquiri um farol traseiro em LED para o meu motociclo que faz a agrupagem de luzes ou seja efetua as seguintes funções:
- Indicadores de mudança de direçao
- Luz de presença
- Luz de travagem
O mesmo encontra-se homologado e contém a seguinte menção registada exteriormente:
SAE ST08 DOT (E13) 50R-0012368
Ao deslocar-me ao centro de inspeção no dia 05/01/2016 para efetuar a devida IPO ao motociclo de marca Yamaha XJ6N , matriculada a 21/01/2010
 O Sr. Inspetor informou-me que teria de ter os piscas traseiros distanciados do eixo longitudinal de assimetria da moto em cerda de 200mm para cada um dos lados (informação corroborada pelo Sr. Eng. Andre Melo representando a aérea de homologações / legislação na Direção Geral de Viação de Ponta Delgada).
Fui colocar os indicadores de mudança de direção na secção traseira do meu motociclo de modo a que a mesma obedecesse aos critérios definidos e expostos pelo Sr. Inspetor, que me indicou estarem descritos em legislação.
Apresentei-me novamente no centro de inspeção com os indicadores montados e foi-me dada a folha de IPO sem qualquer tipo de observação atestando que o veiculo esta dentro dos parâmetros definidos por lei afim de circular na via pública.
Não querendo colocar ninguém em questão, mas com vontade de me inteirar dessa mesma legislação, efetuei um telefonema para o Sr. Eng. Andre Melo que atenciosamente disponibilizou a legislação em vigor (Portaria 851/94 de 22 de Setembro).
   Ao ler a mesma, deparo-me que existe uma alínea que não obriga os motociclos a ter os indicadores distanciados em 200mm do eixo longitudinal assimétrico do veículo, conforme poderão verificar nas alíneas D e J do parágrafo 7, o qual transcrevo abaixo:
(….) ‘’7 -º Os veículos automóveis ligeiros e pesados e seus reboques devem possuir luzes indicadoras de mudança de direção, com as seguintes características:
(….)
d) Deve ser respeitado o seguinte posicionamento:
Em largura:
Devem estar situadas a uma distância máxima aos bordos que limitam as dimensões máximas do veículo de 400 mm;
Devem estar situadas a uma distância mínima do plano longitudinal de simetria do veículo de 300 mm;
Quando a largura total do veículo for inferior a 1300 mm, aquela distância pode ser reduzida para 200 mm;
j) Nos motociclos que possuam luzes de mudança de direção, estas deverão respeitar as disposições aplicáveis constantes no presente número, com exceção do que se refere ao posicionamento em largura. (…)’’
 
Pelo que consigo depreender após uma leitura cuidada deste parágrafo é que os indicadores de mudança de direção terão de estar instalados no motociclo tanto á frente como na retaguarda, como o meu motociclo apenas tem 770mm de largura (distancia apresentada nas características do veiculo no site oficial da marca do mesmo) segundo a alínea J a distancia em largura face ao eixo longitudinal assimétrico não se aplicará, volto a frisar pelo que compreendi das alíneas anteriores.
 
Venho também solicitar se existe alguma legislação que englobe os Díodos Emissores de Luz (LED) e no caso de homologações quais as indicações que deverão constar nesse componente.
 
Após o exposto ficarei a aguardar a vossa deliberação.
 
Responder
#86

Uiiii... o que tu foste arranjar.....

Pessoal... daqui a dois meses já temos IPO´s no Continente...

[Imagem: SM4eYt9.png]
Responder
#87

(12-01-2016 às 18:11)nelsonajm Escreveu:  Uiiii... o que tu foste arranjar.....

Pessoal... daqui a dois meses já temos IPO´s no Continente...

então? smile
Responder
#88

(12-01-2016 às 17:44)nelsonajm Escreveu:  E logo agora que estava a pensar montar um "Big Bore Kit" na marreca...

Se nem a que tens, consegues usar na sua plenitude, para que é que queres mais? tong devil

Faz lembrar aqueles gajos que compram uma moto de 200cv, e não contentes com isso, ainda optam por kits de ram-air opcionais, power-commanders, repros maradas, centralinas de competição ou sei lá que mais... mas com uma de 100cv fariam exactamente o mesmo, por falta de KDU. lol

[Imagem: zX4Kq81.png]

Responder
#89

"Efeitos nocivos"?  disapointed

Hummmmm.... Lá terei que tirar os mosquitos do vidro antes de a levar à mariazinha à inspecção...  wtf

Mas seriously!...

Estes são itens "abertos à imaginação" dos srs. inspectores ou estou a ver mal a coisa?

[Imagem: wrong-bike.jpg]
Responder
#90

(12-01-2016 às 17:01)carlos-kb Escreveu:  Continuo a perguntar, aonde está isso escrito, sendo que nessa mesma Portaria, apenas é feita alusão a "Nos motociclos que possuam luzes de mudança de direção. Então e os que não possuem?

Carlos, o que está em vigor já não é esse DL de 1994, mas o DL 132/2002, que o Officer colocou mais acima e este diz:

Citar:SECÇÃO I
Das prescrições gerais
Artigo 168.
o
Dispositivos de iluminação e de sinalização luminosa
1 — Todos os motociclos de duas rodas devem estar
equipados com os seguintes dispositivos de iluminação
e de sinalização luminosa:

a) Luz de estrada (máximos);
b) Luz de cruzamento (médios);
c) Luzes indicadoras de mudança de direcção;
d) Luz de travagem;
e) Luz de presença da frente;
f) Luz de presença da retaguarda;
g) Dispositivo de iluminação da chapa de matrícula
da retaguarda;
h) Reflector da retaguarda não triangular.

Portanto, já são obrigatórios.
Responder




Utilizadores a ver este tópico: 1 Visitante(s)