KTM 990 Duke
#11

Sim, pedromt07, e a Africa Twin também, mas não estão ainda no patamar da "Super Adventure" em termos de números. Até arrisco: safam-se com um 2 em paralelo de baixa potência porque os PVP estão abaixo do topo do segmento.

Se as incluirmos, sim, é verdade. Mas já repararam que as KTM grandes parece que estagnaram em números? A Ducati passou para o V4, mas subiu imenso de PVP. Se o 1290 da KTM não for mais «esticável» em termos de números, não vejo a KTM com a mesma imagem da Ducati para vender um V4 a preços elevados.

Só resta um novo V2 ou um 2 cilindros em paralelo.

O insignificante
Responder
#12

A KTM tem acima de 150 cv naquele V2 há uns anos valentes, desde 2013 se não estou em erro.

Nessa altura, qual era a potência de todas as outras Adventure? Inferior. Binário talvez o Boxer se chegasse.

Depois subiu para os 160, e mantém. Onde andava o V2 da Ducati em termos de cifras de potência e binário? Ainda hoje o V4 dos tais 170 cv tem "apenas" 125 Nm, já o Laranjinha mantém os 140Nm.

O mesmo bloco (com algumas alterações) existe numa besta chamada Super Duke R, com 180 cv. Era fácil ir atrás dos 170 da Ducati, não?

Isto de olhar apenas para os cavalos de um modelo, tem muito que se lhe diga.

Se apenas se visse isso, as GS da cofidis não vendiam quase nada. Nem a Africa Twin, com meros 100 cavalitos.
Responder
#13

(29-07-2021 às 09:25)MotardFeio Escreveu:  Onde andava o V2 da Ducati em termos de cifras de potência e binário?

1199 Panigale (2012-2015)
V2 - 1198 cm³
195cv - 132 Nm
(203cv - 134 Nm na versão "superleggera")

1299 Panigale (2015-2018)
V2 - 1285 cm³
205cv - 144,6 Nm
(215cv - 146,5 Nm na versão "superleggera")

Há uma década atrás que o "superquadro" já estava no mercado com "cifras" de potência e binário bastante interessantes. rolleyes

(29-07-2021 às 09:25)MotardFeio Escreveu:  Ainda hoje o V4 dos tais 170 cv tem "apenas" 125 Nm, já o Laranjinha mantém os 140Nm.

Para a mesma capacidade, um V4 nunca terá tanto binário quanto um V2.
Pelo simples facto de serem motores com menor curso.

Não faz muito sentido estar a orientar a discussão para KTM vs Ducati porque ambos os construtores já nos mostraram que têm prioridades diferentes nos seus produtos de referência.

Apesar do actual catálogo da Ducati ser bastante diversificado, as desportivas sempre foram o segmento de eleição.
Mesmo não sendo os produtos que a marca mais vende, são o que maior visibilidade oferecem.
Portanto, foi nisto que focaram o desenvolvimento do V2 enquanto consideraram ser sustentável.

Para as desportivas a potência pico é fundamental.
E se há construtor que trabalhou de forma contínua para evoluir o V2 nesta direcção foi a Ducati.
O problema é que para se conseguir potências pico elevadas são necessárias certas cedências ao nível da geometria dos motores.

Estamos a falar de um segmento de mercado onde a KTM há muito que enfiou a viola no saco.
E por muitos rumores que possam surgir.. não parece existir no horizonte nenhuma sucessora do que foi ou tentou ser a RC8.
Focaram-se numa "power naked" e numa "adventure" mais espevitada. E fizeram muito bem.
Porque ambos os produtos não só são bandeira do construtor como referências nos respectivos segmentos.

Se a KTM decidir lançar uma nova RC8 baseada no 1290, o mais certo seria ter que o modificar numa abordagem muito idêntica ao que a Ducati fez no 1299.
Também o mais certo seria perceberem que o caminho seria adoptar o V4.
E não me admiraria nada que nos planos da KTM possa eventual estar um V4 derivado da RC16.

Muito provavelmente o que escrevi foi gerado automágicamente através do Moto Lero
Responder
#14

(29-07-2021 às 16:05)dfelix Escreveu:  Também o mais certo seria perceberem que o caminho seria adoptar o V4.
E não me admiraria nada que nos planos da KTM possa eventual estar um V4 derivado da RC16.

Um homem pode sonhar.


[Imagem: images?q=tbn:ANd9GcRyEw0shsDXCAV4FtYSBxI...o&usqp=CAU]

[Imagem: 3a28d74fcda810d6526bb56e69702394.jpg]
Responder
#15

(29-07-2021 às 16:17)Liquid_Fire Escreveu:  Um homem pode sonhar.

E o passo seguinte seria... uma Super Duke V4! lol

Muito provavelmente o que escrevi foi gerado automágicamente através do Moto Lero
Responder
#16

Um V4 seria sensacional! Custa é mais pagar uma KTM do que uma Ducati.

Uma Ducati é quase como um Patek. Vale sempre alguma coisa.

Uma KTM faz lembrar mais Richard Mille. Mais tarde ou mais cedo o valor some-se.

O insignificante
Responder
#17

(29-07-2021 às 16:05)dfelix Escreveu:  
(29-07-2021 às 09:25)MotardFeio Escreveu:  Onde andava o V2 da Ducati em termos de cifras de potência e binário?

1199 Panigale (2012-2015)
V2 - 1198 cm³
195cv - 132 Nm
(203cv - 134 Nm na versão "superleggera")

1299 Panigale (2015-2018)
V2 - 1285 cm³
205cv - 144,6 Nm
(215cv - 146,5 Nm na versão "superleggera")

Há uma década atrás que o "superquadro" já estava no mercado com "cifras" de potência e binário bastante interessantes. rolleyes
(29-07-2021 às 09:25)MotardFeio Escreveu:  Ainda hoje o V4 dos tais 170 cv tem "apenas" 125 Nm, já o Laranjinha mantém os 140Nm.

Para a mesma capacidade, um V4 nunca terá tanto binário quanto um V2.
Pelo simples facto de serem motores com menor curso.

Não faz muito sentido estar a orientar a discussão para KTM vs Ducati porque ambos os construtores já nos mostraram que têm prioridades diferentes nos seus produtos de referência.

Apesar do actual catálogo da Ducati ser bastante diversificado, as desportivas sempre foram o segmento de eleição.
Mesmo não sendo os produtos que a marca mais vende, são o que maior visibilidade oferecem.
Portanto, foi nisto que focaram o desenvolvimento do V2 enquanto consideraram ser sustentável.

Para as desportivas a potência pico é fundamental.
E se há construtor que trabalhou de forma contínua para evoluir o V2 nesta direcção foi a Ducati.
O problema é que para se conseguir potências pico elevadas são necessárias certas cedências ao nível da geometria dos motores.

Estamos a falar de um segmento de mercado onde a KTM há muito que enfiou a viola no saco.
E por muitos rumores que possam surgir.. não parece existir no horizonte nenhuma sucessora foi que foi ou tentou ser a RC8.
Focaram-se numa "power naked" e numa "adventure" mais espevitada. E fizeram muito bem.
Porque ambos os produtos não só são bandeira do construtor como referências nos respectivos segmentos.

Se a KTM decidir lançar uma nova RC8 baseada no 1290, o mais certo seria ter que o modificar numa abordagem muito idêntica ao que a Ducati fez no 1299.
Também o mais certo seria perceberem que o caminho seria adoptar o V4.
E não me admiraria nada que nos planos da KTM possa eventual estar um V4 derivado da RC16.

V2 na ducati Multistrada, fdx

Agora ir buscar as superlegera para comparar com uma super adventure!

Só estou a falar em "trails", que era a direcção nos últimos posts, na estrada conheço bem o percurso da ducati, vê lá que até já andei a passear e a falar na linha de montagem dentro da fábrica com os gajos que lá trabalham. E o museu tb mostra lá a história, se bem que está pobrezinho para o que podia / devia ser.

Pa qué tanto pão...

==================================
Sombra, saúde e Pau nas nalgas!

Que deus não pode dar tudo...
==================================
Responder
#18

E que tal? A fábrica no Borgo deve ser soberba.

O insignificante
Responder
#19

(29-07-2021 às 16:27)dfelix Escreveu:  E o passo seguinte seria... uma Super Duke V4! lol

[Imagem: 7bf.gif]

[Imagem: 3a28d74fcda810d6526bb56e69702394.jpg]
Responder
#20

(30-07-2021 às 07:59)MotardFeio Escreveu:  V2 na ducati Multistrada, fdx

Agora ir buscar as superlegera para comparar com uma super adventure!

Só estou a falar em "trails", que era a direcção nos últimos posts, na estrada conheço bem o percurso da ducati, vê lá que até já andei a passear e a falar na linha de montagem dentro da fábrica com os gajos que lá trabalham. E o museu tb mostra lá a história, se bem que está pobrezinho para o que podia / devia ser.

Pa qué tanto pão...

Quando questionaste "onde andava o V2 da Ducati", sinceramente não percebi que te referias apenas a "trails". smile
Achei que fosse a capacidade de produzirem potência a partir de um V2.
E o "superquadro" das 1199 e 1299 será talvez o expoente máximo disso.

As Multistrada ressurgiram com o "testastretta 11º".
Uma motorização que divergiu do "testastretta" que surgiu na 1098.
E que teve sucessoras evoluções seguindo a mesma filosofia.
Mas... isto é algo que certamente sabes!
Afinal, conheces bem o percurso da Ducati e até andaste a passear na linha de montagem. smile

Muito provavelmente o que escrevi foi gerado automágicamente através do Moto Lero
Responder




Utilizadores a ver este tópico: 1 Visitante(s)