Kawasaki GPZ900R
#1

Boas mais uma vez, tenho tido bastante ajuda a partir deste fórum e obrigado a todos os que têm tentado ajudar.
Estou a pensar adquirir uma gpz900r, a mota dos meus sonhos, mas é uma mota já antiga e a que estou a pensar ir buscar tem cerca de 90.000km e é de 88, está a trabalhar bem. O que pretendo perguntar é se ela com esta idade e kms ainda aguentará viagens de maior distância e fazer viagens regularmente, sem servir apenas para mota de fim de semana.
Responder
#2

Com motas velhas depende muito da utilização e manutenção que teve. Se fizeres una boa revisão, trocares tubos de travões, gasolina, etc., não deverás ter problemas. Se é a que mais gostas, avança. Prepara-te para gastar dinheiro. Se acabares por não gastar, ficas ainda mais feliz.
Responder
#3

Não existe uma resposta única à questão que colocas. Existem demasiadas variáveis a considerar para perceber se comprar uma mota com mais de 30 anos para uma utilização diária e alguns passeios, é razoável. Para a parte dos passeios, a resposta seria sempre que sim. Um passeio que, no limite, acabe com um regresso a casa de reboque, resulta apenas em orgulho ferido e pouco mais. Já uma ida para o trabalho que corre mal por uma avaria a meio do caminho e o tempo seguinte sem viatura para deslocação até à sua reparação, incomoda muito mais.

Eu já fiz de uma quase "clássica" o meu veículo para deslocações diárias. Quando a vendi contava com mais de 80 mil kms (se uma mota com 30 anos não tivesse tantos ou mais KMS que aqueles que referes, é que seria maior motivo de preocupação) e não me deu problemas de maior.

No final, correr mal ou bem vai depender de uma soma de fatores como o estado de conservação geral da mota, se tem um histórico de manutenção adequado, se tens euros para gastar com ela e sorte... Muita sorte.

V
Responder
#4

Numa mota já com tanta idade, o problema é que ha sempre uma peça a espera de ser reformada! Mas mediante a manutenção e cuidado que teve, podes ter mota para rodar muito mais. Mas aconselhava-te numa mota já com essa idade veres alguns pontos críticos, os cabos, acelerador e embraiagem, quando parte é foda, travões, pastilhas e estado dos discos, filtros, mudares as velas, e até uma limpeza aos carburadores, isto é, se notares que por alguma motivo ele nao está a trabalhar como deve ser.
Responder
#5

Está visto que o WolfBasto quer-se armar em Maverick.

Olha bem o estado da Kelly Mcgillis actualmente... pervert

[Imagem: cjehnBG.jpg]

Uma GPZ900R, comprada hoje, pode vir a passar pelo mesmo! bigsmile
Responder
#6

(23-03-2021 às 13:16)carlos-kb Escreveu:  Está visto que o WolfBasto quer-se armar em Maverick.

Olha bem o estado da Kelly Mcgillis actualmente... pervert

[Imagem: cjehnBG.jpg]

Uma GPZ900R, comprada hoje, pode vir a passar pelo mesmo! bigsmile

Fui apanhado! ahaha 
Mas o melhor piloto era mesmo o Iceman!
Responder
#7

Em termos de aspeto até podes encontrar exemplares da mota sem o "desgaste" apresentado pela Kelly...

Exemplo aqui.

No entanto, acredito que este seja o caso prático de uma mota que, ao conduzir-se, sofre do efeito RTP Memória...
... aqueles programas que gostavas de ver antigamente já não têm a mesma piada se os vires nos dias de hoje.
Responder
#8

(23-03-2021 às 13:37)marco.clara Escreveu:  Em termos de aspeto até podes encontrar exemplares da mota sem o "desgaste" apresentado pela Kelly...

Exemplo aqui.

No entanto, acredito que este seja o caso prático de uma mota que, ao conduzir-se, sofre do efeito RTP Memória...
... aqueles programas que gostavas de ver antigamente já não têm a mesma piada se os vires nos dias de hoje.

Eu não gosto nada das linhas das motas modernas, apesar de serem mais divertidas de conduzir e terem mais algumas seguranças. 
Gostava de ter uma mota que considero bonita apesar de não ter todas as funcionalidades..
Obrigado pelas respostas.
Responder
#9

Camarada... Estás motos recentes são como os smartfodas mais sofisticados... Tiram fotos com 50mpx, som surround, etc, etc... Mas no final... Todos fazem chamadas...

Nas motos não é muito diferente... Podem ter montes de gadgets... Mas no final... Todas servem para nos deslocarmos... Com mais ou menos estilo... Com mais ou menos facilidade...

Numa moto dessa idade... Posso dar-te a minha opinião... Pois há uns 4 anos comprei uma Bandit400 que decidi restaurar, sem entrar em grandes loucuras, o básico, para que a moto fosse segura, ficasse com bom aspeto, trabalhasse como no dia em que foi vendida, entre mais uma série de coisas....

O estrago foram gastar 4 vezes com este restauro, o valor que paguei por ela....

Valeu a pena... É relativo... A verdade é que me faz virar a cabeça muito mais que a Ducati que está lá ao lado, de casa vez que a estacionou na garagem...

E isso para mim, vale bastante, mas do que a Pseudo performance que se possa ter numa Suzette gsf 400...

Embora haja pontos comuns a verificar nesta minha gsf400 e numa tua futura gpz900r... Que sao:

Instalação eléctrica, com os anos os fios podem ficar recequidos, as fichas partem, desfazem-se, e pode ser uma grande dor de cabeça...

Sistema de refrigeração... Muita atenção aqui, verificar, testar e voltar a verificar e testar as vezes que forem precisas..

Sistema de lubrificação, se possível, testar a pressão do circuito a quente a frio. Que é uma forma de identificar-se potenciais problemas e desgastes em componentes que não podes desmanchar, sem venderes um rim.

Teste de compressão a seco e molhado com motor frio, e a quente, consegues ter uma noção do tempo de vida que esse motor ainda possa ter para te dar.

De resto, tudo o que se procura numa moto usada, e que é comum na compra dum veículo usado.

Depois disto tudo... E se tiveres a mota em estado original, tens sempre a hipótese de pedir o certificado de veículo de interesse histórico, que te pode servir num dia em que tenhas o azar de teres de te chatear com a seguradora de alguém que te deu um toque no parqueamento do shopping.

Boa sorte, e se seguires em frente... Não te vais arrepender.

Uma nota final... Se seguires em frente, é se te sentires capaz para tal, faz tudo o que puderes fazer, e não entregues a outros para o fazerem por ti, tem outro sabor e realização, isto claro, se tiveres tempo ou disposição para tal.

Boa sorte.

[Imagem: SM4eYt9.png]
Responder
#10

(23-03-2021 às 14:17)nelsonajm Escreveu:  Camarada... Estás motos recentes são como os smartfodas mais sofisticados... Tiram fotos com 50mpx, som surround, etc, etc... Mas no final... Todos fazem chamadas...

Nas motos não é muito diferente... Podem ter montes de gadgets... Mas no final... Todas servem para nos deslocarmos... Com mais ou menos estilo... Com mais ou menos facilidade...

Numa moto dessa idade... Posso dar-te a minha opinião... Pois há uns 4 anos comprei uma Bandit400 que decidi restaurar, sem entrar em grandes loucuras, o básico, para que a moto fosse segura, ficasse com bom aspeto, trabalhasse como no dia em que foi vendida, entre mais uma série de coisas....

O estrago foram gastar 4 vezes com este restauro, o valor que paguei por ela....

Valeu a pena... É relativo... A verdade é que me faz virar a cabeça muito mais que a Ducati que está lá ao lado, de casa vez que a estacionou na garagem...

E isso para mim, vale bastante, mas do que a Pseudo performance que se possa ter numa Suzette gsf 400...

Embora haja pontos comuns a verificar nesta minha gsf400 e numa tua futura gpz900r... Que sao:

Instalação eléctrica, com os anos os fios podem ficar recequidos, as fichas partem, desfazem-se, e pode ser uma grande dor de cabeça...

Sistema de refrigeração... Muita atenção aqui, verificar, testar e voltar a verificar e testar as vezes que forem precisas..

Sistema de lubrificação, se possível, testar a pressão do circuito a quente a frio. Que é uma forma de identificar-se potenciais problemas e desgastes em componentes que não podes desmanchar, sem venderes um rim.

Teste de compressão a seco e molhado com motor frio, e a quente, consegues ter uma noção do tempo de vida que esse motor ainda possa ter para te dar.

De resto, tudo o que se procura numa moto usada, e que é comum na compra dum veículo usado.

Depois disto tudo... E se tiveres a mota em estado original, tens sempre a hipótese de pedir o certificado de veículo de interesse histórico, que te pode servir num dia em que tenhas o azar de teres de te chatear com a seguradora de alguém que te deu um toque no parqueamento do shopping.

Boa sorte, e se seguires em frente... Não te vais arrepender.

Uma nota final... Se seguires em frente, é se te sentires capaz para tal, faz tudo o que puderes fazer, e não entregues a outros para o fazerem por ti, tem outro sabor e realização, isto claro, se tiveres tempo ou disposição para tal.

Boa sorte.

Há algumas mordenices que podem ser bastante úteis, mais do que tudo um sistema de travagem com ABS..
Em relação a tudo o resto concordo, e penso que, no que toca a motas, devemos adquirir aquilo que nos irá deixar felizes. Não ficaria muito feliz se tivesse que gastar 4 vezes o valor de uma mota ahah, mas se a mota for dando problemas, como dará eventualmente, se forem coisas pequenas que se podem ir arranjando à medida que se vão estragando não causará grande impacto na carteira.
Obrigado pela resposta
Responder




Utilizadores a ver este tópico: 1 Visitante(s)