Gasolina low-cost
#11

Se as low cost investissem em fantásticos anuncios de TV, cartõezinhos de pontos, patrocinassem eventos desportivos e festivais de verão e todas essas coisas... não teriam preços low cost!  proud

E provavelmente até permitiriam uma maior autonomia!
lol
Responder
#12

(11-12-2014 às 12:38)dfelix Escreveu:  Se as low cost investissem em fantásticos anuncios de TV, cartõezinhos de pontos, patrocinassem eventos desportivos e festivais de verão e todas essas coisas... não teriam preços low cost!  proud

E provavelmente até permitiriam uma maior autonomia!
lol

Basta ver aonde se situam a maioria das low-cost.... super e hipermercados.... cuja área de negócio é outra, que não somente a venda de combustíveis.
Os preços mais contidos acabam por ser um isco.... até porque depois de abasteceres a baixo preço, ainda levas, gerlamente, com um talão de desconto nas compras.
O que não ganham nos combustíveis, é coberto pelo que vendem dentro da área comercial!

[Imagem: zX4Kq81.png]

Responder
#13

(11-12-2014 às 12:19)luisnogueira Escreveu:  Convido-vos a ver por exemplo a PRIO. Têm um TOP Diesel e um Diesel, supostamente o Top diesel será o premium deles. Por curiosidade fui consultar as fichas técnicas que têm dos dois combustiveis. E são exactamente iguais...

http://www.prioenergy.com/produtos-e-ser...bustiveis/

http://www.prioenergy.com/ficheiros/loja...14_zod.pdf

http://www.prioenergy.com/ficheiros/loja...14_tzc.pdf

No caso das gasolinas S\chumbo 95 e Top gasolina 95 acontece exactamente o mesmo. A S\chumbo 98 é necessariamente diferente da 95.

Claro que eles não podem meter a formula do aditivo na sua ficha técnica. Aquelas fichas são apenas para comprovar alguns espertinhos que teimam em dizer que os combustiveis PRIO por serem low cost são diferentes dos outros, quando na verdade são iguais aos que se vendem na Golp e na BP e afins.
Responder
#14

Mas isso eu percebo officer, mas no caso eles têm o suposto normal e o TOP, com preços diferentes mas no entanto a constituição é exactamente a mesma. Então qual a diferença entre uma e outra? Por exemplo a diferença da 95 para a 98 vê-se, no teor de oxigénio, que originará maior poder de combustão, e a quantidade de Etanol que também é diferente, a mais na 98. Mas da 95 normal para a 95 Top é igual, portanto onde vão buscar o suposto maior rendimento?
Responder
#15

Nas bombas low cost, perto da minha casa, Prius...o combustível top é em norma três cêntimos mais barato que o regular, estamos a falar na mesma bomba, portanto ambos da "marca" Prius!
Responder
#16

(11-12-2014 às 13:47)luisnogueira Escreveu:  Mas isso eu percebo officer, mas no caso eles têm o suposto normal e o TOP, com preços diferentes mas no entanto a constituição é exactamente a mesma. Então qual a diferença entre uma e outra? Por exemplo a diferença da 95 para a 98 vê-se, no teor de oxigénio, que originará maior poder de combustão, e a quantidade de Etanol que também é diferente, a mais na 98. Mas da 95 normal para a 95 Top é igual, portanto onde vão buscar o suposto maior rendimento?

A diferença está precisamente nos aditivos, supostamente uma tem aditivos e a outra não.

Alias, a PRIO tem seguido uma estratégia de marketing muito grande de forma a conquistar clientes (que tem conseguido) e tem actualmente o TOP Diesel e a TOP 95 mais baratos que o diesel e 95 normais.
Responder
#17

(11-12-2014 às 13:47)luisnogueira Escreveu:  ...onde vão buscar o suposto maior rendimento?

Que rendimento?
Referes-te às conclusões que tiraste com um depósito que fizeste de gasolina do jumbo e 10 litros de cepsa depois?
disapointed

(11-12-2014 às 12:54)OFFICER Escreveu:  ...por serem low cost são diferentes dos outros, quando na verdade são iguais aos que se vendem na Golp e na BP e afins.

Exactamente iguais não são.
As formulas são obviamente diferentes entre marcas.
Agora... a diferença entre low cost e premium é que não parece tão evidente como anunciam.

Eu por exemplo sinto enorme diferença entre as PRIO e Repsol face as restantes... no cheiro que fica na roupa!


Agora, o que esta nova lei trás é a possibilidade de escolheres um bitoque quando durante estes anos obrigam-te a comer ao preço de posta barrosã.


(ja perdi a conta as vezes que tentei inserir esta mensagem)  disapointed
Responder
#18

A diferença está na mistura de aditivos feita (as que levam), até porque refinaria só existe uma.

Vê se consegues arranjar um log quando estás a tentar postar porque tenho conseguido sempre à primeira.
Responder
#19

(11-12-2014 às 14:32)OFFICER Escreveu:  
(11-12-2014 às 13:47)luisnogueira Escreveu:  Mas isso eu percebo officer, mas no caso eles têm o suposto normal e o TOP, com preços diferentes mas no entanto a constituição é exactamente a mesma. Então qual a diferença entre uma e outra? Por exemplo a diferença da 95 para a 98 vê-se, no teor de oxigénio, que originará maior poder de combustão, e a quantidade de Etanol que também é diferente, a mais na 98. Mas da 95 normal para a 95 Top é igual, portanto onde vão buscar o suposto maior rendimento?

A diferença está precisamente nos aditivos, supostamente uma tem aditivos e a outra não.

Alias, a PRIO tem seguido uma estratégia de marketing muito grande de forma a conquistar clientes (que tem conseguido) e tem actualmente o TOP Diesel e a TOP 95 mais baratos que o diesel e 95 normais.

O diesel Top da Prio é biodisel que por acaso o meu carro gosta. bigsmile Não ponho mais frequentemente porque não tenho próximo. Inicialmente era mais em conta de modo a incentivar as pessoas a utilizar, dado o cepticismo de muitas pessoas relativamente à qualidade do mesmo.
Responder
#20

Epa.... nesta problemática há aqui duas variáveis que convém discernir...

Uma é o (suposto) rendimento.... a outra é, se os "low cost" são nocivos ou prejudiciais para a mecânica.

Em relação à primeira, parece-me quase irrelevante, que um condutor de um Opel Corsa ou de uma NC700 se preocupe em que, metendo de uma marca premium, retire do motor um maior e melhor rendimento, que se traduza em melhores prestações, mais economia e melhor comportamento do motor. Afinal essas diferenças, a existirem, serão certamente ínfimas.

Em relação á segunda, é dizer-se de ânimo leve, que avarias mecânicas, da parte dos orgãos de admissão, se devem à (alegada) pior qualidade dos low cost.

Segundo reza a "lenda", nesta história dos combustíveis, qualquer distribuidor / revendedor tem de cumprir requisitos mínimos impostos legalmente, por normas europeias, em relação à sua composição, assegurando que todo o combustível vendido (e desde que não adulterado), cumpre com os parâmetros exígiveis.

Como disse, e bem, o dfelix, pode-se comer bitoque e ficar satisfeito, sem ter de ser carne barrosã.... no entanto dizer-se que o bitoque resultou numa congestão, simplesmente por não ser de carne barrosã, é que já não me parece legítimo!

[Imagem: zX4Kq81.png]

Responder




Utilizadores a ver este tópico: 1 Visitante(s)