Fuelly
#61

isso da temperatura é normal, as vfr800 ainda são piores, quando andam a velocidades baixas no transito, nem se consegue encostar pernas ao quadro, pois radiadores sao de lado e a baixa velocidade, nao refrigera praticamente nada

Load ""
Responder
#62

(03-08-2015 às 15:26)Rod Escreveu:  Só porque o Sr da BMW azul, desliga-a nas descidas e quando não estamos a ver empurra-a para o destino, logo são números adulterados...além disso largou a top case numa qualquer estrada para provocar menos atrito e menos resistência ao vento, logo menos consumo.

Os 4.6 do carlos parecem-me bastante adequados à F800...
A minha R1200S (que além de mais cilindrada é air/oil cooled) em 46 abastecimentos fez uma média de 5.2 e nunca fui propriamente gajo com pachorra para andar em regimes de hypermiling...
Tenho vários logs a 4.4, que correspondem aos períodos em que devia estar doente e andei em ritmo de passeio.

(03-08-2015 às 17:26)Rod Escreveu:  E eu conheço quem tenha uma R1 e no dia a dia ande de PCX...mas lá está, tens algumas despesas a dobrar...

Acaba sempre por economizar. E muito.
Nunca na PCX terás os mesmos gastos em borracha que tens com a R1... e só isso faz toda a diferença.
Responder
#63

(04-08-2015 às 08:39)Furras Escreveu:  
(03-08-2015 às 21:47)nelsonajm Escreveu:  
(03-08-2015 às 17:34)Furras Escreveu:  Só se for por aí(desafinada...)
O lubrificante é top, leva limpa injectores de 5 em 5 depósitos...
Essa afinação é digital ou mecânica?

Se for como na TL penso que seja digital... verificaste velas, filtro de ar, e a temperatura... costuma andar em que valores?

Em estrada aberta "sem transito" +/-66º, com transito nos +/-77º, a temperatura máxima que já registou foi 96º transito muito lento, temperatura ambiente muito alta, as ventoinhas começam a trabalhar a partir dos 94º e estabiliza.
Isso são temperaturas muito baixas para quando está em andamento... Pode ser daí... As misturas podem não ser as correctas...

[Imagem: SM4eYt9.png]
Responder
#64

Furras.... um consumo de 7 a 8 num V2 musculado, derivado de uma super-sport, numa moto com 14 anos, como é a tua Falco, não acho que seja "escandaloso".

Claro que se comparas à luz dos consumos de algumas motos actuais, aí és capaz de ficar deprimido.

De qualquer modo, sabes quem foi(ram) o(s) anterior(es) dono(s)? Era interessante saber se não houve por aí uma repro, feita pelo anterior, que se manifeste negativamente ao nível dos consumos. Haviam várias motos dessa altura que já permitiam de modo fácil fazer umas mexidas "engraçadas", nos mapas de injecção e afins, para terem elas também comportamentos (ainda) mais entusiasmantes.

(04-08-2015 às 09:42)dfelix Escreveu:  Os 4.6 do carlos parecem-me bastante adequados à F800...
E não me preocupo de todo com consumos.... todos os dias faz AE e vias rápidas, aonde por vezes rodo punho.
Curiosamente, as (felizmente muito poucas) vezes que tentei fazer hypermiling, para além achar aborrecido e sobretudo perigoso (uns metiam-se à papo-seco, outros parece que me queriam dar um "empurrãozinho" ou então encostar-me às bermas com razias  lol ), não consegui baixar mais que duas décimas de litro (em CB), num percurso de 50kms!

(04-08-2015 às 09:42)dfelix Escreveu:  A minha R1200S (que além de mais cilindrada é air/oil cooled) em 46 abastecimentos fez uma média de 5.2 e nunca fui propriamente gajo com pachorra para andar em regimes de hypermiling...
Tenho vários logs a 4.4, que correspondem aos períodos em que devia estar doente e andei em ritmo de passeio.
Mas curiosamente, já ouvi queixas de pessoal que passou dos boxer oil/air cooled para os novos water/air cooled.... e incrementaram os custos por km.

(04-08-2015 às 09:42)dfelix Escreveu:  
(03-08-2015 às 17:26)Rod Escreveu:  E eu conheço quem tenha uma R1 e no dia a dia ande de PCX...mas lá está, tens algumas despesas a dobrar...

Acaba sempre por economizar. E muito.
Nunca na PCX terás os mesmos gastos em borracha que tens com a R1...  e só isso faz toda a diferença.

Claro que sim.... os gastos que se terão a mais, em ter uma pequena 125 para o comuting (que estarão longe de serem a dobrar, como já se disse por aí), basicamente cingem-se a um seguro e a manutenções regulares, que ainda assim serão sempre substancialmente mais baratas. E este gasto a mais, por sua vez vai amortizar e muito, as despesas decorrentes de uma utilização regular e quotidiana de uma 1000cc V2, como será a Falco ou uma sua congénere. Só o que não se gasta em combustível, e com tanta frequência nas mais caras revisões, no desgaste de componentes ou demais peças que sejam necessárias (também sempre mais caras), e o gasto provocado por um ou outro percalço que um uso mais regular/intensivo suscite, compensa de sobre-maneira, a médio prazo, a opção por uma alternativa económica para o dia-a dia (incluindo o valor da compra da dita alternativa).

Uma moto as características da Falco, algo exclusiva, com o carácter que lhe reconhecemos, e a não ser que haja algo que o impeça fortemente (como é o caso), deveria estar destinada praticamente a puros momentos de "pleasure"!

[Imagem: zX4Kq81.png]

Responder
#65

(04-08-2015 às 08:39)Furras Escreveu:  Em estrada aberta "sem transito" +/-66º, com transito nos +/-77º, a temperatura máxima que já registou foi 96º transito muito lento, temperatura ambiente muito alta, as ventoinhas começam a trabalhar a partir dos 94º e estabiliza.

Vale o que vale, mas a temperatura normal da minha em andamento é entre os 78º e os 80º, e o motor é praticamente o mesmo.

[Imagem: wsv79s.jpg]vroom !
Responder
#66

ter uma R1 depois dar 2000€ por uma scoter por andar 2 anos no transito, depois falta seguro, mais 100€, mais manutencao
com mais de 2000€ bem da para fuel e seguro e selo da r1

Load ""
Responder
#67

(04-08-2015 às 10:39)7pires Escreveu:  ter uma R1 depois dar 2000€ por uma scoter por andar 2 anos no transito, depois falta seguro, mais 100€, mais manutencao

Quem diz que tem de ser nova? E tem de ser scooter? 2 mil euros custa uma nova!
Seguro para uma 125, caso tenhas carta e idade, fica-te como se disse, em 50 euros.

(04-08-2015 às 10:39)7pires Escreveu:  com mais de 2000€ bem da para fuel e seguro e selo da r1
Fazendo umas contas às custas de combustivel, entre uma 125 que gaste 2.5l/100 e uma 1000 que gaste 6l/100km. Quer dizer que com gasolina a 1.55€ (+/- preço actual), a 125 gasta por cada 100 kms 3.9€.... uma 1000 gasta 9.30€.... ou seja mais 5.4€ por cada 100 kms. Num ano que faças 20 mil kms (num uso diário não é difícil), gastas só a mais em gasosa 1080€.

Mas então e o resto?.... o que acabas por gastar depois a mais em revisões (muito mais caras), pneus, pastilhas, etc., em relação a uma 125?! Para além da probabilidade de te acontecerem outros precalços (uma outra avaria, queda, etc.), em que qualquer peça da 1000 será sempre brutalmente mais que para uma 125.

[Imagem: zX4Kq81.png]

Responder
#68

(04-08-2015 às 10:22)carlos-kb Escreveu:  Furras.... um consumo de 7 a 8 num V2 musculado, derivado de uma super-sport, numa moto com 14 anos, como é a tua Falco, não acho que seja "escandaloso".

Claro que se comparas à luz dos consumos de algumas motos actuais, aí és capaz de ficar deprimido.

De qualquer modo, sabes quem foi(ram) o(s) anterior(es) dono(s)? Era interessante saber se não houve por aí uma repro, feita pelo anterior, que se manifeste negativamente ao nível dos consumos. Haviam várias motos dessa altura que já permitiam de modo fácil fazer umas mexidas "engraçadas", nos mapas de injecção e afins, para terem elas também comportamentos (ainda) mais entusiasmantes.

(04-08-2015 às 09:42)dfelix Escreveu:  Os 4.6 do carlos parecem-me bastante adequados à F800...
E não me preocupo de todo com consumos.... todos os dias faz AE e vias rápidas, aonde por vezes rodo punho.
Curiosamente, as (felizmente muito poucas) vezes que tentei fazer hypermiling, para além achar aborrecido e sobretudo perigoso (uns metiam-se à papo-seco, outros parece que me queriam dar um "empurrãozinho" ou então encostar-me às bermas com razias  lol ), não consegui baixar mais que duas décimas de litro (em CB), num percurso de 50kms!

(04-08-2015 às 09:42)dfelix Escreveu:  A minha R1200S (que além de mais cilindrada é air/oil cooled) em 46 abastecimentos fez uma média de 5.2 e nunca fui propriamente gajo com pachorra para andar em regimes de hypermiling...
Tenho vários logs a 4.4, que correspondem aos períodos em que devia estar doente e andei em ritmo de passeio.
Mas curiosamente, já ouvi queixas de pessoal que passou dos boxer oil/air cooled para os novos water/air cooled.... e incrementaram os custos por km.

(04-08-2015 às 09:42)dfelix Escreveu:  
(03-08-2015 às 17:26)Rod Escreveu:  E eu conheço quem tenha uma R1 e no dia a dia ande de PCX...mas lá está, tens algumas despesas a dobrar...

Acaba sempre por economizar. E muito.
Nunca na PCX terás os mesmos gastos em borracha que tens com a R1...  e só isso faz toda a diferença.

Claro que sim.... os gastos que se terão a mais, em ter uma pequena 125 para o comuting (que estarão longe de serem a dobrar, como já se disse por aí), basicamente cingem-se a um seguro e a manutenções regulares, que ainda assim serão sempre substancialmente mais baratas. E este gasto a mais, por sua vez vai amortizar e muito, as despesas decorrentes de uma utilização regular e quotidiana de uma 1000cc V2, como será a Falco ou uma sua congénere. Só o que não se gasta em combustível, e com tanta frequência nas mais caras revisões, no desgaste de componentes ou demais peças que sejam necessárias (também sempre mais caras), e o gasto provocado por um ou outro percalço que um uso mais regular/intensivo suscite, compensa de sobre-maneira, a médio prazo, a opção por uma alternativa económica para o dia-a dia (incluindo o valor da compra da dita alternativa).

Uma moto as características da Falco, algo exclusiva, com o carácter que lhe reconhecemos, e a não ser que haja algo que o impeça fortemente (como é o caso), deveria estar destinada praticamente a puros momentos de "pleasure"!

O que ela tem é os escapes sem o conteúdo "homologado", relativamente a repros não sei o histórico.
também não acho escandaloso(para a mota que é), mas não vai de encontro ao que li sobre os consumos da mota, que diziam variar entre os 5.5 e os 6.5, daí o meu espanto e a fazer 7.5/8 a andar com calma.
Preferia andar de 600cc a abrir punho e fazer 7.5/8 do que andar com muita calma numa 1000cc e fazer consumos da mesma ordem.

Em caso de dúvida, acelere...
Responder
#69

(04-08-2015 às 10:39)7pires Escreveu:  ter uma R1 depois dar 2000€ por uma scoter por andar 2 anos no transito, depois falta seguro, mais 100€, mais manutencao
com mais de 2000€ bem da para fuel e seguro e selo da r1

Já todos sabemos que tens critérios minuciosos e extremamente racionais para seleccionar a moto que te é mais adequada.   bigsmile
Todos sabemos que privilegias modelos de fiabilidade comprovada para que não tenhas problemas na meia dúzia de quilómetros que fazes anualmente... e que inclusive trocas regularmente de moto porque não te satisfazem...

Mas imagina uma pessoa NORMAL que utilize a moto como transporte pessoal e faça algo como... 10 mil km por ano.
Não é muito. Vejamos... 10k por anos são 833.3333333333333333333..33333333333333333333333333... 33333333333333333333333333333...333333333333333333333333333333333... 33333333333333333333333333333333... 33333333333333333333  km por mês. (adoro dizimas infinitas)

Quem vive a 20km do local de trabalho e escolhe a moto para as deslocações diárias fará mensalmente essas distancias se considerarmos apenas 20 dias úteis.

Consumos?
Vamos considerar que se está abastecer com um sem-chumbo 95 "normal" a um custo de 1.55 EUR /litro.
Numa R1 com médias de 7L/100, os teus 10K anuais custam 1085 EUR.
Numa PCX com médias de 2.5L/100, os teus 10K anuais custam 387.5 EUR.

Isto significa que só em combustível, ao final do ano poupaste 697,5 euros ao optar pela PCX como transporte para o emprego.

Vamos falar de pneus:
Não vamos sequer considerar nada de extravagante, por isso vamos calçar a R1 com uns sport-street estilo os Pilot Power da Michelin.
O frotal custa cerca de 120 euros e durará sensivelmente os 10k anuais.
Já o traseiro que custa cerca de 160 euros dificilmente faz mais de 8k, o que significa que vais gastar 20% de um novo, o que poderemos considerar que no total gastaste cerca de 200 euros em borracha de pneu traseiro. Aproximadamente 360 euros no total.

Para a PCX compras um par de City Grip por cerca de 100 euros. É perfeitamente normal aos 10k um pneu ainda estar porreiro. Por isso, mesmo que compres anualmente um par de pneus novos por capricho, estás a poupar 260 euros.

E revisões?
A Yamaha tem intervalos de revisão de 10k, o que significa uma revisão anual.
Da experiência que tenho com motos de mecânica equivalente, uma revisão simples sem necessidade de reparações ou grandes substituições andará na casa dos 150 euros.
Penso que a PCX faz a cada 4k, o que significam 2 a 3 revisões anuais.

Uma das coisas chatas das scooters é que têm intervalos reduzidos. Apesar do material ser mais barato, as scooters são rentáveis para os agentes devido á mão de obra.
Considerando o mesmo tipo de revisão básica (~25 eur material + ~25 eur mão de obra) vamos arredondar para 50 euros, o que a 2,5 revisões anuais será ~125 euros anuais.

Nota: estou a descartar os custos com consumíveis tais como pastilhas, ou manutenções dispendiosas como substituição de óleos de travão, forquilha, correia, etc... pelo que acabo por estar a favorecer a R1.


Relativamente a IUC.. são 5,49€ vs 122,47€, o que corresponde a uma poupança de 116,98.
(Relativamente a seguros, vou ignorar pois na Logo pago apenas 10 euros mais pela minha 1200cc que pela 125cc)


Conclusão... ao final de um ano considerando por alto estas diferenças de custos temos 697,5 euros em combustível + 260 euros em borracha + 25 euros em manutenção + 122 euros em IUC. O total é ~1104 euros de poupança num ano.

Uma PCX custa nova 2700 euros, o que significa que demora dois anos e meio até amortizar.
Mas a partir desse período, a poupança é considerável!  Se optares por uma usada, o período de amortização reduz... e se considerares a scooter como veículo primário, a ideia de ter uma moto porreira para lazer acaba por se reduzir aos custos de seguro, selo e à (menor) utilização que lhe dás.
Responder
#70

8 litros é muita fruta... essa moto não pode gastar isso quando usada em estrada ou auto estrada.... em circuito a coisa é outra... mas em nacionais e AE isso não pode acontecer...

Algo se passa com ela...

[Imagem: SM4eYt9.png]
Responder




Utilizadores a ver este tópico: 1 Visitante(s)