Então?
#11

(23-02-2015 às 16:27)Johnny_1056 Escreveu:  Quanto a HD's, eu sou um daqueles que lá hei-de ir parar, não sei quando mas sei que sim.

Vou me rir muito no dia que saíres do armário...
bigsmile
Responder
#12

(23-02-2015 às 16:51)dfelix Escreveu:  
(23-02-2015 às 16:27)Johnny_1056 Escreveu:  Quanto a HD's, eu sou um daqueles que lá hei-de ir parar, não sei quando mas sei que sim.

Vou me rir muito no dia que saíres do armário...
bigsmile

É bem mais provável que me vejas com uma "malhadeira" do que com um "electrodoméstico". blink
Não me vejo nem ambiciono transformar-me naquilo que muitos consideram o "harlista estereotipado", mas aprecio o aspecto mecânico e rudimentar da "coisa".
Gostava de ter um "chopperalho" rígido com um Shovel (mesmo sabendo que é um cancro) de kick, primária à vista e suspensão Tolle. cool
Se for para ter uma coisa mais normal: uma Dyna com motor Evolution, suspensões e travões a sério.
Responder
#13

Jonhy, eu não chamei à Vmax um ferro... foi o kabé...

[Imagem: SM4eYt9.png]
Responder
#14

(23-02-2015 às 21:11)nelsonajm Escreveu:  Jonhy, eu não chamei à Vmax um ferro... foi o kabé...

Boas;
Nelsonajm, peço desculpa pelo engano. shy
Responder
#15

Mais um fã da V-Rod aqui!
Responder
#16

Boas;
Para mim, a V-Rod é que não me diz nada... Como moto moderna fica muito abaixo de qualquer uma das outras que se podem considerar suas concorrentes. Uma Diavel ou uma VMax (principalmente esta) são muito melhores.
A Indian é que tem despertado muito a minha curiosidade nos últimos tempos.
Responder
#17

(23-02-2015 às 16:27)Johnny_1056 Escreveu:  Nelsonajm, a VMax não é um "ferro"!! mad  Muito menos a 17!!

Sim, fui eu que disse isso!

Para mim, e se formos a ver bem, são mais as coisas que aproximam a V-Max do mundo dos "ferros", na sua generalidade, do que o que a afastam dele. Depende apenas da forma como se vê o copo mais meio cheio ou mais meio vazio.
Não houve uma vez um discussão no velho MO, porque alguém, já não me lembro se era com uma XJ ou com uma Bandit600 (mas era algo do género), não gostou que tivessem chamado de "utilitária" à sua (para ele e unicamente) "naked"? smile

Acaba quase por ser uma questão da interpretação do estilo. Até porque mesmo dentro do universo dos "ferros" (que no fundo é uma designação própria da gíria motociclística, e não "oficial"), existem muitos sub-estilos.

A Yamaha assume a V-Max, em seu catálogo, desde há algum tempo, como uma "sport heritage", juntamente com as naked clássicas XJR, as assumidamente custom XV950 e (pasme-se), até com a SR400. Mas não é estranho encontrar-mos a V-Max catalogada, em muitos outros locais, seja em revistas, sejas em sites de motociclismo, junto dos outros "ferros" da Yamaha. Se depois as suas prestações se evidenciam de sobremaneira, em relação às demais, fruto das suas especificações técnicas, ciclísticas e mecânicas, é uma outra questão. Então na "velhinha" 1200, todas estas características são mais mais evidentes, com a dupla suspensão traseira, a jante maciça, ópticas, guarda-lamas, etc.... e até mesmo a sua propensão à "customização". Não é raro verem-se V-Max, especialmente as 1200, totalmente personalizadas.

Claro que a V-Max (seja a 1200 ou a 1700) não é uma custom, no verdadeiro e mais clássico sentido do termo. Mas tende para esse universo, quer do ponto de vista estético, ergonómico e dimensional. Depois no fundo, o que sobressai são as brutais prestações, face à ala ferrosa mais "conservadora". Mesmo na 1700, não é por possuir um quadro em aluminio ou um monoamortecedor traseiro (entre outras specs mais singulares), que a retira deste universo.

Há também quem chame à V-Max de muscle bike.... mas, por exemplo, uma B-King também recebe essa designação... ou mesmo uma X11. E a diferença entre a V-Max e estas segundas é muito mais antagónica, do que a comparar com uma actual custom.

A V-Rod, embora bem menos potente que a 1700, acaba por seguir a mesma tendência da V-Max... mas no fundo, não deixa de pertencer ao universo das suas irmãs mais clássicas. Pelo menos para mim! Ou ainda, a (falada) Diavel... ou até a R1200C.... todas elas tão diferentes do "ferro" tradicional, e interpretações muito próprias de cada construtor, mas que acabam no fundo por tender mais para eles (ferros), do que para outra coisa qualquer....
Depois, dizer que são dragsters, muscle's, whatever more.... é apenas uma questão de minúcia ou preciosismo.

É verdade que os estilos de motos cada vez mais se mesclam, o que até é natural, pois acabamos por ter o que de melhor cada um possa oferecer, numa única moto.

[Imagem: zX4Kq81.png]

Responder
#18

Boas;
Carlos-kb, até posso compreender em parte a tua ideia.
Eu próprio tenho que admitir que acabo por dar um bocado vida de "ferro" à que tenho em casa, é uma moto com soluções técnicas desactualizadas, um certo classicismo estético e que utilizo regularmente de forma bastante tranquila. Com ela redescobri o prazer de voltar a andar de capacete aberto e sem grandes preocupações. cool
Depois há tudo o resto, continua a ser uma besta de semáforos, devoradora de gasolina com autonomia limitada, capaz de despertar o nosso lado mais hooligan e deixar-nos completamente estarrecidos com a sua violência. Descrevo-a muitas vezes como uma superbike japonesa dos '70 com esteróides; se a condução mais empenhada destas consegue pregar-nos uns valentes calafrios, a VMax eleva a fasquia.
Como moto de culto, as transformações tornaram-se parte da sua existência, o que não faltou por aí foi gente com a sua interpretação pessoal da moto.
Continua a não haver classe para a catalogar e nunca ninguém conseguiu chegar-lhe aos calacanhares, nomeadamente a Honda com a X4 1000 e a Kawasaki com a ZL1000.

A VMax 17 acaba por ser uma re-interpretação actual do conceito, a Yamaha tinha efectivamente que fazer uma moto marcante para poder voltar a usar este nome. Ainda hoje a moto dispõe de tecnologia com que muitas ainda só conseguem sonhar. Quantas motos há no mercado com trompetas de admissão com comprimento variável?? Um pouco como foi o V-Boost no seu tempo.
Continua a ser uma moto maciça, exagerada, mas com performance acima de tudo o que se considerar rival directo.


Voltando às Harley Davidson, estas têm o seu encanto enquanto forem verdadeiros "ferros"!! Enquanto conseguirem manter aquele elan que as torna distintas. A V-Rod não passa duma tentativa infrutífera de tentar ir atrás dos outros, e neste caso muito atrás...
Responder
#19

(24-02-2015 às 19:58)dfelix Escreveu:  ...
Há uma década de diferença entre a vrod e a diavel!

Boas;
Também há década e meia entre a 1ª VMax e a V-Rod... Esta bem podia ter aparecido bastante melhor. confused


(24-02-2015 às 19:58)dfelix Escreveu:  ...
Por falar em Indian (Polaris)
Aí na serra por esta altura do ano há quem use motos de neve? smile


[Imagem: Indian_snowmobile.jpg]

Grande foto!! thumbsup
Quase um século para ir parar a um império que também se destaca nas motos de neve. Há ironias do catano!!
Aqui na Serra só me lembro de ver muito raramente uma Yamaha velha com motor de 2 tempos... Acho que era da estância de ski... disapointed
Responder
#20

(24-02-2015 às 12:37)Johnny_1056 Escreveu:  Como moto moderna fica muito abaixo de qualquer uma das outras que se podem considerar suas concorrentes. Uma Diavel ou uma VMax (principalmente esta) são muito melhores.

Há uma década de diferença entre a vrod e a diavel!   lol

(24-02-2015 às 12:37)Johnny_1056 Escreveu:  A Indian é que tem despertado muito a minha curiosidade nos últimos tempos.

Por falar em Indian (Polaris)
Aí na serra por esta altura do ano há quem use motos de neve? smile

[Imagem: Indian_snowmobile.jpg]


(24-02-2015 às 13:15)carlos-kb Escreveu:  Claro que a V-Max (seja a 1200 ou a 1700) não é uma custom, no verdadeiro e mais clássico sentido do termo.

Até porque a designação custom muitas vezes nem é utilizada adequadamente...
O termo correcto é supostamente cruiser. E estes modelos citados até costumam ser referidos muitas vezes como power cruisers.

Isto de catalogar as motos com anglicismos é complicado...
Por falta de designações fáceis, tende-se a atribuir erradamente nomes bastante específicos como "café racer" ou "choppers" a qualquer coisa que é transformada... ou customs a cruisers de origem.


(24-02-2015 às 13:15)carlos-kb Escreveu:  Há também quem chame à V-Max de muscle bike.... mas, por exemplo, uma B-King também recebe essa designação... ou mesmo uma X11. E a diferença entre a V-Max e estas segundas é muito mais antagónica, do que a comparar com uma actual custom.

A designação de "muscle bike" é mais correcta com X11 e BKings..
Surge na ressaca das "streetfighters", quando os construtores passaram a disponibilizar no seu catálogo roadsters/nakeds mais espetivadas baseadas nas respectivas superdesportivas.

(Aliás... é comum chamar de streetfighters a motos de produção como as speed triple, o que é um erro, pois na realidade uma streetfighter é suposto ser um subgénero de custom)




(bolas.. a editar para colocar a ultima citação escavaquei isto e apaguei o post errado)
Responder




Utilizadores a ver este tópico: 1 Visitante(s)