Emflux One
#1

[Imagem: 3.png]

Indian startup Emflux is at the Auto Expo with its first electric motorcycle. A superbike, it says, that accelerates fast while offering a range of up to 200 km. On sale is set for 2019 and Emflux also plans to set up fast-chargers across India and Europe.

It is an open secret that the real champions of electric mobility come on two wheels, especially in the emerging markets of India and China. It it here where Emflux, a startup from Bengaluru wants to make a heavy impact.

Its first electric motorcycle Emflux One has all the spice of a super bike made in India. Its maker aims for an acceleration from 0 – 100 kph in under three seconds with a top speed of 200 kph. The range had been set at 200 kilometres in the city with cells from Samsung. The 50 kW motor is able to brake regeneratively and the rear wheel hangs on a single fork.

The base for this powerful curry is to come from 1,000 dedicated charging stations that Emflux plans to erect along the motorways of India and even Europe. The charging stops are called WARP, possibly named so to indicate the targeted charging speed of 110 kWh.

Two of the three founders have met while working for India’s ride hailing service Jugnoo. They say they have assembled the system and controls in-house. Respectively, the startup wants to first make an impression on the market with its own bikes but later roll-out the technology to OEMs and other suppliers. The ultimate aim is to empower 10 million two-wheelers in India by 2027.

The market for two-wheelers there is huge, as is the competition. Hero Electric is another maker tackling congestion with a whole line-up of electric scooters.

Emflux wants to open walk-in centres in Indian large cities. If and when it will launch in other markets has not been said.

Fonte: www.electrive.com
Responder
#2

Vai chegar a altura em que não teremos alternativa mas, até lá chegarmos, as únicas [email=merd@s]merd@s[/email] electricas que quero cá em casa são as que já existem. Com o que já pago á EDP, não preciso de mais uns € na factura.

Hoje em dia a carga fiscal nos produtos petrolíferos é brutal ( cá em Portugal, pelo menos ). E todos sabemos as taxas que já pagamos na factura da electricidade, tirando os KW efectivamente gastos pelo consumidor. Já estou a imaginar a factura com a carga da moto, ou do carro:

KW reais gastos: 30€
Taxa audiovisual: 10€
Taxa de ruido: 10€
Taxa para as Infraestruturas de Portugal: 10€
Taxa ambiental: 10€
Taxa para a LusoPonte: 10€
Taxa para a Camara: 10€
Taxa para a Brisa: 10€
Acresce IVA, ISV, IUC.
Acresce mais umas [email=merd@s]merd@s[/email] que o consumidor não sabe o que são mas que tem que pagar na mesma.
Total da factura: 300€, para arredondar.

Isto é uma piada, claro, mas uma piada séria. Na factura da EDP pagamos uma taxa de "audiovisual". Essa taxa é referente a um serviço que todos os portugueses tinham "de borla": a televisão do estado, esse buraco negro que é a RTP. Actualmente, tirando quem usa TDT, a maioria dos consumidores pagam um pacote de uma operadora ( meo, nos, nowo, vodafone ) que inclui esses canais do estado. Esses mesmos canais fazem parte de um pacote contratado e pago pelo consumidor, ou seja: pagamos á meo ( por exemplo ) para ( não ) ver a RTP e pagamos a taxa ao estado, encapotada na factura da EDP, para ( não ) ver esses mesmo canais que já pagamos no pacote da meo. Pagamos a duas entidades diferentes por um serviço que quase ninguém utiliza, juntando ainda os 23% de IVA facturados em cada uma dessas duas facturas, EDP e a operadora.

Tirando isto a "limpo", pagamos o mesmo serviço DUAS vezes e pagamos 23% de iva DUAS vezes sobre esse mesmo serviço. Pode parecer pouco, mas façam as contas anuais de quanto pagam DUAS vezes pela RTP, mais respectivos 23% de iva em cada uma dessas DUAS vezes.
Responder
#3

É pá, podias ao menos ter dado a tua opinião sobre a mota pá!

Estes gajos pá, vem para aqui dizer que a luz está cara e tal...
Ouve lá, já viste a luz que gastaste a escrever esse teste to sem sequer opinares sobre a mota!?

Imagino como teria sido se tivesses opinado!
Deus me livre e guarde!!!

I just don't run with the crowd!

www.loneriderendlessroad.com
Responder
#4

(31-03-2018 às 13:24)LoneRider Escreveu:  É pá, podias ao menos ter dado a tua opinião sobre a mota pá!

Estes gajos pá, vem para aqui dizer que a luz está cara e tal...
Ouve lá, já viste a luz que gastaste a escrever esse teste to sem sequer opinares sobre a mota!?

Imagino como teria sido se tivesses opinado!
Deus me livre e guarde!!!

E eu dei... disse que não a quero lá em casa, acho que fica sub-entendido.

Não me levem a mal mas, tal como não gosto de carros electricos, tambem não gosto de motos electricas. São menos poluentes? São, sem duvida? São mais economicos para o utilizador? Não, nem pensar nisso. O aluguer das baterias é caro e a compra então nem se fala. Chegará o tempo em que sejam realmente veiculos viaveis para quem os usa mas, por enquanto, são um luxo a que muitos poucos têm acesso. Os Teslas usam baterias quase infinitas ( são os unicos ), mas já viram quanto custa um Tesla? É muito menos poluente que um nissan micra com motor 1.0 a gasolina, sem duvida... mas quantos milenios são necessarios para pagar a diferença de preço? E os outros, os "hibridos eceonomicos"... quanto custa a manutenção e aluguer das baterias daquelas bostas?
Responder
#5

Para não falar no investimento em capacetes com sistema de som 5.1 ou 6.1 para um gajo pensar que vai em cima de uma mota! smile 

Os motores elétricos trazem vantagem na disponibilização do binário máximo logo no arranque. Vai dar para muita gente se espetar com as brincadeiras.

É um brinquedo fixe. Mas para já não trocaria.

Boas curvas! 
Responder
#6

(04-04-2018 às 09:14)nunomsp Escreveu:  Para não falar no investimento em capacetes com sistema de som 5.1 ou 6.1 para um gajo pensar que vai em cima de uma mota! smile 

Tive oportunidade de ver (e ouvir) ao vivo a HD Livewire na EICMA. E olha que ao contrário daquilo que se possa pensar, até fazia um enorme cagaçal... "estranho", mas bem audível.

[Imagem: p3InRKg.jpg]

Ok, que estava sobre rolos e num local fechado e coberto, o que também ajudava. Mas ainda assim, de silenciosa não tinha nada. O barulho contínuo fazia quase lembrar o efeito sonoro de uma comboio do metropolitano... tipo isto:


[Imagem: zX4Kq81.png]

Responder
#7

Pois, no mínimo estranho.

A audi por ex. irá desenvolver assinaturas de som específicas para cada modelo.


Boas curvas! 
Responder




Utilizadores a ver este tópico: 1 Visitante(s)