Duvida sobre utilização do equipamento
#1

Boa Tarde pessoal do forum!!!
Estou a criar este tópico porque tenho uma dúvida sobre a utilização do meu equipamento pessoal nas aulas de condução e no exame de condução.
Poderei utilizar o meu equipamento (luvas, casaco, capacete, etc...) nas aulas de condução e no exame de condução?
Sei que é uma pergunta provavelmente meio "sem nexo", mas é apenas uma duvida, não sei se depende da escola de condução etc, ou se há algo que proíba a utilização dos mesmos.
Obrigado desde já
Stay Safe
Responder
#2

Tiago Batista: viva

ignoro a legislação actual mas penso que não deve haver problema - no entanto o melhor seria assegurares-te junto de uma Escola de Condução

no meu tempo, não tinha nem capacete (próprio), nem luvas, nem casaco nem nada... nem nas aulas de condução nem no exame... o capacete era o "penico" que havia disponível em cada aula no armário da Escola de Condução... de resto era com a roupa do corpo e sem luvas nem qualquer protecção... e "tá a andar"  bigsmile

aliás, até o intercomunicador estava raramente disponível (e quando estava, nem sempre funcionava)... e tinha de olhar pelos espelhos e para trás para ver as indicações do Instructor

pior mesmo foi que me atiraram para a parte funda da piscina sem saber nadar... o meu primeiro contacto com uma moto foi com a Honda CG 125 "dura" e "à la kick-starter" e nas primeiras aulas no trânsito quando a deixava ir abaixo... ficava nervoso pelas pessoas estarem a olhar para mim e a buzinar que não conseguia arrancá-la com o kicks... as litradas de suor que perdi!... depois fizeram o upgrade para uma Suzuki GN 250, e essa já tinha arranque eléctrico e era suave como a manteiga... apesar dos travões serem meros "abrandadores"... mas olhando agora à distância acho que isso contribuiu positivamente para a minha formação como motociclista... deu-me "casca grossa" por assim dizer

votos de boas e produtivas aulas!  V

cumprimentos

actual 1984 Yamaha FJ 1100 (36Y) 1097cc 125cv

ex-1986 BMW K100 RT (K589) 987cc 90cv
ex-2001 Yamaha XJ600 Diversion S (4BRG) 599cc 61cv
ex-1993 Suzuki GS500 E (GSE) 487cc 49cv
ex-1996 Suzuki GN 125 (053) 124cc 13cv
ex-1999 Suzuki AY50 Katana WR (P53) 49cc 7cv
Responder
#3

(06-08-2020 às 18:38)Tiago Batista Escreveu:  Boa Tarde pessoal do forum!!!
Estou a criar este tópico porque tenho uma dúvida sobre a utilização do meu equipamento pessoal nas aulas de condução e no exame de condução.
Poderei utilizar o meu equipamento (luvas, casaco, capacete, etc...) nas aulas de condução e no exame de condução?
Sei que é uma pergunta provavelmente meio "sem nexo", mas é apenas uma duvida, não sei se depende da escola de condução etc, ou se há algo que proíba a utilização dos mesmos.
Obrigado desde já
Stay Safe
Sim, podes, sem problema nenhum, desde k o capacete (único k é obrigatório) seja homologado.
Responder
#4

(06-08-2020 às 18:59)vitorino Escreveu:  Tiago Batista: viva

ignoro a legislação actual mas penso que não deve haver problema - no entanto o melhor seria assegurares-te junto de uma Escola de Condução

no meu tempo, não tinha nem capacete (próprio), nem luvas, nem casaco nem nada... nem nas aulas de condução nem no exame... o capacete era o "penico" que havia disponível em cada aula no armário da Escola de Condução... de resto era com a roupa do corpo e sem luvas nem qualquer protecção... e "tá a andar"  bigsmile

aliás, até o intercomunicador estava raramente disponível (e quando estava, nem sempre funcionava)... e tinha de olhar pelos espelhos e para trás para ver as indicações do Instructor

pior mesmo foi que me atiraram para a parte funda da piscina sem saber nadar... o meu primeiro contacto com uma moto foi com a Honda CG 125 "dura" e "à la kick-starter" e nas primeiras aulas no trânsito quando a deixava ir abaixo... ficava nervoso pelas pessoas estarem a olhar para mim e a buzinar que não conseguia arrancá-la com o kicks... as litradas de suor que perdi!... depois fizeram o upgrade para uma Suzuki GN 250, e essa já tinha arranque eléctrico e era suave como a manteiga... apesar dos travões serem meros "abrandadores"... mas olhando agora à distância acho que isso contribuiu positivamente para a minha formação como motociclista... deu-me "casca grossa" por assim dizer

votos de boas e produtivas aulas!  V

cumprimentos

Eu tirei a carta em 1994, com 18 anos, numa GN250 (grande luxo... até indicador de mudança engrenada aquilo já tinha). Mas já tinha licença camarária de ciclomotor e andava de motorizada 50cc desde os 16 anos. Mas no exame usei o meu equipamento que era... um capacete GP1. bigsmile

Aliás, eu nem aulas de mota tive. Como tirei a carta de carro e mota ao mesmo tempo, depois do código feito, apenas tive aulas de carro e como já tinha a experiência da cinquentinha, um dia ou dois, antes do exame de mota, apenas me estenderam uma nota de 1000 escudos para ir meter gasolina e ir dar umas voltas sozinho para me habituar à mota... e no dia do exame (que era à tarde), da parte da manhã, voltei a pegar na GN, desta já com o instrutor, para ir treinar uns 8's, me habituar às indicações por buzinadelas (intercomunicadores... que coisa futurista era essa?) e treinar os sinais com braços (apesar da GN já ter luz de stop e piscas, éramos obrigados a fazer toda a sinalética de mudanças de direcção e travagem, com os braços). O exame de carro já havia feito uns dias antes, com aprovação.

Fiz exame de mota com mais dois alunos de outra escola que existiu até há pouco tempo atrás (em Entrecampos), com uma MZ250 a 2 tempos e também arranque por "kick", e aconteceu o mesmo problema, para meterem a mota a trabalhar, à "kickada". O carro com o examinador que acompanhou o meu exame e o dos dois rapazes da MZ (à vez), foi o dessa escola de Entrecampos. Quando os exames acabaram e voltámos ao centro de exames, no Prior Velho, o meu instrutor tinha-se ido embora e tinha deixado a indicação para eu levar a mota da escola para Moscavide (sede da escola aonde eu andava). Ou seja, quer passasse (o que aconteceu), quer chumbasse, tinha à mesma a mota para levar para Moscavide. E nem sequer escalonamentos havia... havia a categoria A e siga... se quisesse e pudess€, no dia seguinte, podia ir buscar e conduzir legalmente uma ZZR1100, por exemplo! pervert

Outros tempos. blink

Tiago, claro que podes (e deves, se tiveres), levar e usar o teu próprio equipamento.

[Imagem: zX4Kq81.png]

Responder
#5

(06-08-2020 às 22:21)carlos-kb Escreveu:  
(06-08-2020 às 18:59)vitorino Escreveu:  Tiago Batista: viva

ignoro a legislação actual mas penso que não deve haver problema - no entanto o melhor seria assegurares-te junto de uma Escola de Condução

no meu tempo, não tinha nem capacete (próprio), nem luvas, nem casaco nem nada... nem nas aulas de condução nem no exame... o capacete era o "penico" que havia disponível em cada aula no armário da Escola de Condução... de resto era com a roupa do corpo e sem luvas nem qualquer protecção... e "tá a andar"  bigsmile

aliás, até o intercomunicador estava raramente disponível (e quando estava, nem sempre funcionava)... e tinha de olhar pelos espelhos e para trás para ver as indicações do Instructor

pior mesmo foi que me atiraram para a parte funda da piscina sem saber nadar... o meu primeiro contacto com uma moto foi com a Honda CG 125 "dura" e "à la kick-starter" e nas primeiras aulas no trânsito quando a deixava ir abaixo... ficava nervoso pelas pessoas estarem a olhar para mim e a buzinar que não conseguia arrancá-la com o kicks... as litradas de suor que perdi!... depois fizeram o upgrade para uma Suzuki GN 250, e essa já tinha arranque eléctrico e era suave como a manteiga... apesar dos travões serem meros "abrandadores"... mas olhando agora à distância acho que isso contribuiu positivamente para a minha formação como motociclista... deu-me "casca grossa" por assim dizer

votos de boas e produtivas aulas!  V

cumprimentos

Eu tirei a carta em 1994, com 18 anos, numa GN250 (grande luxo... até indicador de mudança engrenada aquilo já tinha). Mas já tinha licença camarária de ciclomotor e andava de motorizada 50cc desde os 16 anos. Mas no exame usei o meu equipamento que era... um capacete GP1. bigsmile

Aliás, eu nem aulas de mota tive. Como tirei a carta de carro e mota ao mesmo tempo, depois do código feito, apenas tive aulas de carro e como já tinha a experiência da cinquentinha, um dia ou dois, antes do exame de mota, apenas me estenderam uma nota de 1000 escudos para ir meter gasolina e ir dar umas voltas sozinho para me habituar à mota... e no dia do exame (que era à tarde), da parte da manhã, voltei a pegar na GN, desta já com o instrutor, para ir treinar uns 8's, me habituar às indicações por buzinadelas (intercomunicadores... que coisa futurista era essa?) e treinar os sinais com braços (apesar da GN já ter luz de stop e piscas, éramos obrigados a fazer toda a sinalética de mudanças de direcção e travagem, com os braços). O exame de carro já havia feito uns dias antes, com aprovação.

Fiz exame de mota com mais dois alunos de outra escola que existiu até há pouco tempo atrás (em Entrecampos), com uma MZ250 a 2 tempos e também arranque por "kick", e aconteceu o mesmo problema, para meterem a mota a trabalhar, à "kickada". O carro com o examinador que acompanhou o meu exame e o dos dois rapazes da MZ (à vez), foi o dessa escola de Entrecampos. Quando os exames acabaram e voltámos ao centro de exames, no Prior Velho, o meu instrutor tinha-se ido embora e tinha deixado a indicação para eu levar a mota da escola para Moscavide (sede da escola aonde eu andava). Ou seja, quer passasse (o que aconteceu), quer chumbasse, tinha à mesma a mota para levar para Moscavide. E nem sequer escalonamentos havia... havia a categoria A e siga... se quisesse e pudess€, no dia seguinte, podia ir buscar e conduzir legalmente uma ZZR1100, por exemplo! pervert

Outros tempos. blink

Tiago, claro que podes (e deves, se tiveres), levar e usar o teu próprio equipamento.

carlos-kb: excelente história!  V

tenho a certeza que mais colegas terão igualmente histórias caricatas para partilhar

também soube de tipos que inscreviam-se na Escola de Condução num dia, e no próprio dia faziam o exame de código e condução (!)... felizmente isso já não deve acontecer hoje em dia

eu tirei a carta 5 anos depois de ti... na Escola de Condução mais cara da minha zona (escolhi-a não pelo preço obviamente mas por ser a mais conceituada e por ter a frota mais nova das concorrentes)

comecei aos 17 e fui tirar o código primeiro - caneta e papel (PCs? smartphones? internet?... palavras esquisitas na altura)... fui atirado para a zona funda da piscina... não havia cá aulas de iniciante, intermédios e avançados... era tudo ao monte... as chamas "aulas contínuas"... na mesma turma tanto estavam chavalos no seu 1º dia (como eu), como chavalos que andavam há 2 semanas, outros que já andavam há 1 ou 2 meses, repetentes... etc. (não sei se agora isso mudou)... no entanto tudo tranquilo...

paralelamente fui tendo aulas de moto - inscrevi-me para tirar logo todas as cilindradas

1ª aula, o Instructor pergunta-me: "já sabes andar de moto?"... e eu a pensar para mim próprio "f%d#-se se soubesse não estava aqui..." "não, não sei andar de moto"... ele: "mas sabes andar de bicicleta?"... eu: "isso sei!"... ele: "então isto é fácil, é como andar de bicicleta"

deu-me uma CG 125 para as mãos... odiava aquela moto... tinha suores frios só de pensar que ia ter uma aula práctica com ela... era muito "dura"... nada suave... manete da embraiagem era on ou off... não havia intermédio... arranque por kick-starter... motor muito pontudo... mas a bem ou a mal lá fui aprendendo

lembro-me uma vez que a CG 125 foi abaixo... e eu encostado à berma (mas mesmo assim a atrapalhar o trânsito pois a estrada era estreita) e eu a suar (Verão) constantemente a dar ao kicks... o Instructor lá consegue estacionar o carro e vem ter comigo... todo f%d#do comigo a pensar que era um inútil... "deixa-me fazer eu"... lá estava ele a dar ao kicks quase a partir aquilo tudo com os nervos e a ficar cada vez mais vermelho e f%d#do... só depois é que vê o porquê da moto não pegar... não tinha gasolina... virou a torneira para a reserva... kicks... pegou logo...  mad  ... deve ter-me insultado em pensamento até à 5ª geração!

depois lá fizeram o upgrade para a Suzuki GN 250... super-suave... indicador da mudança... posição e assento super-confortável... aí já dava gosto ir às aulas...manete da embraiagem super-progressiva e suave... espetacular... a única vez que quase me espetei com ela foi numa aula onde ia com excesso de velocidade e de confiança... tinha ficado para trás... o meu Instructor no carro tinha ido para a frente e eu já não o via... havia um viaduto em forma de lomba... primeiro sobe-se, depois desce-se... e eu, gás nela para apanhar o Instructor... vou aí a uns 100 km/h a descrever a lomba do viaduto, já na fase descendente... quando vejo o Instructor fora do carro à minha espera, carro estacionado na berma... e eu... travão de trás a fundo para parar a tempo... a roda de trás bloqueou e já queria sair de lado... mas lá a consegui dominar e parar o bicho... o Instructor olha para mim com aquela cara "já te ias esbardalhar"

depois fui fazer o exame de código à DGV e tive o meu 1º contacto com um computador touchscreen!  bigsmile  passei à 1ª

código feito, passado um bocado fui a exame práctico de moto... na CG 125  sad ... mas como já estava mais "calejado" naquilo, safei-me bem e passei à 1ª também

fiquei com carta de 250cc; e passados 2 anos fiquei automaticamente com a carta de moto sem limite de cilindrada ou potência sem qualquer exame

depois fui para os carros... deram-me um Opel Corsa primeiro... sem direcção assistida... mas aí o Instructor (diferente do das motos) era mais simpático e paciente comigo... passadas aí umas 3 aulas deram-me um Mercedes-Benz Classe A novinho em folha... suave como manteiga... foi um prazer fazer as aulas e ir a exame práctico que também passei à 1ª

um episódio caricato foi uma vez que era o lusco-fusco e quando ia por uma rua de repente eu encosto o carro à berma e travo forte... o Instructor olha para mim admirado e pergunta "o que é que se passa?"... e eu "é por causa daquele"... e ele quando enxerga bem os olhos vê uma moto com a luz apagada a cruzar-se com o carro em direcção contrária e ainda em sentido proibdo... ele: "f%d"-se tens bons olhos"  bigsmile

ainda me tentaram persuadir para tirar a carta de camião... mas carta de moto de todas as categorias + carro já me bastava para a altura (e actualmente)... e eu queria era fazer quilómetros e largar as aulas!

foram no cômputo geral uns tempos bem passados na Escola de Condução e nas aulas... mas fiquei aliviado por ter terminado tudo e começar a andar sozinho, quer de moto quer de carro... sem ninguém ao nosso lado para nos stressar... é onde realmente aprendemos!

cumprimentos

actual 1984 Yamaha FJ 1100 (36Y) 1097cc 125cv

ex-1986 BMW K100 RT (K589) 987cc 90cv
ex-2001 Yamaha XJ600 Diversion S (4BRG) 599cc 61cv
ex-1993 Suzuki GS500 E (GSE) 487cc 49cv
ex-1996 Suzuki GN 125 (053) 124cc 13cv
ex-1999 Suzuki AY50 Katana WR (P53) 49cc 7cv
Responder
#6

Podes usar todo o equipamento de segurança que quiseres. Não há qualquer justificação para não o fazeres, antes pelo contrário.

A fazer os oitos, nas primeiras aulas que tive, deixei cair a mota 2x e se nao fosse o casaco, tinha-me esmurrado nos cotovelos.

[Imagem: images?q=tbn:ANd9GcSBKDKs6yFSsA6jXIrK7LO...Fbu3pya-zl]
Responder
#7

(07-08-2020 às 10:06)el_Bosco Escreveu:  Podes usar todo o equipamento de segurança que quiseres. Não há qualquer justificação para não o fazeres, antes pelo contrário.

A fazer os oitos, nas primeiras aulas que tive, deixei cair a mota 2x e se nao fosse o casaco, tinha-me esmurrado nos cotovelos.

Muito Obrigado
Força
Responder
#8

(06-08-2020 às 22:21)carlos-kb Escreveu:  
(06-08-2020 às 18:59)vitorino Escreveu:  Tiago Batista: viva

ignoro a legislação actual mas penso que não deve haver problema - no entanto o melhor seria assegurares-te junto de uma Escola de Condução

no meu tempo, não tinha nem capacete (próprio), nem luvas, nem casaco nem nada... nem nas aulas de condução nem no exame... o capacete era o "penico" que havia disponível em cada aula no armário da Escola de Condução... de resto era com a roupa do corpo e sem luvas nem qualquer protecção... e "tá a andar"  bigsmile

aliás, até o intercomunicador estava raramente disponível (e quando estava, nem sempre funcionava)... e tinha de olhar pelos espelhos e para trás para ver as indicações do Instructor

pior mesmo foi que me atiraram para a parte funda da piscina sem saber nadar... o meu primeiro contacto com uma moto foi com a Honda CG 125 "dura" e "à la kick-starter" e nas primeiras aulas no trânsito quando a deixava ir abaixo... ficava nervoso pelas pessoas estarem a olhar para mim e a buzinar que não conseguia arrancá-la com o kicks... as litradas de suor que perdi!... depois fizeram o upgrade para uma Suzuki GN 250, e essa já tinha arranque eléctrico e era suave como a manteiga... apesar dos travões serem meros "abrandadores"... mas olhando agora à distância acho que isso contribuiu positivamente para a minha formação como motociclista... deu-me "casca grossa" por assim dizer

votos de boas e produtivas aulas!  V

cumprimentos

Eu tirei a carta em 1994, com 18 anos, numa GN250 (grande luxo... até indicador de mudança engrenada aquilo já tinha). Mas já tinha licença camarária de ciclomotor e andava de motorizada 50cc desde os 16 anos. Mas no exame usei o meu equipamento que era... um capacete GP1. bigsmile

Aliás, eu nem aulas de mota tive. Como tirei a carta de carro e mota ao mesmo tempo, depois do código feito, apenas tive aulas de carro e como já tinha a experiência da cinquentinha, um dia ou dois, antes do exame de mota, apenas me estenderam uma nota de 1000 escudos para ir meter gasolina e ir dar umas voltas sozinho para me habituar à mota... e no dia do exame (que era à tarde), da parte da manhã, voltei a pegar na GN, desta já com o instrutor, para ir treinar uns 8's, me habituar às indicações por buzinadelas (intercomunicadores... que coisa futurista era essa?) e treinar os sinais com braços (apesar da GN já ter luz de stop e piscas, éramos obrigados a fazer toda a sinalética de mudanças de direcção e travagem, com os braços). O exame de carro já havia feito uns dias antes, com aprovação.

Fiz exame de mota com mais dois alunos de outra escola que existiu até há pouco tempo atrás (em Entrecampos), com uma MZ250 a 2 tempos e também arranque por "kick", e aconteceu o mesmo problema, para meterem a mota a trabalhar, à "kickada". O carro com o examinador que acompanhou o meu exame e o dos dois rapazes da MZ (à vez), foi o dessa escola de Entrecampos. Quando os exames acabaram e voltámos ao centro de exames, no Prior Velho, o meu instrutor tinha-se ido embora e tinha deixado a indicação para eu levar a mota da escola para Moscavide (sede da escola aonde eu andava). Ou seja, quer passasse (o que aconteceu), quer chumbasse, tinha à mesma a mota para levar para Moscavide. E nem sequer escalonamentos havia... havia a categoria A e siga... se quisesse e pudess€, no dia seguinte, podia ir buscar e conduzir legalmente uma ZZR1100, por exemplo! pervert

Outros tempos. blink

Tiago, claro que podes (e deves, se tiveres), levar e usar o teu próprio equipamento.

Fico feliz de ler as vossas histórias, já tenho esta paixão pelo motociclismo desde os meus 4/5 anos, e com esta comunidade ainda me sinto mais motivado a tirar a carta e ter toda a liberdade que a carta e uma mota nos dão.
Conduzam com segurança.
Fiquem bem
Responder




Utilizadores a ver este tópico: 1 Visitante(s)