Ducati 749
#41

cum camandro... oq ue me ri com esse gif....
Responder
#42

AHAHA tá excelente essa merda! lol lol

[Imagem: muhz7is.jpg]
Responder
#43

Boa tarde camaradas

Acho que ele teve "azar" com as Ducati que testou.

Nenhuma lhe inspirou confiança, uma "fugia" para a direita, outra desligava-se em andamento, outra nem sequer conseguiu por a trabalhar.

Queria fazer o negócio da China com uma Ducati vendida por particulares, ainda lhe disse para perder o amor aos €'s e tentar arranjar num concessionário, sempre teria mais garantias.

Entretanto em conversa de cafe, uma amigo de um amigo ia entregar a VFR à troca por AT, fez-se ao caminho, experimentou a VFR e, já sabem o resto.

Já lhe falei do fórum, digamos que o moço não é muito de net's, vamos ver se "aparece".

Abraço e boas curvas.
Responder
#44

Quem tem de decidir é que sabe. Obviamente que qualquer que seja a decisão, os treinadores de bancada fazem estardalhaço.

Tenho a certeza de que se o teu amigo tivesse comprado a Ducati, ia aparecer aqui malta a desancar e a escrever que seria melhor ter comprado uma VFR.

Estou é preocupado com os problemas da minha Tracer. Talvez uma VFR tivesse sido melhor ideia.
Responder
#45

Lol... Areias, qualquer problema, é melhor que uma franga sem problemas... Acredita...

[Imagem: SM4eYt9.png]
Responder
#46

Tenho lido que as novas Triumph Tiger 900 GT e BMW F900 XR estão muito boas em termos de qualidade de materiais e montagem.

Eu as Triumph mais antigas tenho visto em Lisboa já com 4 e 5 anos e bom aspecto.

Melhor aspecto, em geral, que as Japonesas.

Faz sentido que uma Ducati esteja num patamar qualitativo superior.
Responder
#47

(02-03-2020 às 21:58)pareias Escreveu:  Tenho lido que as novas Triumph Tiger 900 GT e BMW F900 XR estão muito boas em termos de qualidade de materiais e montagem.

Eu as Triumph mais antigas tenho visto em Lisboa já com 4 e 5 anos e bom aspecto.

Melhor aspecto, em geral, que as Japonesas.

Faz sentido que uma Ducati esteja num patamar qualitativo superior.
Cada vez discordo mais com essa afirmação.
Depende como tratas delas, quase todas, se não todas mesmo, as marcas usam processos ou materiais baratos.
Basta procurares pela minha 07, que passou por uma Mota de 20k tendo quase 70k

Enviado do meu SM-G935F através do Tapatalk

V
Responder
#48

PedroMT07/09: talvez, mas penso que não será bem assim. Reparo que mesmo entre a Honda e a Yamaha se usam alguns materiais distintos. Por exemplo a "aranha" dos instrumentos na Honda (a tal que levou alcatrão para evitar uma repintura) era bastante pior do que a da Yamaha.

Pelo contrário, os parafusos Honda aparentavam ser mais resistentes à corrosão do que os da Yamaha. Agora está quase full-Probolt por isso o problema ficou resolvido.

Se vires os braços oscilantes traseiros das NC750 e depois olhares para os Yamaha também notas que a Honda mandou fazer aquelas viga-caixão num País asiático que está agora muito em voga.
Responder
#49

Tanta palavra tão vazia em conteúdo...
Responder
#50

(02-03-2020 às 17:20)Marco Faria Escreveu:  Nenhuma lhe inspirou confiança, uma "fugia" para a direita, outra desligava-se em andamento, outra nem sequer conseguiu por a trabalhar.

Muito honestamente, isto é a típica conversa do cagalhão que ouço há mais de 15 anos..
Sempre a história do amigo do amigo e blá blá.

Acho piada, porque ouvi de tudo quando há 14 anos atrás comprei a minha primeira não-japonesa.
Já lhe tinha espetado 100K e continuavam-me a dizer que eram poços de problemas.
Já lhe tinha espetado 200K continuavam-me a dizer o mesmo.

Com a minha a minha scrambler... outra vez arroz.
Neste momento já saltou prai 4 ou 5K da revisão dos 48K... e continua a levar valentes esfrega!
E nem sei quantos quilómetros tem. Não porque o odometro tivesse avariado mas porque alguém decidiu que aquela cablagem junto ao guiador devia levar uma navalhada!
Tá toda cagada, riscada, bancos rasgados... porque é usada como se tivesse sido roubada.
Quando partir.. partiu!
Mas até agora é das motos que menos chatices que já me deu.

Portanto, toda essa retórica da fiabilidade é pra mim conversa do típico domingueiro que só tira a moto para ir à roca e tem de justificar racionalmente o cagalhão aborrecido que usa para dar a voltinha ao café.

Seria mais honesto dizer que há receio em arriscar.
É perfeitamente legitimo. Eu próprio, que durante anos dependi só de moto para as minhas deslocações diárias, também já privilegiei o que seria "escolhas seguras".
Até ao dia que comprei uma japonesa nova com 0km que se começou a desintegrar mal saiu do stand.

edit..
Para poupar trabalho à malta do "Honda é Honda" que fica logo a espumar pra mandar a boca dos custos das revisões, poupo o trabalho e deixo aqui o link para uma em que paguei 700 euros...

Muito provavelmente o que escrevi foi gerado automágicamente através do Moto Lero
Responder




Utilizadores a ver este tópico: 1 Visitante(s)