Ducati 749
#21

Marco, essa dor nas costa advém da designação "gsxr"... Quanto mais antiga, maior a dor de costas... Lol

[Imagem: SM4eYt9.png]
Responder
#22

(21-02-2020 às 00:10)nelsonajm Escreveu:  Marco, essa dor nas costa advém da designação "gsxr"... Quanto mais antiga, maior a dor de costas... Lol

E o pior é que a antiguidade aplica-se a ela e a mim... lol
Responder
#23

(20-02-2020 às 11:08)midnightblack Escreveu:  ...ainda equacionei a hypermotard...mas apesar da linda estética ver feeds em grupos de malta com voltinhas de 200km a ficarem apeados e voltarem para casa a gastar 0 aos 100 (em cima do reboque) desincentivou-me além numas voltas numa 749 de um camarada não me entusiasmou especialmente.

A hyper é um brinquedo muito interessante.
Tenho enorme curiosidade em experimentar a actual. E muito medo de gostar.
Mas o facto de ser bastante alta é um turn off para mim.

Em 2011 estive para comprar uma das primeiras, com o 1100DS.
Por acaso, esse desmodue é um dos motores mais fiáveis que a marca já produziu.
Esteve desaparecido uns tempos, mas até regressou ao mercado com as actuais Scrambler 1100. E tendo em conta que vão sair novas com a mesma motorização.. ainda está para durar.

Arrependo-me imenso de ter deixado escapar essa hyper 1100S na altura.

(20-02-2020 às 11:08)midnightblack Escreveu:  Depois outros detalhes a mudança de correias a cada 20mil km, a mão de obra especializada mais cara, não necessariamente mais qualificada, preços das peças, peças entendidas enquanto retrovisores piscas, aquelas pequenas coisas que por vezes sucedem.

Nas motorizações jurássicas a manutenção do desmo é cada 24K.
Actualmente é a cada 30K.

Quanto a peças.. consegues me dizer exactamente em que difere? smile
A única coisa que comprei até agora foi um guiador e um pisca devido a um tombo que dei.
Não achei que tivesse gasto mais pelo guiador do que me custaria um renthal cá fora ou o pisca tivesse custado mais do que me custaram para japonesas que ja tive.
Mas.. eu nunca achei que as peças da japonesas fossem baratas. Já paguei 60 euros por um autocolante duma Suzuki.

(20-02-2020 às 13:09)LoneRider Escreveu:  Ainda aquí à uns tempos ouvi por aí um gajo a chorar, não sei se de alegria se de pesar, de ter deixado 500 aéreos de uma revisão de uma sucati...

Epá... nem toda a gente passa a vida a chorar.
Também nem toda a gente compreende sarcasmo. smile

Referes-te ao post do sat_on_fire há uns tempos atrás?
Esse acho que não era 500, mas sim quase 600.
E eu já paguei 700 por uma banalíssima scrambler. lol

OK.. 2/3 da factura foi pneus, pastilhas e kit de transmissão.
Coisas que as outras não gastam. Mas isso não interessa. lol

(20-02-2020 às 13:09)LoneRider Escreveu:  ..., mas como quase nunca ando de mota, não quero empatar dinheiro...

Então não há razão para drama!
Se as médias que o manteigas escreveu aqui estiverem correctas nem um desmo service irias necessitar por ano.
E o que acabavas por gastar amortizava em satisfação.

A manutenção só acaba por ser chata para quem as usa para o dia-a-dia...
Aliás, essa opção é uma verdadeira uma parvoíce.
Há que desconfiar de motos cujo odometro chega os 199.999 e bloqueia.
Nem o construtor confia nelas.

Muito provavelmente o que escrevi foi gerado automágicamente através do Moto Lero
Responder
#24

Bom dia camaradas

Para vos deixar um feedback sobre este tópico, o negócio da Ducati foi por agua abaixo.

Segundo o meu amigo, enquanto fazia (ou tentava) fazer o test-drive, a mota desligou-se 3 vezes... "fugia" para a direita e tinha sinais evidentes de acidente.

Se vissem a cara dele a contar-me, parecia um miúdo quando lhe oferecem um carro telecomandado sem pilhas...

Entretanto já agendou uma visita a outra Ducati, desta vez uma 848... Vamos lá ver o que lhe sai na rifa desta vez.

Abraço e boas curvas  V
Responder
#25

(24-02-2020 às 12:52)Marco Faria Escreveu:  Entretanto já agendou uma visita a outra Ducati, desta vez uma 848... Vamos lá ver o que lhe sai na rifa desta vez.

A 848 puxa!!!
Mas fica uma dica:

Todos os problemas eléctricos podem facilmente ser resolvidos com uma caixa de junção idêntica às que se usam na construção civil!

[Imagem: stator.jpg]


cool

Muito provavelmente o que escrevi foi gerado automágicamente através do Moto Lero
Responder
#26

(24-02-2020 às 12:52)Marco Faria Escreveu:  Bom dia camaradas

Para vos deixar um feedback sobre este tópico, o negócio da Ducati foi por agua abaixo.

Segundo o meu amigo, enquanto fazia (ou tentava) fazer o test-drive, a mota desligou-se 3 vezes... "fugia" para a direita e tinha sinais evidentes de acidente.

Se vissem a cara dele a contar-me, parecia um miúdo quando lhe oferecem um carro telecomandado sem pilhas...

Entretanto já agendou uma visita a outra Ducati, desta vez uma 848... Vamos lá ver o que lhe sai na rifa desta vez.

Abraço e boas curvas  V


Por vezes nisto das motas é uma questão de sorte. Há muitas Ducati já com vastas quilometragens e os proprietários aparentam estar satisfeitos.

Já agora, ainda bem que usas o nome correcto "Ducati" e não "Sucati, "Sukaty", etc... é que dá para desconfiar quando se leem críticas genéricas, normalmente a distorcerem o nome desta marca.

Soa sempre mal "ainda bem que não tenho uma Sucati". Fico logo a desconfiar que é o subconsciente a funcionar.

Adoraria ter uma, até a Monster 821 está soberba. Nota-se que são especiais: para quem aprecia e pode.
Responder
#27

Só posso dizer, que, deveria ter comprado esta moto à mais tempo, foi a moto mais divertida que alguma vez tive, que me deu tanto gozo a usar.

E adoro contemplar a sua beleza... É linda de tão simples que é ao olhar de "não entendidos".

Extremamente competente, incisiva, e com muita qualidade, quer seja de construção como de eficiência.

Só posso recomendar.

[Imagem: SM4eYt9.png]
Responder
#28

Félix pá! lol

És tão filho de boa gente! blink

Gostei pá, deu para me rir! kiss
Responder
#29

(24-02-2020 às 13:05)dfelix Escreveu:  
(24-02-2020 às 12:52)Marco Faria Escreveu:  Entretanto já agendou uma visita a outra Ducati, desta vez uma 848... Vamos lá ver o que lhe sai na rifa desta vez.

A 848 puxa!!!
Mas fica uma dica:

Todos os problemas eléctricos podem facilmente ser resolvidos com uma caixa de junção idêntica às que se usam na construção civil!

[Imagem: stator.jpg]


cool

O que não deixa de ser uma vantagem... lol lol lol

Live After Death...

Os Ferros...

In life, nothing happens by chance...
Responder
#30

Quem se preocupa com manutenções devia comprar uma PCX.

De resto, mais euro menos euro é tudo a mesma merda. Um guiador para uma CBF125 custa na Honda 150€. Se acham isso barato... Relativamente ao plano de manutenções, os consumiveis são os mesmos, se faz a revisão desmo aos 30k tb é só 10k antes de uma qq Japonesa que vê valvulas aos 40.
Responder




Utilizadores a ver este tópico: 1 Visitante(s)