Desabafos
#81

(22-04-2019 às 21:58)pedromt07 Escreveu:  Para mim a mota compensa todos os riscos e vai sempre compensar, sempre.

É difícil encarar outra perspectiva que nao essa quando nunca se teve um acidente a sério mas olha que ela muda.

E até vou ser aqui o mais sincero possível porque é como penso, morrer em cima de uma mota nao é o meu medo mas sim ficar incapacitado e dependente de alguém para o resto da vida, isso sim é mesmo o pior que pode acontecer.
Responder
#82

Por isso é que eu disse o que disse no meu post anterior.
Responder
#83

A forma como vivemos o motociclismo não é necessariamente uma constante ao longo do tempo.

Momentos houve que fui um autentico palerma, para não dizer uma besta, a andar de mota.
Outros houve em que fiz merda e me coloquei numa posição em que não deveria estar.
Tive azares, alguns. Vi umas quantas vezes o alcatrão de perto (e não só). Cheguei a pensar desistir. Acabei por não o fazer.
A soma dessas experiências levou-me a ser como sou hoje em dia. Não sou melhor nem pior que ninguém, e 'tá-se bem assim.

É um facto que quando andamos de mota, estamos mais expostos ao risco de algo correr mal. Por outro lado cada um de nós terá um retorno que nos impele a continuar. No dia em que deixarmos de sentir que esse retorno existe, ou que vale a pena o risco, certamente deixaremos de o fazer (se ainda formos a tempo).

Voltando ao início, a forma como vivemos o motociclismo não é necessariamente uma constante ao longo do tempo, nem tampouco é igual para todos.
Responder
#84

Tenho mais medo de morrer com Alzheimer ou outra qualquer doença crônica e incapacitante que a andar de mota.

Ditadura dos Flocos de Neve
Responder
#85

Eu pessoalmente, não penso nos potenciais problemas, nem me afecta por aí além, o tipo de notícias, como aquela que foi mencionada.

Ou por outra, afecta, mas no sentido da relação ou afectividade que possa ter com as pessoas envolvidas, ou mera empatia "normal", mas não no sentido em que posso ponderar deixar de andar de mota.

Seja mota, seja qualquer outra coisa.
Já tive malta chegada que faleceu de carro, e continuei a andar de carro e a fazer as parvoíces da altura.

Já fiz/faço outros desportos, alguns deles mais para o lado radical da coisa, e não são os acidentes/problemas/lesões dos outros que me fazem colocar em causa a minha situação.

Tal como mencionado, o que me mete mais medo, é ficar incapacitado, seja por doença ou acidente, isso sim, gostaria de não me ver nessa situação.

Mas não penso demasiado nisso, até porque acredito que de alguma forma, se esse tipo de ideias andarem pelo nosso subconsciente, vamos lá calhar mais facilmente.

Sent from my Nokia 3310 using Morse code
Responder
#86

É pá, esta conversa deprime-me...
Vou ali andar de mota, que é o meu melhor antidepressivo!
E se terminar em picadinho ou dependente de alguém para o resto da puta da vida que "sa foda"!

Sinal de que duvidei é não acelerei o suficiente! devil

I just don't run with the crowd!

www.loneriderendlessroad.com
Responder
#87

(23-04-2019 às 06:21)LoneRider Escreveu:  É pá, esta conversa deprime-me...
Vou ali andar de mota, que é o meu melhor antidepressivo!
E se terminar em picadinho ou dependente de alguém para o resto da puta da vida que "sa foda"!

Sinal de que duvidei é não acelerei o suficiente! devil

Boas;
Estou contigo. Não me apetece falar de certas m#rdas.
Quem está com dúvidas, deixe as motos e dedique-se a outra coisa qualquer.
Responder
#88

(22-04-2019 às 23:55)marco.clara Escreveu:  A forma como vivemos o motociclismo não é necessariamente uma constante ao longo do tempo.

Momentos houve que fui um autentico palerma, para não dizer uma besta, a andar de mota.
Outros houve em que fiz merda e me coloquei numa posição em que não deveria estar.
Tive azares, alguns. Vi umas quantas vezes o alcatrão de perto (e não só). Cheguei a pensar desistir. Acabei por não o fazer.
A soma dessas experiências levou-me a ser como sou hoje em dia. Não sou melhor nem pior que ninguém, e 'tá-se bem assim.

É um facto que quando andamos de mota, estamos mais expostos ao risco de algo correr mal. Por outro lado cada um de nós terá um retorno que nos impele a continuar. No dia em que deixarmos de sentir que esse retorno existe, ou que vale a pena o risco, certamente deixaremos de o fazer (se ainda formos a tempo).

Voltando ao início, a forma como vivemos o motociclismo não é necessariamente uma constante ao longo do tempo, nem tampouco é igual para todos.

Revejo-me nestas palavras...
40 anos de mota e parece que foi ontem, no entanto por vezes ao olhar o passado fico a chamar-me parvo, louco, inconsciente, etc., penso que só mesmo tendo a sorte que tive consigo neste momento estar a ler e escrever estas linhas, tal não foi a imensidão de asneiras que fiz...
No entanto, felizmente tudo me correu bem, umas vezes por sapiência, outras por mera sorte... o mesmo não posso dizer de amigos e conhecidos que já cá não estão... Ver/assistir a algum amigo/companheiro desaparecer naquele momento de diversão e partilha é dor que não desejo a ninguém!
Resta continuar a usufruir do sabor e do quando é bom andar de mota, agora com outros pensamentos e atitudes (quiçá próprias da idade) e honrar quem já partiu.
Responder
#89

Alguem leu sobre o acidente do rapaz de 30 anos, foi ontem ou antes de ontem. A mota incediou se no embate e o rapaz morreu carbonizado.

Li a pouco um comentario de alguem a dizer que o gajo do carro decidiu fazer marcha atras?

Foda se, se assim foi, é uma situacao simplesmente revoltante. Eu ando todos os dias de mota mas cada vez a vontade se vai desvanecendo mais um pouco. Andar na estrada com certos animais ao volante e sujeitar se a levar com um merdas em cima cada vez mais me desmotiva. Mesmo ontem nao tive um acidente no carro porque ia com atencao e consegui antecipar. Esta merda cada vez esta pior.
Responder
#90

(25-08-2019 às 15:49)Nfilipe Escreveu:  Alguem leu sobre o acidente do rapaz de 30 anos, foi ontem ou antes de ontem. A mota incediou se no embate e o rapaz morreu carbonizado.

Li a pouco um comentario de alguem a dizer que o gajo do carro decidiu fazer marcha atras?

Foda se, se assim foi, é uma situacao simplesmente revoltante. Eu ando todos os dias de mota mas cada vez a vontade se vai desvanecendo mais um pouco. Andar na estrada com certos animais ao volante e sujeitar se a levar com um merdas em cima cada vez mais me desmotiva. Mesmo ontem nao tive um acidente no carro porque ia com atencao e consegui antecipar. Esta merda cada vez esta pior.

O carro queria fazer inversão de marcha.
Típico condutor de carro que faz as merdas sem olhar, no verão este tipo aumenta exponencial.
Ainda há malta que haja que escapes não ajudam...
Responder




Utilizadores a ver este tópico: 1 Visitante(s)