Dakar 2016
#41

Esta 9ª etapa era uma das mais temidas e justificou-o: o motor da Honda de Paulo Gonçalves cedeu, mas o português deve poder continuar.

A tirada de hoje do Dakar, Belén- Belén, levava os concorrentes através das dunas de Fiambalá, naquela que foi a primeira parte de uma etapa-maratona para as motos e quads, e era uma das mais temidas pela caravana – o facto de se disputar maioritariamente em fora de pista, com a navegação a exigir maiores dotes, e o calor de trinta e muitos graus, faziam antever problemas.

E tudo isto se confirmou, com as cores portuguesas a sofrerem um rude golpe: Paulo Gonçalves viu um ramo de arbusto furar o radiador da sua CRF450 Rally, acabando por parar perto do CP2 (2º posto de controlo) com o motor partido.

A própria equipa Honda HRC chegou a anunciar o abandono do piloto português, mas algum tempo depois chegava a notícia: a organização do Dakar decidiu dar por terminada a etapa de hoje no CP2 por motivos de segurança, devido à verdadeira “razia” que as altas temperaturas estavam a fazer entre os concorrentes, principalmente nas motos.

Em face deste desenvolvimento, Martino Bianchi, o team manager da equipa Honda, colocou na sua página do Facebook um “post” onde anunciava a possibilidade de Paulo Gonçalves continuar em prova. Segundo Bianchi, “existe ainda alguma hipótese de ele continuar a sua corrida. Paolo Ceci e Michael Metge irão ajudá-lo a chegar ao bivouac da etapa maratona em Fiambalà, de modo a trocarem o motor avariado".

Recorde-se que se trata de uma etapa maratona, onde as equipas de assistência não estão presentes e terão de ser os pilotos a fazerem a manutenção e reparação das suas motos.

Assim sendo, fica ainda por apurar o tempo final de Paulo Gonçalves à chegada ao bivouac – que não estava ainda disponível na altura em que escrevemos estas linhas -, sendo que, a esse tempo, haverá sempre que somar 15 minutos de penalização devidos à troca de motor. O pódio fica, desta forma, irremediavelmente perdido.

[Imagem: 5695394262da3_XL.jpg]

Na frente, Toby Price esteve sempre intratável, nunca dando mostras de se sentir prejudicado por ir a abrir a etapa. O australiano da KTM combinou bem qualidades de navegação com rapidez, e foi sempre o melhor, especialmente no troço que a organização acabaria por anular, onde já somava mais de 14 minutos de vantagem. Kevin Benavides e Stefan Svitko foram os segundo e terceiro mais rápidos.

Quanto aos restantes pilotos portugueses, Hélder Rodrigues foi o 9º classificado de um dia que o piloto da amanhã reputou de “muito duro”. Hélder sofreu uma queda na fase inicial, danificando o guiador, o que o fez reduzir o ritmo.

Mário Patrão fez uma excelente etapa, sendo o 16º mais rápido, com Bianchi Prata também a rodar acima dos lugares onde o temos visto, com o 35º tempo, mas deverá ser ainda penalizado em 15 minutos por ter efetuado ontem uma troca de motor da sua CRF.

Mário Patrão mantém assim o 2º lugar da classe Maratona, mas ganhou algum tempo ao primeiro desta classe, o romeno Emanuel Gyenes, que se encontra agora 4m49s à frente do piloto de Seia.

Amanhã, a 10ª etapa do Dakar leva os concorrentes até La Rioja na segunda parte desta etapa maratona, numa tirada de 561 km, com 278 km cronometrados, outra jornada que se antevê bastante difícil devido ao calor e à travessia da dunas.

Para aceder aos tempos atualizados da 9ª etapa e da geral clique nos respetivos links.


Fonte: MOTOCICLISMO

Ricardo - Honda CB500X
[Imagem: latest?cb=20150510093035]
Responder
#42

Nem tudo estará perdido: Paulo Gonçalves não terá trocado de motor no meio da confusão que foi a 9ª etapa!

De acordo com uma informação partilhada pelo responsável de comunicação de Paulo Gonçalves, que refere que a informação que publicou no Facebook não é proveniente de fontes oficiais, o piloto português terá conseguido evitar a penalização por troca do motor da sua Honda.

Na mensagem no Facebook o responsável pela comunicação de Paulo Gonçalves refere que no final do dia de ontem em Belen, Argentina, onde se realizou mais uma etapa maratona, Paulo Gonçalves terá conseguido com muita ajuda de companheiros de equipa e, inclusivamente, dando a entender que Mário Patrão (KTM) também ajudou nas operações de mecânica, solucionar os problemas na sua Honda CRF450 Rally sem ter de trocar de motor, e assim evitou somar 15 minutos de penalização ao seu tempo na Geral, penalização imposta nestes casos.

A moto de “Speedy” terá necessitado apenas de trocar o pistão e a vela do motor da moto japonesa para continuar a trabalhar em condições que permitem ao luso manter-se a 34m01s do líder do Rali Dakar, Toby Price (KTM), além de outras reparações como ao radiador que tinha sido perfurado.

E é precisamente na classificação que também temos de falar e fazer um ponto de situação antes da realização da 10ª etapa, não apenas porque os resultados da etapa 9 foram alterados, no que se pode definir como uma “confusão”, pois não conseguimos perceber claramente como foram decididos os tempos finais de cada piloto, mas porque devido à confusão instalada, Paulo Gonçalves continua na luta pela liderança da Geral deste Dakar.

[Imagem: 56963b8057440_XL.jpg]

Ao longo do dia de ontem a ASO foi obrigada a, novamente, fazer alterações à etapa devido às condições climatéricas extremas, neste caso à temperatura muito elevada – superior aos 45ºC – que estava a causar problemas físicos nos pilotos.

12 pilotos chegaram mesmo a completar a etapa 9, como foi o caso do líder da prova Toby Price, que se tudo tivesse decorrido conforme estava delineado inicialmente, teria ganho uma enorme vantagem sobre os perseguidores. No entanto a ASO encurtou a etapa, inicialmente colocando a meta do dia em CP2, e mais tarde em CP1. Os restantes pilotos chegaram também a CP2 mas ficaram aí retidos sem ordens para prosseguir o percurso, conforme confirmado pela espanhola Laia Sanz (KTM).

Os Comissários de Prova tiveram então de extrapolar os tempos finais a partir do tempo obtido pelo último piloto a chegar ao final da etapa e aos tempos registados em CP2, ou seja, sem contar com os 12 pilotos que realmente percorreram o percurso original da etapa 9, os restantes terminaram a etapa de forma “virtual”, com tempos calculados.

Assim Toby Price venceu a 9ª etapa com um tempo total de 3h26m58s, Ricky Brabec (Honda) foi segundo a 12m29s e o “top 3” do dia ficou completo com Antoine Meo (KTM) a 13m24s.

O melhor português do dia foi Hélder Rodrigues (Yamaha) que terminou com o 8º tempo a pouco mais de 19 minutos de Price, enquanto a Paulo Gonçalves foi-lhe atribuído o tempo virtual de mais 31m56s em relação a Toby Price, o que o deixou com o 13º tempo da 9ª etapa.

Quanto aos restantes portugueses em prova, Mário Patrão foi-lhe atribuído o 17º tempo com mais de 1 hora de atraso para Toby Price, e Bianchi Prata (Honda) foi 40º a quase duas horas de diferença do vencedor.

Na Geral das motos temos então Toby Price com a sua liderança do Rali Dakar reforçada, agora com 28m59s de vantagem sobre Stefan Svitko (KTM), Paulo Gonçalves mantém-se na luta mesmo tendo descido para terceiro a 34m01s de Price – falta confirmar se trocou ou não de motor -, Hélder Rodrigues é 7º com cerca de 50 minutos de atraso para Toby Price, Mário Patrão está em 20º e segundo melhor da classe Maratona, e Bianchi Prata é 58º já a mais de 9 horas de distância do líder Toby Price.


Fonte: MOTOCICLISMO

Ricardo - Honda CB500X
[Imagem: latest?cb=20150510093035]
Responder
#43

Que paneleirice de corrida!
Aqui parece-me que a organização anda com alguém ao colo.
Querem uma prova dura tudo bem, mas convém também saber onde está o limite.
Depois, para mim, o Speedy lerpou na mesma. ..

I just don't run with the crowd!

www.loneriderendlessroad.com
Responder
#44

Em Africa ninguem se queixava do calor lol
Responder
#45

Eram outros tempos!
Uma boa parte deles estavam abandonados à sua sorte!

I just don't run with the crowd!

www.loneriderendlessroad.com
Responder
#46

Que confusão... apre...

[Imagem: SM4eYt9.png]
Responder
#47

Paulo Gonçalves termina dia com 4º tempo, Hélder Rodrigues é 7º, Mário Patrão 18º e Bianchi Prata em bom plano.

Os primeiros pilotos das motos já chegaram ao final da 10ª etapa do Rali Dakar, mais uma em que a organização se viu obrigada a alterar (leia-se: encurtar) desta feita não devido ao calor, como aconteceu na etapa de ontem, mas devido às chuvas torrenciais que a 30 km do fim da etapa fizeram com que um rio se tornasse intransponível.

Sendo assim, a etapa que levaria os pilotos de Belen a La Rioja ao longo de um total de 561 km e 278 km de especial cronometrada, acabou por ficar 30 km mais curta, mas isso em nada alterou o que se assistiu ao longo do dia: Stefan Svitko (KTM), que ontem assumiu a vice-liderança do Rali Dakar – após a confusão que foi a atribuição de tempos na 9ª etapa – hoje voltou a atacar muito forte e voou ao longo de toda a etapa!

Svitko sente que pode chegar à vitória e apenas contou com o andamento, também muito forte, de Kevin Benavides (Honda) mas que se manteve sempre a mais de um minuto de distância do eslovaco, sendo que Benavides chegou a La Rioja com 2m54s de diferença para Stefan Svitko. O pódio desta 10ª etapa ficou completo com a presença de Toby Price (KTM), que mantém a liderança confortável, mas com Svitko mais perto, agora a 23m12s de distância na Geral.

[Imagem: 5696914396ea3_XL.jpg]

Quanto aos portugueses Paulo Gonçalves e a sua Honda CRF450 Rally apresentaram-se no início desta 10ª etapa em piores condições do que os adversários mais diretos, especialmente porque as condições da moto de “Speedy” não eram, de todo, as melhores, fruto dos problemas de radiador que obrigaram, conforme já foi confirmado oficialmente pelo Team Honda HRC, à troca de pistão e vela e não à troca de motor, o que teria dado uma penalização de 15 minutos.

Mas estes problemas não se fizeram notar na prestação do piloto português, que desde início arrancou decidido a atacar a vitória na etapa, mas também de olhos bem fixos na liderança do Dakar. Paulo Gonçalves foi passando em todos os “waypoints” à frente de Toby Price com o que seria o terceiro tempo do dia. Infelizmente Paulo Gonçalves perdeu ligeiramente o andamento mesmo no final da etapa, e acabou com o 4º tempo, perdendo mais 14 segundos para Price e, pior, 6m01s para Stefan Svitko, numa luta que ainda vai aquecer pelos lugares do pódio deste Rali Dakar.

Assim, e após a 10ª etapa, sendo que poderão ser dadas ainda penalizações que só serão conhecidas nas próximas horas, temos Toby Price na liderança do Rali Dakar com 23m12s de vantagem sobre Stefan Svitko, e Paulo Gonçalves mantém-se em terceiro da Geral com 34m15s de desvantagem para a liderança.

Hélder Rodrigues e a sua Yamaha continuam em prova e novamente dentro dos dez mais rápidos do dia. Mais concretamente Hélder Rodrigues foi 7º a 12m01s de diferença de Svitko. Na Geral o português da Yamaha ocupa a 7ª posição com 56m17s de atraso para o primeiro classificado.

Quem também aproveitou o dia de hoje para atacar, e após demonstrar todo o verdadeiro espírito do Rali Dakar ao ajudar o compatriota Paulo Gonçalves na reparação da moto ontem em Belen, foi Mário Patrão e a sua KTM. Patrão, que é atualmente segundo classificado na classe Maratona, no momento em que escrevemos esta notícia chegou a La Rioja creditado com o 18º tempo do dia, e aparece atualmente em 15º da Geral, uma classificação excecional e a confirmar nas próximas horas com a chegada de mais pilotos ao final da etapa.

Por último Bianchi Prata. Aos comandos da sua Honda o português, tal como Mário Patrão, apenas passou ainda em WP5 e não tem ainda tempo registado à chegada da etapa. No entanto, e se não houver problemas de maior, Bianchi Prata conseguirá obter um bom resultado hoje, pois até ao WP5 vinha a fazer o 29º tempo.

Clique aqui para saber os resultados atualizados da 10ª etapa do Rali Dakar

Clique aqui para saber os resultados atualizados da Geral após a 10ª etapa

Ricardo - Honda CB500X
[Imagem: latest?cb=20150510093035]
Responder
#48

Que cena esquisita... um DAKAR com chuvas torrenciais... onde já se viu...

[Imagem: SM4eYt9.png]
Responder
#49

(14-01-2016 às 13:28)nelsonajm Escreveu:  Que cena esquisita... um DAKAR com chuvas torrenciais... onde já se viu...

Ou se anula etapas por altas temperaturas (>45º) ou por chuvas torrenciais!!! confused

Ricardo - Honda CB500X
[Imagem: latest?cb=20150510093035]
Responder
#50

E ao terceiro azar consecutivo.... parece que foi de vez! Haja galo....

3 etapas seguidas de azar deve mesmo ser sina, ou alguém lhe rogou uma praga. sad
Não desistiu na 1ª queda.... depois rebenta o radiador e ainda assim não desiste.... e só à 2ª queda é que salta fora. redeye

Quando um gajo anda com azar, nada a fazer.... até os cães lhe mijam para as pernas! confused
____________________________________________________

Paulo Gonçalves cai no Dakar e é transportado para o hospital


O Dakar terminou para o português Paulo Gonçalves, que era terceiro na classificação geral à partida para a 11.ª etapa. Segundo a assessoria de imprensa do piloto da Honda, Gonçalves sofreu mais uma queda e foi encontrado inconsciente, tendo sido transportado para o hospital.

Paulo Gonçalves venceu uma etapa na presente edição do Dakar e chegou a ocupar a liderança da geral durante quatro etapas. O piloto de Esposende, segundo classificado no mítico rali em 2015, era apontado como um dos favoritos à vitória.

A equipa Honda confirmou o abandono de Paulo Gonçalves na sequência da violenta queda sofrida na etapa desta quinta-feira, quando estavam cumpridos aproximadamente 120 quilómetros do total de 431km cronometrados.


fonte

[Imagem: zX4Kq81.png]

Responder




Utilizadores a ver este tópico: 1 Visitante(s)