Dakar 2015
#1

Live Feed


Resumo da 1ª Etapa (Buenos Aires - Villa Carlos Paz)

http://youtu.be/vUy3Jh1VY-o

Resumo da 2ª Etapa (Villa Carlos Paz - San Juan)

Motas - Classificação Geral

  1. Joan Barreda Bort
  2. Paulo Gonçalves +6m13s
  3. Rúben Faria +9m16s

http://youtu.be/m6yx2le9Atg


Resumo da 3ª Etapa (San Juan - Chilecito)

Motas - Classificação Geral


Código PHP:
BARREDA BORT (ESPHONDA  09:43:05
GONCALVES     (PRTHONDA  09:48:38    00:05:33
WALKNER        (AUTKTM      09:53:38   00:10:33

FARIA             (PRTKTM      09:55:15   00:12:10

RODRIGUES      (PRTHONDA  10:01:39   00:18:34 


http://youtu.be/iT_W-tXNE8o


Michal Hernik, 39 anos, motociclista polaco que disputava o seu primeiro Dakar pela KTM com o dorsal 82, foi encontrado morto cerca do km 206 na etapa San Juan - Chilecito. Hernik não apresentava qualquer sinal exterior de acidente.

http://youtu.be/ObNKcCz0GIw


Resumo da 4ª Etapa (Chilecito - Copiapo)

http://youtu.be/P95b8R1YZzE

1  BARREDA BORT JOAN (ESP) HONDA CRF450RALLY 13h10m33s
2  COMA MARC (ESP) KTM 450 RALLY REPLICA 13h23m22s +12m49s
3  GONÇALVES PAULO (PRT) HONDA CRF450RALLY 13h31m02s +20m29s
4  FARIA RUBEN (PRT) KTM 450 RALLY REPLICA 13h33m38s +23m05s
5  VILADOMS JORDI (ESP) KTM 450 RALLY REPLICA 13h35m24s +24m51s
6  QUINTANILLA PABLO (CHL) KTM 450 RALLY REPLICA 13h41m15s +30m42s
7  PRICE TOBY (AUS) KTM 450 RALLY REPLICA 13h42m38s +32m05s
8  WALKNER MATTHIAS (AUT) KTM 450 RALLY REPLICA 13h44m01s +33m28s
9  DUCLOS ALAIN (FRA) SHERCO TVS S6450EN 13h47m04s +36m31s
10 RODRIGUES HELDER (PRT) HONDA CRF450RALLY 13h49m38s +39m05s

Próximo...
Responder
#2

thumbsup clap

Ainda a procissão vai no adro... E muita areia ainda vai correr sob aquelas rodas. Mas esperemos que os tugas se mantenham no topo da classificação. É que começamos a gostar de os ver nos lugares cimeiros, tal como tem acontecido nos anos anteriores e já não prescidimos disso!

E temos pilotos para trazerem um ou mais pódios para casa. Parabéns.



Responder
#3

Ainda não tinha aberto este tópico por falta de tempo! Obrigado n00b1e!

Espero que este ano o azar não bata à porta do Paulo Gonçalves, já é tempo de ter uma grande classificação no Dakar!!!

Gosto de ver o Rúben Faria em frente do companheiro de equipa! thumbsup
Mas sim, ainda é muito cedo, foram apenas 2 das 13 etapas! cool

Ricardo - Honda CB500X
[Imagem: latest?cb=20150510093035]
Responder
#4

Nota: Porque o fórum só permite posts com um max de 5 clips terei que os dividir.

Live Feed


Resumo da 5ª Etapa (Copiapo - Antofagasta)










Classificação Nome / Nacionalidade Mota Tempo Diferença
BARREDA BORT JOAN (ESP) HONDA CRF450RALLY 17h51m05s -
COMA MARC (ESP) KTM 450 RALLY REPLICA 18h01m38s +10m33s
GONÇALVES PAULO (PRT) HONDA CRF450RALLY 18h13m55s +22m50s
- - - - -
FARIA RUBEN (PRT) KTM 450 RALLY REPLICA 18h29m18s +38m13s
- - - - -
10º RODRIGUES HELDER (PRT) HONDA CRF450RALLY 18h34m29s +43m24s

http://youtu.be/zIDr7RC_uZg



Resumo da 6ª Etapa (Antofagasta - Iquique, 688 Km)












...

[Imagem: wrong-bike.jpg]
Responder
#5



Bem eu nem sei q diga sobre este perigo...

O maçarico  shy
Responder
#6

Dakar 2015 – 9ª etapa: Hélder Rodrigues vence novamente!

[Imagem: 130115helderh.jpg]

   Depois do descalabro que foi a etapa de ontem para dois dos pilotos Honda oficiais que estavam na frente do Rali Dakar, em que Joan Barreda perdeu a liderança e ficou completamente afastado da luta pela vitória e Hélder Rodrigues a perder mais de três horas com problemas elétricos na sua CRF450 Rally, hoje foi a vez da marca japonesa saborear o triunfo pelas mãos, precisamente, de Hélder Rodrigues.

   Mas mais do que isso, a Honda vê Paulo Gonçalves, o único piloto da marca que resistiu ao Salar e a estar na luta pelas melhores posições na Geral, a ficar agora a apenas 5m28s de Marc Coma (KTM) na luta pelo Rali Dakar!

   Mas vamos primeiro ao filme da 9ª etapa.

   O dia de hoje levou a caravana a arrancar de Iquique em direção a Calama, um percurso que os afastou em definitivo do Deserto do Atacama. Em termos de distância foram cumpridos 88 km de ligação e 451 km de especial cronometrada, em que as motos tiveram de percorrer trilhos bastante esguios e enfrentaram 50 km de piso de areia e muitas dunas.

   O vencedor da etapa, tal como referimos no início, foi Hélder Rodrigues, que assim se torna no segundo piloto a conseguir bisar nas vitórias de etapa da edição deste ano do Dakar, e obtém a sétima vitória na carreira. Hélder demorou 5h06m14s para chegar a Calama, e levou atrás de si Paulo Gonçalves.

   O segundo classificado da Geral das motos, único piloto Honda atualmente capaz de impedir 14ª vitória consecutiva da KTM no Dakar pelas mãos de Coma, e a maior esperança lusa para a vitória final, “Speedy” Gonçalves foi segundo no dia, e o dado mais importante é que recuperou 3m43s em relação a Marc Coma que foi o terceiro a 7m34s de Hélder Rodrigues.

   Com esta conjugação de resultados o português Paulo Gonçalves ameaça cada vez mais a liderança de Marc Coma na Geral, e parece estar em plenas condições para obrigar Coma a ir aos seus limites e tentar que o líder do Dakar cometa um erro que decida a vitória final.

   Mas não foi apenas a Marc Coma que Paulo Gonçalves ganhou tempo hoje! Em relação ao terceiro classificado da Geral, Pablo Quintanilla (KTM), “Speedy” Gonçalves viu a sua vantagem aumentar dos cerca de 11 minutos no dia de ontem para uns mais saudáveis 26m52s após esta nona etapa, o que também lhe permite estar mais tranquilo em relação ao seu segundo lugar.

   Ruben Faria é o português seguinte na lista dos mais rápidos da etapa de hoje. O piloto da KTM foi 12º melhor na chegada a Calama e perdeu 34m22s para o compatriota Hélder Rodrigues. Na classificação Geral, Ruben mantém o sexto lugar, a 1h01m22s do líder Marc Coma, mas vê Toby Price (KTM) e Stefan Svitko (KTM), respetivamente 4º e 5º na Geral, a conseguirem ganhar mais de 10 minutos cada ao piloto luso o que o afasta mais ainda de um lugar final dentro do “Top 5”.

   Quanto a Mário Patrão, e no momento em que escrevemos esta notícia ainda faltam chegar muitos pilotos que podem alterar esta classificação, o piloto português da Suzuki continua em prova e chegou mais uma vez ao final da etapa a manter o sonho de chegar a Buenos Aires bem vivo. O piloto natural de Seia fez hoje o 31º tempo, e na Geral subiu de 40º para 36º, a pouco mais de 11 horas de distância de Marc Coma.

   A causa de mais um atraso bastante penalizador para o esforço do piloto português foi um tubo de gasolina da sua Suzuki que rebentou logo nos primeiros quilómetros da etapa, o que obrigou Patrão a perder muito tempo para reparar a falha, tendo depois recuperado posições e algum tempo ao longo do dia.

   Para amanhã o Rali Dakar entra na sua fase decisiva.

   A 10ª etapa será a primeira parte da segunda maratona para as motos, com partida em Calama e chegada a Salta, 520 km de ligação e 371 km de especial cronometrada. A altitude máxima do dia atinge os 4.970 metros acima do nível do mar, no Paso de l’Acay.

   Em Salta, já de regresso à Argentina, as motos não terão acesso a assistência externa das equipas. Por essa razão, espera-se que tanto a Honda como a KTM preparem táticas especiais para Paulo Gonçalves e Marc Coma e, com quatro motos da Honda a arrancarem nos cinco primeiros do dia, a marca japonesa tudo fará para que o piloto português fique o mais afastado possível do adversário espanhol no percurso, pois assim garantem que não recupera qualquer minuto dos que perdeu hoje.

   Será de prever que os pneus tenham especial importância nesta “luta” final em distância maratona que, tudo indica, decidirá o vencedor do Dakar deste ano.

   Iremos atualizar assim que possível esta notícia com as habituais declarações pós-etapa dos pilotos portugueses. Fique atento a www.motociclismo.pt para saber tudo sobre o Rali Dakar 2015 e as classificações dos pilotos portugueses que se mantêm todos em prova. A não perder!

   Classificação da 9ª etapa

   1.Hélder Rodrigues (Honda), 5h06h14s
   2. Paulo Gonçalves (Honda), a 3m51s
   3. Marc Coma (KTM), a 7m34s
   4. Joan Barreda (Honda), a 19m47s
   5. Javier Pizzolito (Honda), a 20m07s
   6. Stefan Svitko (KTM) a 21m40s
   7. Matthias Walkner (KTM), a 22m02s
   8. Toby Price (KTM), a 23m09s
   9. Pablo Quintanilla (KTM), a 23m15s
   10. Olivier Pain (Yamaha), a 28m09s
   12. Ruben Faria (KTM), a 34m22s
   31. Mário Patrão (Suzuki), a 1h43m48s

   Classificação Geral após 9ª etapa - atualizada

   1.Marc Coma (KTM), 34h05m
   2. Paulo Gonçalves (Honda), a 5m28s
   3. Pablo Quintanilla (KTM), a26m52s
   4. Toby Price (KTM), a 31m31s
   5. Stefan Svitko (KTM), a 40m36s
   6. David Casteu (KTM), a 1h31m26s
   7. Ruben Faria (KTM), a 1h41m22s
   8. Laia Sanz (Honda), a 1h54m37s
   9. Ivan Jakes (KTM), a 2h18m31s
   10. Olivier Pain (Yamaha), a 2h36m13s
   13. Hélder Rodrigues (Honda), a 3h18m07s
   36. Mário Patrão (Suzuki), a 11h00m02s

  ATUALIZAÇÃO

   Já depois de termos escrito esta notícia, chegou-nos a informação de que Ruben Faria foi penalizado no final da etapa com 40 minutos acrescentados ao seu tempo. As indicações que já confirmámos oficialmente é de que Ruben falhou um "waypoint" e por isso a organização aplicou a devida penalização.

   O piloto português da KTM passa a estar a 1h41m22s do primeiro na Geral das motos, Marc Coma, e com esta penalização desce mesmo do 6º para o 7º posto. As hipóteses de terminar no "Top 5" em Buenos Aires estão drasticamente reduzidas pois Ruben tem agora uma diferença de cerca de uma hora para o 5º, Stefan Svitko, mas pode ainda recuperar o sexto lugar por troca com David Casteu, pois o francês está a pouco mais de 10 minutos de diferença do português.

  Declarações dos pilotos portugueses após a 9ª etapa

   Hélder Rodrigues (Honda)

   "Iniciei a etapa muito forte e concentrado consegui um bom ritmo até ao reabastecimento. Percebi que ia na frente da corrida e tinha o Paulo atrás de mim dois minutos. Como não queria fazer pó de modo a evitar que perdesse tempo para o Marc, esperei um pouco e deixei-o passar. Ele depois perdeu-se. Não encontrou um waypoint que eu consegui encontrar mais rápido e continuei num bom ritmo até ao fim para conseguir ganhar a etapa"

   Paulo Gonçalves (Honda)

   "Hoje foi um bom dia para a equipa HRC, o Hélder [Rodrigues] ganhou a etapa, está de parabéns, eu consegui fazer uma boa especial, encurtei a distância para a frente da corrida e consegui distanciar-me dos meus perseguidores. No início estava muito pó, mas sabia que era um dia importante para ganhar algum tempo, estava a fazê-lo muito bem mas ao quilómetro 320 perdi imenso tempo a encontrar um waypoint muito difícil de encontrar, andei cerca de 10 quilómetros para o encontrar, mas depois tinha mais 210 para tentar recuperar voltar a encostar-me na frente da corrida, ataquei bastante e acabei por conseguir chegar relativamente perto. Estou satisfeito por mim, pela equipa HRC, pelo Hélder… depois do mau dia que a equipa teve ontem hoje foi bom termos recuperado e termos ganho a etapa"

   Ruben Faria (KTM)

   "Hoje senti um pouco de dificuldades na fase final especialmente devido à altitude e ao cansaço acumulado do dia de ontem. Hoje ressenti-me um pouco mais do esforço de ontem mas mantive a sexta posição. Estou pronto para uma fase final de Dakar que promete ser bastante dura pois amanhã enfrentamos a primeira parte de uma segunda etapa maratona e essa sim pode ser decisiva para o resultado final"

   Mário Patrão (Suzuki)

   "É triste mas é verdade. Já não sei que dizer, tudo me continua a acontecer, tudo está bem e de repente tudo muda. Está a ser um Dakar mesmo controverso e no qual sinto que não pude dar ainda metade do meu valor! Sei que tenho muito mais para dar nesta prova, falta-me a estrela da sorte e melhores condições, mas estamos cá, com as armas que temos e que conseguimos, não foi fácil chegar até aqui, mas com o apoio de todos os meus patrocinadores e daqueles que acreditam neste projeto foi mais fácil. Vamos trabalhar para mais e melhor, não vou baixar os braços e vou lutar pela chegada a Buenos Aires"

fonte



Responder
#7

Dakar 2015 – 10ª etapa: tudo por decidir

[Imagem: 140115rubenh.jpg]

O Dakar regressou hoje à Argentina, com uma tirada de quase novecentos quilómetros entre Calama e Salta, 471 km dos quais numa especial cronometrada que começou a 3600 metros de altitude, em plena cordilheira dos Andes.

Esta foi, também, a primeira parte de nova etapa maratona, sendo que no bivouac de hoje em Salta não haverá apoio mecânico, outra razão pela qual esta era uma etapa “de nervos”, para a qual o líder Marc Coma e o 2º colocado, Paulo Gonçalves, partiram separados por apenas 5m28s. Era uma jornada em que as estratégias das marcas em luta, respetivamente KTM e Honda, estavam mais do que nunca em campo, cada uma a tentar colocar da melhor maneira os seus peões no terreno.

De um lado, Marc Coma apoiado por Ruben Faria, Toby Price e os privados Quintanilla, Svitko, Jakes ou Casteu, enquanto do lado da Honda Paulo Gonçalves tem a “trabalhar para si” Joan Barreda, Hélder Rodrigues, Laia Sanz, Israel e mesmo Pizzolito, que certamente terão instruções para canibalizar as suas CRF 450 Rally caso algo seja necessário na moto de Gonçalves.

Quanto a resultados, e excetuando o abandono de Mário Patrão, que detalhamos mais à frente, nada de grave para a esquadra lusa. Joan Barreda venceu, levando atrás de si Coma, na esperança eventual de algum erro do quatro vezes vencedor da prova, e Ruben Faria fez um excelente terceiro lugar - que até pode funcionar amanhã em favor de Gonçalves, pois deixa-o partir mais atrás, longe do controlo de Coma.

Para Ruben Faria, este foi um dia intenso, recuperando bastante tempo para o 6º posto que era seu ontem, antes de lhe ter sido averbada a penalização de 40 minutos por ter falhado um waypoint, que o fez descer para 7º da geral.

Segundo o piloto algarvio da KTM, “a etapa não era muito exigente do ponto de vista de navegação e desde os primeiros quilómetros que me senti muito bem. Percebi no momento do reabastecimento que podia fazer um bom resultado e resolvi atacar um pouco mais na fase final, também para procurar encontrar uma boa posição para a especial de amanhã. Hoje foi o primeiro dia de uma maratona e todos os pilotos se retraíram um pouco para poupar material para amanhã. A minha moto está perfeita e amanhã vou tentar imprimir um bom ritmo desde a partida porque me sinto também confortável neste tipo de piso.”

Paulo Gonçalves foi quinto, atrás dos pilotos referidos e de Toby Price, e perdeu 2m07s para o líder, o que o deixa agora a 7m35s de Marc Coma. Hélder Rodrigues foi hoje o sétimo e subiu um lugar na geral, para o 12º lugar, embora não seja esta agora a sua guerra.

Para Paulo Gonçalves, esta foi uma “etapa sem contratempos. Saí atrás do Hélder Rodrigues e mantive uma toada assertiva até ao final. O Marc (Coma) saiu atrás de mim, apanhou-me e desde então seguimos juntos. Sei que vamos ter um pouco deste jogo até ao final, mas está tudo em aberto. O importante é concentrar-me na prova, faltam mais três dias e o Dakar só termina em Buenos Aires. Estamos a trabalhar em equipa, a equipa HRC está a fazer um excelente trabalho, estamos todos de parabéns por termos chegado até aqui. Não percam os próximos episódios”, adianta o piloto de Esposende.

Quanto a Mário Patrão, que tem sido assolado por problemas mecânicos de toda a ordem na sua Suzuki durante a prova, voltou a não ter a sorte do seu lado, e foi forçado a abandonar na etapa de hoje, com problemas de injeção. Logo ao KM 16, já depois de uma longa ligação e a uma altitude superior a 4.000 metros, o piloto de Seia foi obrigado a baixar os braços devido a mais esta avaria. Foi um esforço enorme e, infelizmente, inglório, o do Campeão Nacional de TT, que, com meios incomparavelmente menores do que os seus compatriotas em prova, lutou sempre contra as adversidades.

[Imagem: 140115marioh.jpg]

“Estou fora de prova, triste, exausto, fiz tudo o que podia mas a sorte não me quis acompanhar neste Dakar”, referiu no final Mário Patrão. “Andei todos os dias como se estivesse na minha oficina, em Seia, sempre a reparar a moto pelo percurso, sempre com problemas. Fiz de tudo para me limitar a chegar a Buenos Aires, o objetivo principal era terminar, já que impor o meu ritmo e as minhas capacidades estava fora de questão”, explicou. “Para este ano acabou, terminou o sonho mas não acaba a esperança. Se conseguir reunir condições dignas de provar o meu valor espero voltar e levar por diante um bom Dakar. Esta prova apaixonou-me, pedras no sapato há muitas, resta-me aprender a evitá-las”, concluiu.

Amanhã, a 11ª e antepenúltima etapa deste Dakar leva a caravana de Salta até Termas de Rio Hondo, com 161 km de ligação e 351 km de especial.


Classificação da 10ª etapa

1. Joan Barreda (Honda), 4h07m11s
2. Marc Coma (KTM), a 1m39s
3. Ruben Faria (KTM), a 1m57s
4. Toby Price (KTM), a 2m14s
5. Paulo Gonçalves (Honda), a 3m46s
6. Stefan Svitko (KTM) a 6m22s
7.Hélder Rodrigues (Honda), a 6m26s
8. Pablo Quintanilla (KTM), a 6m29s
9. Ivan Jakes (KTM), a 8m59s
10. Hans Vogels (KTM), a 10m19s

Classificação Geral após 10ª etapa

1.Marc Coma (KTM), 38h13m50s
2. Paulo Gonçalves (Honda), a 7m35s
3. Pablo Quintanilla (KTM), a 31m42s
4. Toby Price (KTM), a 32m06s
5. Stefan Svitko (KTM), a 45m19s
6. David Casteu (KTM), a 1h41m14s
7. Ruben Faria (KTM), a 1h41m40s
8. Laia Sanz (Honda), a 2h05m00s
9. Ivan Jakes (KTM), a 2h25m51s
10. Olivier Pain (Yamaha), a 2h50m11s
12. Hélder Rodrigues (Honda), a 3h22m54s

Ricardo - Honda CB500X
[Imagem: latest?cb=20150510093035]
Responder
#8

Dakar 2015 – 11ª etapa: Gonçalves ao ataque!

[Imagem: 150115speedyh.jpg]

Os pilotos das motos já chegaram ao final da 11ª etapa do Rali Dakar, dia que ligou Cachi a Termas de Rio Hondo. A segunda metade de nova “maratona” para as motos prometia um forte ataque de Paulo Gonçalves à liderança de Marc Coma, e o português da Honda não desiludiu conquistando 2m23s ao espanhol da KTM, o que os deixa agora separados por 5m12s.

O vencedor do dia foi mesmo Joan Barreda (Honda), que voltou a mostrar um andamento infernal. Barreda deixou Gonçalves a 17 segundos de distância, Ivan Jakes (KTM) foi o terceiro melhor de hoje a 1m35s e Marc Coma foi 6º na etapa a 2m40s do compatriota.

Este forte ataque do “Speedy” Gonçalves na etapa de hoje não será alheio ao facto do português ter recebido um motor praticamente novo de Joan Barreda, no final da etapa de ontem, motor que o piloto espanhol tinha colocado na etapa 9 e por isso já tinha recebido a obrigatória penalização de 15 minutos. Barreda por sua vez recebeu ontem o motor usado de Jeremias Israel, que entretanto abandonou o Dakar.

Com estas trocas de motor Paulo Gonçalves terá 15 minutos de penalização (primeira vez que trocou) que serão somados ao seu tempo na Geral no final do dia de hoje, enquanto Joan Barreda, por ser a segunda vez que troca de motor deverá receber 45 minutos de penalização.

Com o tempo conquistado hoje, Paulo Gonçalves conseguiu colocar Marc Coma sob um pouco mais de pressão quando já só faltam realizar duas etapas para chegarmos ao final da prova deste ano. E também não vê o seu segundo posto final em perigo, pois na Geral o terceiro classificado, Toby Price (KTM), está atualmente a 26m31s do português, diferença que, se o australiano não trocou de motor ou receber outra penalização, vai descer para 11m31s, deixando o português com margem de manobra.

De referir ainda que nesta luta “titânica” pela vitória no Rali Dakar, e tendo Paulo Gonçalves trocado de motor ontem à noite, a KTM deverá fazer o mesmo à moto de Marc Coma durante a noite de hoje, sendo que por essa razão a diferença entre primeiro e segundo na Geral não sofrerá alterações significativas.

Quanto aos restantes portugueses que se mantêm em prova – relembramos que infelizmente Mário Patrão (Suzuki) teve ontem de abandonar por problemas mecânicos -, Ruben Faria (KTM) foi o quarto mais rápido na chegada a Termas de Rio Hondo, perdeu 1m43s para Barreda, e na Geral consegue subir uma posição, ocupando agora o 6º lugar a 1h40m43s de Marc Coma.

Hélder Rodrigues (Honda) foi 8º melhor hoje, a 5m25s do companheiro de equipa Joan Barreda. Na Geral mantém para já o 12º posto, mas recuperou tempo para o holandês Hans Vogels (KTM), o que o deixa com boas hipóteses de ainda subir a 11º na chegada a Buenos Aires no próximo sábado.

Quanto à etapa de amanhã, que une Termas de Rio Hondo a Rosario, vai levar os pilotos a percorrer 726 km de ligação e 298 km de especial. Será uma das últimas, ou mesmo a última, oportunidade para Paulo Gonçalves atacar a vitória final, mas tem pela frente o experiente Marc Coma.

Este duelo final promete durar e levar as nossas emoções ao máximo. Por isso fique atento a www.motociclismo.pt para saber todos os resultados, declarações dos pilotos portugueses e, se tudo correr bem para as cores lusas, preparar os festejos do que seria uma vitória incrível de Paulo Gonçalves!

Iremos atualizar esta notícia assim que possível com as declarações dos pilotos portugueses após a 11ª etapa.

Classificação da 11ª etapa

1.Joan Barreda (Honda), 3h26m33s
2. Paulo Gonçalves (Honda), a 17s
3. Ivan Jakes (KTM), a 1m35s
4. Ruben Faria (KTM), a 1m43s
5. Toby Price (KTM), a 2m17s
6. Marc Coma (KTM), a 2m40s
7. Pablo Quintanilla (KTM), a 4m13s
8. Hélder Rodrigues (Honda), a 5m25s
9. Alain Duclos (Sherco), a 5m26s
10. Stefan Svitko (KTM), a 5m27s

Classificação Geral após 11ª etapa

1.Marc Coma (KTM), 41h43m03s
2. Paulo Gonçalves (Honda), a 5m12s
3. Toby Price (KTM), a 31m43s
4. Pablo Quintanilla (KTM), a 33m15s
5. Stefan Svitko (Honda), a 48m07s
6. Ruben Faria (KTM), a 1h40m43s
7. David Casteu (KTM), 1h46m51s
8. Laia Sanz (KTM), a 2h13m20s
9. Ivan Jakes (KTM), a 2h24m46s
10. Olivier Pain (Yamaha), a 2h55m17s
12. Hélder Rodrigues (Honda), a 3h25m39s

Declarações dos pilotos portugueses após 11ª etapa

Paulo Gonçalves (Honda)

"Hoje foi uma boa etapa, limpa, não podia arriscar demasiado pois era o segundo dia da etapa maratona e ainda para mais estamos a dois dias do final do Dakar e com um lugar no pódio. Preferimos fazer esta troca a deitar tudo por terra. Tive um problema com o meu motor, não tínhamos assistência mecânica, era uma etapa maratona, não podíamos correr riscos. Só tenho a agradecer o esforço do Barreda, do Israel e do Hélder, cuja experiência foi fundamental. Trabalhámos de forma incrível, mudámos três motores, estou muito orgulhoso dos meus companheiros."

Ruben Faria (KTM)

"Foram dois dias de pistas de serra que gostei bastante. O Chile foi muito complicado para mim em termos fisicos e senti que estava mesmo no meu limite. Com a entrada na Argentina o terreno mudou e para mim este tipo de percurso é mais ‘amigo’ do meu pulso, com o qual tenho sentido mais dificuldades, mesmo do que a clavicula que felizmente até ao momento não me deu problemas. Está a ser um Dakar muito duro mas muito giro e faltam apenas dois dias para chegar a Buenos Aires."

Hélder Rodrigues (Honda)

"Era muito importante para a equipa que esse trabalho fosse feito e conseguimos. Terminámos às duas da manhã e levantámo-nos às cinco e meia. Com isso não houve tempo para preparar o road book pelo que tivemos de ser mais cautelosos. Mas correu tudo bem. Estou feliz por ter podido ajudar a equipa a manter as suas ambições de uma boa classificação."

fonte

Ricardo - Honda CB500X
[Imagem: latest?cb=20150510093035]
Responder
#9

Até agora, 2º posto, 6º e 12º após 11 etapas.... com 3 etapas ganhas por tugas. Bom saldo! Esperemos que assim continue e que um pódio venha para cá. thumbsup clap



Responder
#10

O que eu gostava mesmo era que o Marc Coma tivesse uma avaria que lhe custasse 6 minutinhos..... lol

Paulo Gonçalves for the win!!!!! bigsmile

Ricardo - Honda CB500X
[Imagem: latest?cb=20150510093035]
Responder




Utilizadores a ver este tópico: 1 Visitante(s)