Da bicicleta para um bom motor
#21

(03-04-2015 às 22:54)n00b1e Escreveu:  São isso tudo e ainda são também... caras...

Caras para comprar e caras manter em boas condições tendo aqui em conta as "distracções" próprias da iniciação.

Só a titulo de exemplo, neste momento no SV há uma Duc 696 de 2008 por 5.750 e uma Honda NC750S de 2014 com ABS por 5.100
Tendo isto em conta, e abstraindo-nos por momentos das nossa preferências pessoais, qual fará mesmo mais sentido sugerir?   blink

É italiana.... é exclusiva.... é linda!!! Tudo isso se paga, my friend. Almoços grátis não há!

Lá está, quem não está na disposição de o fazer... anda de CB500.... ou de XJ600.... ou numa "dessas cujo nome não deverá ser pronunciado" (eu também já o fiz.... andei de CB500, porque €ra complicado andar de Monster ou outras suas congéneres)! Agora é uma questão de marcar a diferença... Como a Lynx refere.... «mas quero algo menos comum». Diz também «Mas não estupidamente caro». Não sei o que poderá (para ela) ser algo "estupidamente caro" e qual a bitola porque se rege. Mas preferiria dar 2750 euros por uma M600 de 1998 (bem regateado sacava-se por 2500), do que quase 2000 euros por uma CB500 com menos um ano.

(vendi a minha CB500 de 1996, em 2007, por 1750 euros. Em 2015, ou seja, 8 anos depois, continuo a ver CB500 com pouca diferença temporal a pedirem valores semelhantes.)

Uma moto (mais) cara / exclusiva, no acto de comprar, tem também depois o reverso da medalha, no acto de a vender, pois acaba por ser sempre sobrevalorizada em relação às demais.

[Imagem: zX4Kq81.png]

Responder
#22

n00b1e...a ti só te digo...cuidado com as companhias lol lol lol lol
Responder
#23

(04-04-2015 às 08:45)Rod Escreveu:  n00b1e...a ti só te digo...cuidado com as companhias  lol  lol  lol  lol

Uiiiiii..... Agora percebo! Já está contaminado.
Pobre n00b1e.... Não te percas, my friend! lol

[Imagem: zX4Kq81.png]

Responder
#24

(04-04-2015 às 00:34)carlos-kb Escreveu:  
(03-04-2015 às 22:54)n00b1e Escreveu:  São isso tudo e ainda são também... caras...

Caras para comprar e caras manter em boas condições tendo aqui em conta as "distracções" próprias da iniciação.

Só a titulo de exemplo, neste momento no SV há uma Duc 696 de 2008 por 5.750 e uma Honda NC750S de 2014 com ABS por 5.100
Tendo isto em conta, e abstraindo-nos por momentos das nossa preferências pessoais, qual fará mesmo mais sentido sugerir?   blink

É italiana.... é exclusiva.... é linda!!! Tudo isso se paga, my friend. Almoços grátis não há!

Lá está, quem não está na disposição de o fazer... anda de CB500.... ou de XJ600.... ou numa "dessas cujo nome não deverá ser pronunciado" (eu também já o fiz.... andei de CB500, porque €ra complicado andar de Monster ou outras suas congéneres)! Agora é uma questão de marcar a diferença... Como a Lynx refere.... «mas quero algo menos comum». Diz também «Mas não estupidamente caro». Não sei o que poderá (para ela) ser algo "estupidamente caro" e qual a bitola porque se rege. Mas preferiria dar 2750 euros por uma M600 de 1998 (bem regateado sacava-se por 2500), do que quase 2000 euros por uma CB500 com menos um ano.

(vendi a minha CB500 de 1996, em 2007, por 1750 euros. Em 2015, ou seja, 8 anos depois, continuo a ver CB500 com pouca diferença temporal a pedirem valores semelhantes.)

Uma moto (mais) cara / exclusiva, no acto de comprar, tem também depois o reverso da medalha, no acto de a vender, pois acaba por ser sempre sobrevalorizada em relação às demais.

O chato nas motas é quando elas ficam mais amigas do mecânico que do dono. lol Não conheço a realidade Ducati, mas não ouvi maravilhas neste campo... E para isso a Lynx já tem um exemplo bem próximo, mesmo não sendo Italiana. bigsmile lol
Responder
#25

por essa ordem de pensamento até uma GS500 é uma máquina exclusiva... já nem se vêm por aí a rolar....

Lynx, não te aconselho de todo a comprares uma Duc.... e então se forem das mais antigas... aí então esquece isso... porque aquilo tem vontade própria e se ela te ouve falar mal dela ou sequer porventura falares mais alto com ela... fica amuada e o mais certo é nem pegar para saíres da garagem.... e ficares apeada onde menos esperas.... só porque o cabo que alimenta a bateria é demasiado fino e derreteu numa tirada mais empenhada.... enfim... italianas...

Tenho amigos muito próximos com Ducatis... e eles só as têm.... nem sabem bem porquê... o que me dizem é que ninguém lhes dá nada por elas.... e quando têm a sorte de conseguir meter aquele monte de parafusos a trabalhar... fazem um vistaço na esplanada do café.

o meu mecânico tem uma 851... mas ele próprio diz ter uma Duc não é para o pessoal que está habituado a carregar no starter e arrancar.... aquilo tem vontade própria... e a verdade é que ele não anda com ela... não a vende pelo valor sentimental que carrega... ele correu com ela alguns anos... mas teve de optar por uma gsxr.... vá-se lá perceber porquê...

Mas isto cada um faz o que quer com o dinheiro que tem...

se queres uma coisa que não seja muito comum...

BMW tens de esquecer, porque com os produtos de crédito que eles têm, consequentemente as motos vendem-se que nem pãezinhos quentes.... a agora tudo tem uma BMW.... portanto... deixou de ser exclusiva e fora do comum... é mais fácil ver uma R1200GS que uma CB500...

Honda... há para aí tanta na estrada.... nem sei o que te diga...

Yamaha... tem coisas muito giras neste momento... e tiveram ao longo dos anos motos muito interessantes.... e felizmente na gama de usados, podes chegar a comprar uma YZF750SP por meia dúzia de tostºoes.... já as vi a 1500€....

Kawasaki... será sempre Kawasaki... qualquer uma que compres ficarás sempre bem servida.... é pena a rede de concessionários... consequentemente as peças é uma "cena" difícil...

Suzuki... não vou opinar... sou suspeito... mas tens muito por onde escolher...

[Imagem: SM4eYt9.png]
Responder
#26

Opa...isso de ter Ducati logo no inicio é muito guito!!!! Essa também é uma das questões... Mas concordo contigo é muito bonita... linda mesmo!
thumbsup
Quanto ao peso apenas difere poucos Kg de outras faladas por aqui as Xj 600, Cb500 ou Gs500 andam todas entre os 170e 180Kg a seco por isso...
Estou a tirar a carta com uma gs500 e gosto....

quote='xiko_dsg' pid='8220' dateline='1427990835']
Fica com a Fazer do Michel! blink  lol
[/quote]
Responder
#27

(04-04-2015 às 13:30)nelsonajm Escreveu:  por essa ordem de pensamento até uma GS500 é uma máquina exclusiva... já nem se vêm por aí a rolar....

Ainda se vêem várias a andar! E à venda todas escafiadas, então são aos pontapés!
A questão é que uma Monster sempre teve exclusividade, ainda mais cá.... uma GS500, não.... e mesmo que fosse a única a circular... nunca deixaria de ser uma mota corriqueira, como uma CB500, uma XJ600 ou uma CBR!

(04-04-2015 às 13:30)nelsonajm Escreveu:  Lynx, não te aconselho de todo a comprares uma Duc.... e então se forem das mais antigas... aí então esquece isso... porque aquilo tem vontade própria e se ela te ouve falar mal dela ou sequer porventura falares mais alto com ela... fica amuada e o mais certo é nem pegar para saíres da garagem.... e ficares apeada onde menos esperas.... só porque o cabo que alimenta a bateria é demasiado fino e derreteu numa tirada mais empenhada.... enfim... italianas...

O facto de se chegar para a meter a trabalhar de manhã e ela não dar sinal de vida, pode acontecer com qualquer uma, Ducati ou não Ducati.
O resto acaba por ser sempre o "diz que disse" de alguém, que tem um amigo de um primo em terceiro grau que por sua vez é conhecido de uma ex-namorada que é divorciada do tipo que teve a Ducati que pela manhã não quis trabalhar. E ele ouviu dizer!  lol

(04-04-2015 às 13:30)nelsonajm Escreveu:  o meu mecânico tem uma 851... mas ele próprio diz ter uma Duc não é para o pessoal que está habituado a carregar no starter e arrancar.... aquilo tem vontade própria... e a verdade é que ele não anda com ela... não a vende pelo valor sentimental que carrega... ele correu com ela alguns anos... mas teve de optar por uma gsxr.... vá-se lá perceber porquê...

Cada um puxa a "brasa à sua sardinha", como se diz! O teu mecânico tem uma GSXR.... porque vende Suzuki! Um vendedor de Honda, é natural que ande de Honda.... um vendedor de Kawasakim facilmente será visto com uma Kawasaki... um vendedor de BMW andará à priori de BMW.... um vendedor de Citroen, andará de Citroen.... and so on.... and so on!

(04-04-2015 às 13:30)nelsonajm Escreveu:  BMW tens de esquecer, porque com os produtos de crédito que eles têm, consequentemente as motos vendem-se que nem pãezinhos quentes.... a agora tudo tem uma BMW.... portanto... deixou de ser exclusiva e fora do comum... é mais fácil ver uma R1200GS que uma CB500...
Se bem que uma GS1200 não será de todo uma moto para começar... No entanto as CB500 parece terem ficado uns tempos hibernadas nas garagens e agora comaçam-se a ver outra vez aos pontapés, como se viam.
Uma BMW que se veja pouco???.... uma F800ST/GT/R!  lol

(04-04-2015 às 13:30)nelsonajm Escreveu:  Honda... há para aí tanta na estrada.... nem sei o que te diga...
Então a PCX é obra.... um gajo dá um pontapé numa pedra e aparece uma!

(04-04-2015 às 13:30)nelsonajm Escreveu:  podes chegar a comprar uma YZF750SP por meia dúzia de tostºoes.... já as vi a 1500€....
Uiiii.... para moto de iniciante! Medo... muito medo!

(04-04-2015 às 13:30)nelsonajm Escreveu:  Kawasaki... será sempre Kawasaki... qualquer uma que compres ficarás sempre bem servida.... é pena a rede de concessionários... consequentemente as peças é uma "cena" difícil...
Já foram pior, é certo. Quer as motos, quer a rede de assistência.

(04-04-2015 às 13:30)nelsonajm Escreveu:  Suzuki... não vou opinar... sou suspeito... mas tens muito por onde escolher...
A velha máxima que mandei ali acima.... Cada um puxa a "brasa à sua sardinha"!  bigsmile

Carla Duarte Escreveu:Opa...isso de ter Ducati logo no inicio é muito guito!!!! Essa também é uma das questões... Mas concordo contigo é muito bonita... linda mesmo!
Seja uma nova, seja uma usada.... a "diferença" de ser marca premium, paga-se. No acto da compra, e depois no acto da venda!

Carla Duarte Escreveu:Quanto ao peso apenas difere poucos Kg de outras faladas por aqui as Xj 600, Cb500 ou Gs500 andam todas entre os 170e 180Kg a seco por isso...
Estou a tirar a carta com uma gs500 e gosto....
Sim.... é pouco mais leve que qualquer uma dessas.... mas depois a "alma" e carácter que tem, não se compara a nenhuma delas, é um facto.

Gostas da GS500.... é natural! Eu no inicio, há 23 anos atrás, andava de cinquentinha. E cada vez que podia meter as unhacas numa 250, também vinha de ego cheio.
No entanto um tipo pode comer abrótea cozida e ficar satisfeito.... mas se puder trocar a abrótea por lavagante, não pensa duas vezes!  

Ainda em relação à Monster, aqui do forum, que me lembre, só o devil_lips63 é que tem uma. De certeza que a experiência dele prevalecerá mais sobre todas as outras opiniões que se dêem.
Se houver alguém porventura mesmo interessado numa Monster, só terá de o contactar.... que ele de certeza não se importará de dizer "de sua justiça". É que contra-informação é o que mais abunda por aí!

Eu digo.... se pud€ss€..... e estivesse agora a começar.... não seria de todo com uma CB500 (e tive uma durante 9 anos) ou qualquer das suas congéneres!
Mudam-se os tempos, mudam-se as vontades.... e refinam-se os gostos!  smile

[Imagem: zX4Kq81.png]

Responder
#28

A minha experiência com outras motas também não é muita, para poder fazer um termo de comparação. Mas a única coisa que me queixo até agora é a caixa. Não é nada suave, mas no fundo até acho graça. Já o era no tempo dos velhinhos Fiat... era preciso técnica para conseguir meter uma segunda, por exemplo. Outro ruído que para alguns pode ser incomodativo, as válvulas desmodrónicas, que parecem parafusos desapertados... Como o dono também os tem desapertados... Não me incomoda tong

Em relação aos habituais mitos que me consumiam um bocado antes de a comprar:

Pendura:

É de dois lugares como a maioria das motas, bastando tirar a cobertura do pendura, são dois parafusos que se desenroscam com uma moeda. Senão tiver moedinha, não há viagem.

Amiga de mecânicos:

Dado que só tem de ir à revisão a cada 10.000, em comparação com a maioria das japonesas que vão a cada 6.000, não entraria por aí. Até agora só fiz uma revisão com ela, paguei 200 euros, mas porque teve que mudar a correia de distribuição, já tinha alguns anos. Sò isso custou 80 euros. Teria custado pouco mais de 100 euros a revisão, não fora isso. O meu pai paga os mesmos valores na ER 500 dele, a cada 6000.

Já cheguei a fazer horas seguidas com ela, com neve granizo, vento chuva, e sempre se portou exemplarmente. Mais recentemente tenho-a usado para ir para o trabalho, e não tendo a versatilidade de uma scooter, lá vai desenrascando bem, mesmo sem mala traseira. Também já andou por caminhos de terra batida. Faz de tudo.

Quanto à dificuldade em vendê-las, pesquisem quantas há à venda no OLX, e quanto tempo duram por lá.

Economia:

Com S/C 98 e em viagem, já cheguei a fazer 320 km´s com um depósito.

O preço é um bocado alto sin, mas como eu não tenho carro nem filhos, dei-me ao "luxo" de comprar uma, senão teria ido para um modelo mais barato.

Não estou a dizer que não gosto das japonesas, mas o trabalhar dela deixa-me babado, e as linhas dela, nunca me canso de a admirar, e as outras que vejo na rua, e acho que numa mota isso também é importante.
Responder
#29

Como alguém tinha escrito por aqui.... " se quando a estacionas, e te afastas, não olhares para trás.... então não é a tal...." independentemente de tudo...

[Imagem: SM4eYt9.png]
Responder
#30

(08-04-2015 às 19:55)devil_lips63 Escreveu:  A minha experiência com outras motas também não é muita, para poder fazer um termo de comparação. Mas a única coisa que me queixo até agora é a caixa. Não é nada suave, mas no fundo até acho graça.

Um dos velhos problemas das europeias.
Na minha, embora não sendo italiana, queixo-me da caixa dura e imprecisa (comum a todas as BMW) e da suspensão frontal muito dura, que a compromete negativamente em pisos mais irregulares.
Mas para mim, não é defeito.... é feitio!  lol

(08-04-2015 às 19:55)devil_lips63 Escreveu:  Outro ruído que para alguns pode ser incomodativo, as válvulas desmodrónicas, que parecem parafusos desapertados... Como o dono também os tem desapertados... Não me incomoda tong

Uma das coisas que mais me seduz nas Ducati é o seu som... originado pela distribuição desmodrómica.  proud

(08-04-2015 às 19:55)devil_lips63 Escreveu:  Em relação aos habituais mitos que me consumiam um bocado antes de a comprar

Eu quando fui para a BMW, também me chagaram a cabeça com esses mitos.... que ia passar o tempo na oficina!
Comprei a F800ST com 20.100 Kms.... tem neste momento cerca de 47.200Kms. Neste tempo apenas fiz duas revisões, fez o recall à questão mais que conhecida dos rolamentos do veio da roda traseira (custo 0) e tive de mudar o rectificador de corrente (170 euros) há cerca de 3 mil kms atrás.... ah.... e ainda um jogo de pneus e uma bateria. Isto em 4 anos e 27 mil kms!

Não sei o dia de amanhã. Nas japonesas que me passaram pelas mãos não foi nem melhor, nem pior!

(08-04-2015 às 19:55)devil_lips63 Escreveu:  Dado que só tem de ir à revisão a cada 10.000, em comparação com a maioria das japonesas que vão a cada 6.000, não entraria por aí. Até agora só fiz uma revisão com ela, paguei 200 euros, mas porque teve que mudar a correia de distribuição, já tinha alguns anos. Sò isso custou 80 euros. Teria custado pouco mais de 100 euros a revisão, não fora isso. O meu pai paga os mesmos valores na ER 500 dele, a cada 6000.

Outro dos mitos.... que na BMW cada vez que lá fosse, ia ser esmifrado atá ao tutano:
Quando a comprei, vinha com a revisão dos 20 mil feitinha!
Ora bem.... ela tem ido sempre à BMW (motomil).... os gastos que tive:
Revisão dos 30 mil Kms - 99 euros
Revisão dos 40 mil Kms - 250 euros (é a revisão mais cara.... muda todos os fluidos, óleos, filtros, velas, afina valvulas, etc.)
Jogo de pastilhas atrás (na marca) - 46 euros
Recall ao cubo da roda traseira - suportado pela marca
Rectificador de corrente + 2 lâmpadas H7 - 170 euros


(08-04-2015 às 19:55)devil_lips63 Escreveu:  Economia:
Com S/C 98 e em viagem, já cheguei a fazer 320 km´s com um depósito.

A minha leva 16 litros de gasolina (12 + 4 reserva).... atestada faz-me entre 260 a 290 Kms (dependendo do tipo de estrada, em condução normal), até acender o aviso de reserva. Ou seja 12 litros para 260 kms, por exemplo, dá um consumo médio de 4.5lts./100km (até uma CB500 anda bem longe disto).
Então se for em viagem seguida, por nacional, consigo passar dos 300 Kms até entrar na reserva.
Face às suas concorrentes e o que gastam, com o mesmo tipo de condução, ao final de algum tempo, basta fazer as continhas para se ver o que amortizo... dinheiro esse que pode servir depois para outros "caprichos".   lol


(08-04-2015 às 19:55)devil_lips63 Escreveu:  Não estou a dizer que não gosto das japonesas, mas o trabalhar dela deixa-me babado, e as linhas dela, nunca me canso de a admirar, e as outras que vejo na rua, e acho que numa mota isso também é importante.
nelsonajm Escreveu:Como alguém tinha escrito por aqui.... " se quando a estacionas, e te afastas, não olhares para trás.... então não é a tal...." independentemente de tudo...

Ainda bem que assim é! Eu nem é só o virar-me quando a deixo estacionada. Já cheguei a estacioná-la em locais, aonde possa estar olhá-la e a contemplá-la (tipo pela montra do café ou de outro qualquer local)! É que a "sacana" da mota é mesmo bonita e bem conseguida...  lol   shy

[Imagem: zX4Kq81.png]

Responder




Utilizadores a ver este tópico: 1 Visitante(s)