Bem é chegada a hora dos discos, mas não são os de venil
#61

Acho que a Elvira nunca chegou a aquecer o suficiente...

I just don't run with the crowd!

www.loneriderendlessroad.com
Responder
#62

...Já agora só para ver se alguem ja experimentou estas pastilhas...comprei para testar pois foram relativamente baratas. Segundo os reviews até são melhores que algumas de marcas conceituadas. Os rolamentos da marca conheço mas as pastilhas nunca experimentei.

https://www.ebay.com/itm/Yamaha-XJ6-600-Diversion-2009-Front-Brake-Pads-2-Pairs/282036260838?ssPageName=STRK%3AMEBIDX%3AIT&_trksid=p2057872.m2749.l2648

Famel Foguete (1958) 50cc 1990
Famel 76 50cc (1982)1991-1992
Moto Guzzi NTX 750 (1992)1997-1999
Yamaha XJ600S Diversion (1994) 2017-2018
Yamaha XJ6 Diversion (2010) 2018-logo se vê...https://www.facebook.com/PrepperVulcano39
Responder
#63

Há merdas que se pagam tão facilmente... e as pastilhas são uma delas.

O meu conselho é não inventarem.

A EBC é concorrência que não beneficia nem prejudica a relação qualidade preço. Preço mais baixo, qualidade mais baixa.

É para esquecer.


Responder
#64

Elvira tem a certeza de que sabe quem é o homem por detrás das ameaças, porque o viu numa mota exactamente igual à de Domingos. No entanto, Dalila garante que o rapaz nada teve que ver com a morte de Paulo ou com o que aconteceu a Margarida e António. A freira diz que não vai continuar a ser vítima de chantagem nem de ameaças e que vai, portanto, agir.

Com a concordância de Jaime e Ricardo, esta manda um homem raptar Domingos do armazém, pouco depois de ter havido um ataque ao local. Humberto escapa, mas Domingos é levado sem saber porquê. Dalila assiste a tudo, assustada, e liga a Ricardo pedindo para não magoarem o rapaz mas este diz que Elvira tirará a prova dos nove sobre quem é de facto este homem. O rapaz chega a uma casa vendado e amarrado. Dalila tenta acalmar a freira, mas em vão. Esta jura que não vai sucumbir a ameaças e que o assunto será resolvido naquele momento. Elvira faz-lhe várias perguntas de forma ríspida e obriga-o a confessar as ameaças e os ataques. Mas o rapaz nega saber seja o que for. Louca, a freira enfia-lhe um saco na cabeça para lhe tirar o ar, garantindo que ele falará desta forma. Dalila fica em pânico, pois teme que a freira o mate. Apesar de maltratado, Domingos acaba por não ser a pessoa que Jaime, Ricardo, Dalila e Elvira queriam. Contudo, a freira diz que alguém está a usar os contactos que eles têm para os tramar e os incriminar. Domingos é deixado à porta de casa muito maltratado, e Renata e Bruno ajudam-no. Ele apenas pede para não chamar a Polícia. Bruno, Renata e Mayara – que aparece entretanto – tentam perceber o que se passou com Domingos, que afirma que não aconteceu nada de especial, apenas caiu da mota.

Mais tarde, Jaime, Ricardo, Elvira e Dalila falam das ameaças quando subitamente se vêem trancados no carro onde estão. A freira tenta abrir a porta quando reparam que está a sair fumo da sofagem… Fumo tóxico. Todos tentam sair da viatura, em vão, até Ricardo pegar numa pistola e partir o vidro. Saem todos sãos e salvos, não sem antes receberem uma mensagem: para a próxima não escapam.
Responder
#65

Regressando aqui à questão das pastilhas. As da Tracer estavam a começar a dar sinais de desgaste, já faziam um barulhinho não muito agradável apesar de não comprometerem a travagem. Na revisão dos 20k disseram que ainda faziam mais 3 a 5 mil kms dependendo do uso, mas como não quis arriscar ficar sem travões no próximo mês decidi trocar.

Um amigo do trabalho que tinha uma ZX10R coloca pastilhas de uma marca que creio ser pouco conhecida, Carbone Lorraine, já algures referida pelo JPedrosa. Tanto ele como o JPedrosa dava feedback fantástico das pastilhas, daí que decidi experimentar e comprar o par XBK5 (super sport). Outras alternativas seriam manter as OEM da Tracer, colocar as OEM do modelo antigo da R1 cujo sistema de travagem é o mesmo da Tracer mas as pastilhas são HH em vez de GG ou as tais EBC HH.

[Imagem: pastilhas.jpg]

Ainda não experimentei numa viagem longa, onde seja possível avaliar a resistência à fadiga, mas até agora o feedback é muito bom. A mordida inicial é muito mais forte que as OEM e a travagem mais eficaz também, especialmente à medida que aquecem. Acredito que sejam também mais agressivas para os discos, como é normal, mas compensa largamente na qualidade acrescida de travagem.

Ditadura dos Flocos de Neve
Responder
#66

Gostaria de fazer uma pequena pergunta convidando à reflexão.

Será que umas pastilhas agressivas aos discos acrescentam qualidade de travagem!?



Eu também tenho a sensação de que as pastilhas novas travam bué ao início.
E como ponho sempre OEM não é por mudar de composto.
Normalmente acontece que existe "mais" pressão porque o espesso das pastilhas é maior, faz recuar os émbolos de a coisa é, ou parece, muito mais eficaz.
É como os pneus novos, nos primeiros kms temos uma moto totalmente diferente e depois com o uso essa sensação vai-se desvanecendo.

Eu se fosse a ti tinha comprado as pastilhas e mudava-as pelo caminho se fosse necessário... V

I just don't run with the crowd!

www.loneriderendlessroad.com
Responder
#67

(29-05-2019 às 10:15)dmanteigas Escreveu:  Regressando aqui à questão das pastilhas. As da Tracer estavam a começar a dar sinais de desgaste, já faziam um barulhinho não muito agradável apesar de não comprometerem a travagem. Na revisão dos 20k disseram que ainda faziam mais 3 a 5 mil kms dependendo do uso, mas como não quis arriscar ficar sem travões no próximo mês decidi trocar.

Um amigo do trabalho que tinha uma ZX10R coloca pastilhas de uma marca que creio ser pouco conhecida, Carbone Lorraine, já algures referida pelo JPedrosa. Tanto ele como o JPedrosa dava feedback fantástico das pastilhas, daí que decidi experimentar e comprar o par XBK5 (super sport). Outras alternativas seriam manter as OEM da Tracer, colocar as OEM do modelo antigo da R1 cujo sistema de travagem é o mesmo da Tracer mas as pastilhas são HH em vez de GG ou as tais EBC HH.

[Imagem: pastilhas.jpg]

Ainda não experimentei numa viagem longa, onde seja possível avaliar a resistência à fadiga, mas até agora o feedback é muito bom. A mordida inicial é muito mais forte que as OEM e a travagem mais eficaz também, especialmente à medida que aquecem. Acredito que sejam também mais agressivas para os discos, como é normal, mas compensa largamente na qualidade acrescida de travagem.


Arranja lá feedback disso assim que possível.

Também estou para trocar as da Versys e essas são uma das hipóteses. Juntamente com as EBC e SBS. As de origem definitivamente não vão ser a hipótese pelo preço que pedem por elas. Já agora... isso foi para que valores?
Responder
#68

Boas;

Manteigas, a Carbone Lorraine pouco conhecida?? Por onde andas tu??

Lone, nem tudo é assim tão simples e a travagem duma moto é ligeiramente mais complexa que a duma pasteleira a que acabaste de mudar os calços.
Existem efectivamente pastilhas mais agressivas para os discos com que se conseguem melhores travagens, mas será que todos precisamos de mais esse bocadinho? Afinal de contas andamos na estrada e não em pista. Será que não conseguimos melhorar a nossa forma de travar com o material que dispomos?
Na minha opinião, prefiro apostar em material de origem, às vezes de outros modelos e ir poupando os discos que são estupidamente caros.
Responder
#69

(29-05-2019 às 10:45)LoneRider Escreveu:  Gostaria de fazer uma pequena pergunta convidando à reflexão.

Será que umas pastilhas agressivas aos discos acrescentam qualidade de travagem!?

Quando se fala em pastilhas agressivas fala-se em pastilhas cujo coeficiente de fricção é superior, como tal produzem maior força de travagem. Estas pastilhas supersport são HH, com coeficiente de fricção bem alto e só superado pelas pastilhas para motas de competição da marca:
[Imagem: frictiondiagram.png]

Ou seja, as XBK5 vão sempre travar melhor que as A3+ da mesma forma que estas vão travar melhor que as orgânicas. Isto não é discutivel, é ciência. Depois o que se pode discutir é entre pastilhas com coeficiente de fricção semelhante, quais as melhores pois usam diferentes compostos em diferentes percentagens que pode torná-las mais ou menos resistentes à fadiga, melhores a quente ou a frio, mais ou menos abrasivas para os discos etc... como disse acima, as OEM da Tracer são GG logo estas serão sempre superiores às OEM da Tracer e consequentemente por terem maior coeficiente de fricção também irão ser mais agressivas para o disco e durar menos. É sempre uma questão de ponderar qual é o melhor binómio para o nosso uso, se umas pastilhas mais eficazes, mas menos duráveis e que desgastam mais os restantes componentes da travagem e menos resistentes à fadiga, ou se umas pastilhas que são menos eficazes e que têm as caracteristicas opostas. Agora decidi experimentar estas, no futuro logo se verá.

(29-05-2019 às 10:45)LoneRider Escreveu:  Eu também tenho a sensação de que as pastilhas novas travam bué ao início.
E como ponho sempre OEM não é por mudar de composto.
Normalmente acontece que existe "mais" pressão porque o espesso das pastilhas é maior, faz recuar os émbolos de a coisa é, ou parece, muito mais eficaz.
É como os pneus novos, nos primeiros kms temos uma moto totalmente diferente e depois com o uso essa sensação vai-se desvanecendo.

Isso é um problema com tudo o que é componentes de substituição... vão-se degradando gradualmente e também o piloto gradualmente se adapta a essa degradação sem o fazer de forma consciente. É sempre um bom argumento para questionar certas avaliações, já que é um enorme viés de avaliação e que a única forma de o contornar seria, neste caso, experimentar a mesma mota com as mesmas pastilhas/pneus novos. Não sendo viável, temos sempre de ficar com esta avaliação que sabemos à partida ser enviezada, mas que não a torna inválida. Mas percebo o que dizes thumbsup

(29-05-2019 às 10:45)LoneRider Escreveu:  Eu se fosse a ti tinha comprado as pastilhas e mudava-as pelo caminho se fosse necessário... V

Isso é para quem tem uma relação com a mota diferente da minha... eu gosto de ir de viagem sem ter de me preocupar com nada para alem de andar de mota lol

Ditadura dos Flocos de Neve
Responder
#70

(29-05-2019 às 10:48)luisnogueira Escreveu:  Arranja lá feedback disso assim que possível.

Também estou para trocar as da Versys e essas são uma das hipóteses. Juntamente com as EBC e SBS. As de origem definitivamente não vão ser a hipótese pelo preço que pedem por elas.

Luís, foge de EBC.

SBS ok thumbsup

Não tenhas a tentação de pastilhas muito agressivas e desportivas. Tendem a ter temperaturas de funcionamento descontextualizadas de uma utilização convencional (dia a dia e viagens moderadas)

Por essa razão, e para teres uma perfomance óptima a descer a serra, tens uma variação grande no tacto e que não se traduz em conforto de utilização.

A frio/molhado etc e à medida que o desgaste se acentua ainda são capazes de chiar, o que também só em utilização desportiva não é problema.

Ainda derretem mais os discos.

Em kawasaki também não vejo que se deva utilizar OEM. As pastilhas são caras, não mordem nada de jeito e duram pouco.

Já na Honda sim, parece-me preferível usar OEM.


Responder




Utilizadores a ver este tópico: 1 Visitante(s)