Bateria Yamaha R6
#21

Eu continuo na minha em relação a ligares o carro...ele vai tentar debitar das duas baterias e uma delas não tem capacidade de o "alimentar"...

Ex Suzuki GS500
Ex Yamaha YZF600R - Thundercat
Ex Yamaha R1
Suzuki GSX-R 750
Responder
#22

E tentares pô-la a pegar de "empurrão"?

[Imagem: zD43YvL.jpg]
Responder
#23

(06-02-2016 às 14:20)Mr_Kok Escreveu:  E tentares pô-la a pegar de "empurrão"?

O problema não é o pegar aparentemente, é o desligar com o aquecimento...

Ex Suzuki GS500
Ex Yamaha YZF600R - Thundercat
Ex Yamaha R1
Suzuki GSX-R 750
Responder
#24

Certo.
Mas fiquei com a ideia que ele queria pô-la a pegar para depois testar isso do aquecimento.
Se assim for, pouco importa o método que a põe a trabalhar.

[Imagem: zD43YvL.jpg]
Responder
#25

(06-02-2016 às 14:14)xiko_dsg Escreveu:  Eu continuo na minha em relação a ligares o carro...ele vai tentar debitar das duas baterias e uma delas não tem capacidade de o "alimentar"...

O Chico desculpa lá ser do contra.
O carro estando a trabalhar o diferencial é sempre positivo.
Ou seja, por norma fornece sempre mais do que retira da bateria.
Depois o facto de uma bateria pequenina nao aguentar é um mito urbano. Tenho lá em casa uma bateria que caba na palma da minha mão que pos um carro 2000 a gasolina a trabalhar.
Se ele fizer tudo bem, como ja lhe explicaram, não haverá nenhum problema.
Creio, se não estou em erro, que foi o Gordep que fez o mesmo com a sua Avarilia e o único que aconteceu foi ter começado a deitar fumo pelos escapes depois do motor ter arrancado!!!
Tudo normal portanto. ...

I just don't run with the crowd!

www.loneriderendlessroad.com
Responder
#26

(06-02-2016 às 14:28)LoneRider Escreveu:  
(06-02-2016 às 14:14)xiko_dsg Escreveu:  Eu continuo na minha em relação a ligares o carro...ele vai tentar debitar das duas baterias e uma delas não tem capacidade de o "alimentar"...

O Chico desculpa lá ser do contra.
O carro estando a trabalhar o diferencial é sempre positivo.
Ou seja, por norma fornece sempre mais do que retira da bateria.
Depois o facto de uma bateria pequenina nao aguentar é um mito urbano. Tenho lá em casa uma bateria que caba na palma da minha mão que pos um carro 2000 a gasolina a trabalhar.
Se ele fizer tudo bem, como ja lhe explicaram, não haverá nenhum problema.
Creio, se não estou em erro, que foi o Gordep que fez o mesmo com a sua Avarilia e o único que aconteceu foi ter começado a deitar fumo pelos escapes depois do motor ter arrancado!!!
Tudo normal portanto. ...

Fornece mais do que retira a partir de x rotações (se não me engano) e não estou a falar pelo tamanho, mas sim porque para baterias de motas estamos a falar de cerca de 10Ah e de carros na ordem dos 70Ah, essa diferença pode fazer com que a bateria da mota simplesmente não aguente, podes não ter problemas, mas existe a probabilidade de os teres.
O que normalmente se faz é só dar um toque na bateria do carro com a da mota (com ele desligado) para ajudar a pegar a mota, e mesmo aí é apenas um toque.
Mas posso estar enganado   blink

Ex Suzuki GS500
Ex Yamaha YZF600R - Thundercat
Ex Yamaha R1
Suzuki GSX-R 750
Responder
#27

(06-02-2016 às 14:28)LoneRider Escreveu:  Se ele fizer tudo bem, como ja lhe explicaram, não haverá nenhum problema.
Creio, se não estou em erro, que foi o Gordep que fez o mesmo com a sua Avarilia e o único que aconteceu foi ter começado a deitar fumo pelos escapes depois do motor ter arrancado!!!
Tudo normal portanto. ...

Yep, confirmo. Foi esse método que utilizei há uns dias atrás. E tanto o carro como a mota ( agora com bateria nova ) continuam de boa saúde blink

[Imagem: wsv79s.jpg]vroom !
Responder
#28

Eu também confirmo a teoria do Lonerider.
A CBF500 pegou muitas vezes ligada à bateria do carro e com o carro a trabalhar.
Das primeiras vezes, a medo, ainda metia uma lampada de médios (50W, 12V) em série no circuito para que o pico de corrente ao ligar os cabos fosse absorvido pela lâmpada (acendia com um brilho muito ténue nos primeiros segundos). Depois de estar com o mesmo potencial fazia o bypass à lampada e dava ao motor de arranque.
Depois deixei-me disso e ligava directamente os cabos com o carro a trabalhar, dava ao motor de arranque e estava feito.
Das vezes que tinha a bateria da mota bem descarregada, deixava a trabalhar a mota e o carro com os cabos ligados 1 ou 2 minutos (para que o alternador do cargo ajudasse à carga da mota). A bateria da CBF ainda durou uns 6 a 8 anos com estas brincadeiras.
Responder
#29

Obrigado, Malta! bigsmile
Pus a mota a trabalhar ligada à bateria do carro e Assis deixei ficar os cabos até ela aquecer e sabem que mais?
Ficou na mesma... na casa dos 85°C lá se vai ela... raios a partam...

Suzuki SV1000S '04  cool
Responder
#30

A ventoinha do radiador é a única coisa eléctrica que me ocorre que ligue a uma certa temperatura.
Chegas a ouvir a ventoínha a ligar ? Desliga-se imediatamente a seguir ?
Está protegida por fusiveis "verdadeiros" (5 a 15 A) ? Verifica se não tem shunts no lugar desses fusíveis. Experimenta tirar esse fusível (temporariamente) para ver se não há curtos ou passagens à massa no circuito da ventoinha.
Responder




Utilizadores a ver este tópico: 1 Visitante(s)