Votação: Qual a melhor? -
1992 Honda CBR900RR
11.76%
2
11.76%
1994 Ducati 916
11.76%
2
11.76%
1994 Honda VFR750F
5.88%
1
5.88%
1994 Honda VFR750F
0%
0
0%
1997 Triumph Speed Triple
11.76%
2
11.76%
1998 Aprilia RSV Mille
17.65%
3
17.65%
1998 Yamaha YZF-R1
17.65%
3
17.65%
1999 Suzuki SV650
5.88%
1
5.88%
1999 Suzuki GSX1300R Hayabusa
11.76%
2
11.76%
1999 Yamaha YZF-R6
5.88%
1
5.88%
* Você votou por este item. Exibir Resultados


As Melhores Desportivas dos 90's
#41

Eu não a tive como 1ª. mota... mas sim como 3ª., e durante 9 anos (1998-2007)!!! lol

Se gostei da moto? Sim! Se foi uma boa escola? Sim! Se com ela vivi muitos bons momentos? Sim! Se iria voltar a querer ter uma? Não!  proud

edit: mas quando tanto tempo depois de a ter vendido, a vi passar junto a mim, há cerca de 1 ano e tal atrás, estando eu parado num semáforo, não deixei de sentir uma certa nostalgia e me deixar com um sorriso na face!

[Imagem: zX4Kq81.png]

Responder
#42

A mota era fiavel para caraças...pode não ter o refinamento das motas de hoje, mas se olhares para o que a concorrência fazia na altura...a XJ tinha 4 cilindros vs 2, mas faltava-lhe a agilidade da CB, era uma matrafona e os cavalos (poucos) a mais, não se faziam sentir, antes pelo contrário, a GS tinha mono atrás ao contrário do duplo da CB, mas o motor ficava muito atrás e em termos de condução, não transmitia a mesma confiança...foi uma mota que se vendeu bem, porque não sendo excelente em nada, era muito boa em tudo, era pau para toda a obra e a prova de idiotas...a fama dela não é em vão, a mota resistia a tudo.
Responder
#43

A CB500 foi na altura o que as Ncoisas são agora...uma mota acessível, facil de guiar, com manutenção contida e prestações mais que suficientes para a utilização do dia-a-dia e em que podíamos confiar.
Uma verdadeira utilitária simples e pratica, sem floreados.
Responder
#44

Mas foi na altura, não agora. E é isso do que falo. Percebo bem porque o foi na altura em que se vendia, não percebo o fascínio que muitos ainda demonstram hoje!

Como o Carlos referiu, gostou, foi uma boa mota mas não lhe fazia sentido ter novamente...
Responder
#45

(14-12-2016 às 17:08)pneves33 Escreveu:  A mota era fiavel para caraças...pode não ter o refinamento das motas de hoje, mas se olhares para o que a concorrência fazia na altura...a XJ tinha 4 cilindros vs 2, mas faltava-lhe a agilidade da CB, era uma matrafona e os cavalos (poucos) a mais, não se faziam sentir, antes pelo contrário

E o motor da XJ, apesar de ser tetracilindrico, estava obsoleto em tudo (air head de 2 valvulas por cilindro... e só mais tarde recebeu um radiador de óleo), em relação ao da CB.
O peso e tamanho também bem maiores da XJ, não ajudava nessa tarefa de a tornar mais ágil e rápida.

(14-12-2016 às 17:08)pneves33 Escreveu:  a GS tinha mono atrás ao contrário do duplo da CB, mas o motor ficava muito atrás e em termos de condução, não transmitia a mesma confiança...

O motor da GS500 ainda conseguia ser mais arcaico que o da XJ. A CB, depois de corrigida a questão da travagem de trás, só perdia mesmo na suspensão traseira, com 2 amortecedores, porque de resto era superior em tudo.

E não esquecer ainda neste rol, a Kawasaki ER-5, com o motor herdado da GPZ. E havia ainda outra "meia concorrente" destas, apesar de ser Honda também, que era a NTV650 (V2 drive shaft).

A CB500 superiorizava-se a todas.  proud

(14-12-2016 às 17:08)pneves33 Escreveu:  foi uma mota que se vendeu bem, porque não sendo excelente em nada, era muito boa em tudo, era pau para toda a obra e a prova de idiotas...a fama dela não é em vão, a mota resistia a tudo.

A minha ex-CB500 veio para as minhas mãos com 11 mil kms e ainda na garantia de fábrica. Apenas lhe mandei mudar ao abrigo desta o tensor (as made in japan davam problemas aqui e a cremalheira de embraiagem (por sugestão do meu mecânico). Depois disto, andou.... andou.... andou.... correu PT de Norte a Sul e partes de Espanha... fiz férias com a minha namorada (e actual mulher) nela... Foi vendida com 123 mil kms (já tinha dado a volta no odómetro) blink e num estado irrepreensível, sem um risco (há uns quantos aqui que a conheceram e podem atestar isto).
Tirando consumíveis e baterias, apenas precisou de levar um rectificador de corrente aos 95 mil (que nas Honda acaba por ser também um consumível lol).
E depois de a ter vendido com aquela elevada quilometragem, em 2007, anos depois vê-la e saber que ela ainda anda aí, é de enaltecer (continua pelo menos com seguro activo).

[Imagem: TvT83PG.png]

(14-12-2016 às 17:22)pneves33 Escreveu:  A CB500 foi na altura o que as Ncoisas são agora...uma mota acessível, facil de guiar, com manutenção contida e prestações mais que suficientes para a utilização do dia-a-dia e em que podíamos confiar.
Uma verdadeira utilitária simples e pratica, sem floreados.

Vejo mais a CB500 equiparada à actual MT07, do que propriamente às NCoisa! É que a CB500 conseguia suplantar em prestações toda a concorrência e despachava-se bem e com desenvoltura.... sem ser "castrada" a partir de um certo ponto, como acontece com as NCoisa.

Recordo-me por exemplo de um epsisódio engraçado do Nelson, ter andado com uma Monster 600 de um amigo, e poucos dias depois eu lhe ter emprestado a minha CB500 para ele ir ao Restelo tratar de umas cenas. Quando me devolveu a mota, disse que a M600, comparando com a CB, parecia um cordeirinho. smile
Chegamos depois a fazer várias vezes swing de motos.... ele com a CB500 e eu com a Gixxer600 cú de abelha. lol

[Imagem: zX4Kq81.png]

Responder
#46

Nunca tive uma CB500 porque não tinha t€mpo para a comprar e para a carta de condução, mas era uma das motas que admirava na altura (+/- 1996).
Responder
#47

Lembro-me de ver anunciado na motociclismo o lançamento da CB500... foi uma boa moto... e era bem construída, e olhando bem para ela... ainda hoje se pode dizer que é bonita.

[Imagem: SM4eYt9.png]
Responder
#48

Boas;
Vem um gajo a este tópico à procura de motos a sério e só se discute cafeteiras... censored
Responder
#49

(12-12-2016 às 18:48)carlos-kb Escreveu:  Se gostei da moto? Sim! Se foi uma boa escola? Sim! Se com ela vivi muitos bons momentos? Sim! Se iria voltar a querer ter uma? Não!  proud

É mais ou menos isto..
Adorei tudo na mota, e ainda hoje acho que não podia ter tido melhor escola (dentro do que podia gastar e dentro das semelhantes na gama).
E estive para comprar outra, como nova, antes de encontrar a Fazer. Só que no mesmo dia em que a fui experimentar, tinha experimentado uma Thundercat e ainda estava com as pernas a tremer.. Ao passar dos 4cil 100cv de uma para os 2cil 54cv da outra, achei a cb tão mansa que deixei o negócio passar (e não me arrependi  bigsmile )

Mas é uma mota que ainda adoro, inclusive esteticamente, e que vou continuar a recomendar como primeira mota.

[Imagem: RwtqB8G.gif]
Responder
#50

(15-12-2016 às 04:19)Diogo.fps Escreveu:  Ao passar dos 4cil 100cv de uma para os 2cil 54cv da outra, achei a cb tão mansa que deixei o negócio passar (e não me arrependi  bigsmile )

Pronto, para mim esta frase diz tudo...

As minhas máquinas (e ex):
Kawasaki Versys 1000 / KTM 1290 Super Duke GT
Yamaha FZS 600 Fazer

[Imagem: censorship2.jpg]

Responder




Utilizadores a ver este tópico: 1 Visitante(s)