Andar de mota...
#1

Hoje finalmente vou buscar a mota a oficina. Finalmente, quase 2 meses lá para ser reparada em que tive uma queda quase parado enquanto circulava numa rotunda.

Sabendo que finalmente posso ter mota para me divertir ao fim de semana, abri o google maps excitado para criar uma volta mas depois de 1 ano que tenho a mota, alias faz so para o mes que vem 1 ano, e quase 12mil kms ja feitos, começo a sentir dificuldades grandes em fazer voltas.

Sou da zona de Lisboa, e de Lisboa ate a zona de Leiria, quase todos os sítios interessantes e sugeridos para ver ja lá fui, incluindo a zona litoral, Nazaré, Peniche... e afins, Lisboa ao Alentejo o mesmo, o mesmo de Lisboa a Beja. Logo começa a ficar difícil fazer voltas. Isto é fazer voltas interessantes de ir e vir no próprio dia.

Sei que ha amantes das 2 rodas para todo o gosto mas eu gosto essencialmente de sair de mota para viajar e conhecer sítios onde nunca tive, gosto tb de pegar na mota quase todos os fim de semanas para sair mas nao gosto de voltas curtas, menos de 100km nao tem piada e ir varias vezes aos mesmo sitios tb não é o que mais gosto de fazer, a nao ser que seja um sitio muito bom e que nao tenha tido tempo para o ver bem, assim justifica voltar.

Ideias para onde ir, ate existem muitas mas como gosto de andar de mota tds os fim de semanas, voltas mais alargadas com muitos kms exigem mais tempo, dinheiro e pernoitar em algum sitio, o que faz com que o planeamento tenha de ser feito com mais cuidado e com disponibilidade de euros necessária. E eu nao posso fazer voltas alargadas de 2 dias todos os fim de semanas, pelas razões óbvias, ser pobre! lol alias todos os meses ja seria um luxo!

Ha ai pessoal as vezes a querer dar umas voltas mas depois nao ter ideias para onde ir? Ou nao querer sair para os sitios do costume?
Responder
#2

É algo pelo qual todos passamos, seja por motivo profissional ou p€ssoal, nem sempre é possivel fazer passeios enormes, e normalmente caímos para os passeios pequenos e médios de 100 a 500km, e daí depois surge o problema de já não haver nada de novo para ver dentro deste perímetro.

Não vejo grandes soluções para isto, talvez passar para o enduro ou track possa ajudar.

Se apenas procuras visitar novos sitios é muito dificil nao secar tudo à tua volta.
Responder
#3

Não importa o destino, mas sim o caminho que se faz.

I just don't run with the crowd!

www.loneriderendlessroad.com
Responder
#4

(15-03-2017 às 03:39)Nfilipe Escreveu:  Ha ai pessoal as vezes a querer dar umas voltas mas depois nao ter ideias para onde ir? Ou nao querer sair para os sitios do costume?



Eu ainda não esgotei as alternativas viáveis para fazer passeios 'de fim de semana' . No final do mês vou até ao Talasnal e zona da Sertã (ir e vir no mesmo dia) . Se quiseres alinhar dá uma apitadela ! 

O meu 'problema' não é a falta de ideias para fazer umas 'moto-tours' , é mais arranjar companhia para alinhar nelas . Não tenho muito feitio para rolar sózinho feito 'lonesome cowboy'  .
Responder
#5

(15-03-2017 às 06:40)LoneRider Escreveu:  Não importa o destino, mas sim o caminho que se faz.

Era isto que ia dizer... as vezes não é preciso passeios de 300,400,600km... basta sair um pouco de mota.

Há alturas que basta tira-la da garagem e sair e dar uma volta de 30 minutos... é o suficiente para nos sentirmos melhor.

[Imagem: SM4eYt9.png]
Responder
#6

(15-03-2017 às 10:45)LWillow Escreveu:  vou até ao Talasnal e zona da Sertã (ir e vir no mesmo dia) .

Se vais à sertã... aproveita e por mais um quarto de hora sobes até Oleiros, e provas os verdadeiros Maranhos, ou uma bela chanfana... vai ao restaurante mesmo em frente à Devesa (que não me lembro o nome), caso queiras algo mais "fashion" podes sempre almoçar no restaurante do Hotel Santa Margarida.

[Imagem: SM4eYt9.png]
Responder
#7

NFilipe.... em Portugal, poucos sítios há aonde ainda não fui de moto, sejam a 50 ou a 500 kms de onde moro.

E a única zona para onde nunca fui de moto (Alto Douro e nordeste Transmontano), vou preencher essa lacuna com a RIM do próximo mês.

A questão está em como abordas cada volta. Podes até conhecer os pontos de paragem, cidades, monumentos, miradouros, etc.... mas agora a forma como podes chegar até lá, é que pode ser completamente diferente.

Como te disseram não interessa para onde se vai, mas como se vai... e é aqui aonde reside a grande nuance do viajar de moto. Ao invés de escolheres um percurso directo a um local, não te foques tanto nesse local, mas como e por onde poderás ir até lá.... e "cria" uma história dentro desse itinerário.... algumas das crónicas deste forum podem-te ajudar nesse aspecto.
Um bom exemplo foi o passeio das pontes.... Podes subir o tejo da sua Foz até à sua entrada em território nacional... mas fazê-lo ziguezagueando pelas suas 15 pontes e passando nas estradas que a elas dão acesso (algumas delas bem secundárias), foi uma experiência bem mais interessante que fazer Lisboa até ás Portas do Rodão de forma directa.
Outro bom exemplo foi o "passeio dos Garfistas".... a costa alentejana e os seus pontos mais turísticos, já o fiz dezenas de vezes... e naquele dia, ao percurso mais comum e que toda a gente escolhe (pelo litoral), adequámos o cruzamento de toda a Serra do Cercal desde Odemira até Santiago do Cacém (aquela a que toda a gente foge por causa das curvas).... acabou por ser um fartote e uma óptima experiência.

Pensa sempre numa viagem como uma serie de troços somados.... e agora em cada um desses troços, molda-o e adequa-o da melhor forma e da melhor maneira, por itinerários que desconheças.... e vais ver que sempre que sais de moto, terás uma nova e mais gratificante experiência, seja em 100.... ou em 700 Kms!

[Imagem: zX4Kq81.png]

Responder
#8

(15-03-2017 às 10:45)LWillow Escreveu:  O meu 'problema' não é a falta de ideias para fazer umas 'moto-tours' , é mais arranjar companhia para alinhar nelas . Não tenho muito feitio para rolar sózinho feito 'lonesome cowboy' .

Pois eu sou o inverso.... apesar de gostar de rolar em grupo e fazê-lo regularmente, também prezo imenso poder fazer um "Lone Ride" (não confundir com o "espanhol" que para aí anda meio desnorteado lol), aonde sou dono do tempo, do andamento, das paragens e dos locais aonde passar.

Muitas vezes nessas voltas sozinho (ou simplesmente com a minha mulher), o poder a todo o momento alterar, escolher e arbitrar todos ou alguns pormenores da viagem, sem justificações e sem questões aos restantes, também é uma mais valia.

O viajar em grupo pode até ser problemático quando existam diferenças grandes entres as motos envolvidas, seus condutores, tipos de andamento, preferências e vontades de cada um.

[Imagem: zX4Kq81.png]

Responder
#9

(15-03-2017 às 11:21)carlos-kb Escreveu:  NFilipe.... em Portugal, poucos sítios há aonde ainda não fui de moto, sejam a 50 ou a 500 kms de onde moro.

E a única zona para onde nunca fui de moto (Alto Douro e nordeste Transmontano), vou preencher essa lacuna com a RIM do próximo mês.

De certeza que vais adorar!

Honda CX 400 '83 Eurosport
Responder
#10

Lwillow ja vi o vosso tópico, ir pelas IC´s e AE´s nao é muito estimulante mas sim, entendo que tenha que ser porque sao muitos kms, o dia para ir tb nao me da muito jeito, que é ao domingo. Se puder ainda digo algo, ja la tive no lago azul em ferreira do zezere e é muito bacano.

Para mim o destino é igualmente importante nao só a viagem em si, gosto de sair de mota e andar a passear pelas vilas/cidades durante algum tempo mas fazer percursos por estradas diferentes ainda que seja para as mesmas zonas, é de facto uma boa ideia. So nao quero é ser apanhado de surpresa em caminhos de terra batida em que a top case cometa suicídio! lol
[url=http://motonliners.pt/membro-lwillow][/url]
Responder




Utilizadores a ver este tópico: 1 Visitante(s)