Amortecedor de direção (como funciona)
#1

https://www.youtube.com/watch?v=i7mU5KStueQ&index=28&list=PLoIkhe-bQcoDvIb1vDJmU2yta55pczpsW

O amortecedor de direção é um dos "upgrades" bastante comuns nas motas com o CP3 (MT-09, XSR900, Tracer 900) como forma de prevenir o wobble a alta velocidade. Na minha opinião, é apenas uma forma de mascarar o problema, "tratar o sintoma e não a doença". 

Este pequeno video que explica muito resumidamente como funcionam estes sistemas acaba por deixar a mesma opinião. Sendo um acessório caro (300-500€), vale a pena ser a primeira opção em motas que sofrem de wobble, quando pelo mesmo preço ou mais barato podem tentar resolver o problema "de base"?

Ditadura dos Flocos de Neve
Responder
#2

Boas;
Quem é que se assusta com o "wobble" duma MT???
P#ta que pariu para os anglicismos!! mad Ph#da-se!! censored
Responder
#3

(03-12-2018 às 19:32)Johnny_1056 Escreveu:  Boas;
Quem é que se assusta com o "wobble" duma MT???
P#ta que pariu para os anglicismos!! mad Ph#da-se!! censored

Curiosamente este anglicismo (wobble) não acaba em "ing" como a grande maioria (@caroço, anda cá comentar)... A não ser que se possa dizer que a mota faz "wobbling"! lol
Responder
#4

Por acaso não sei o termo em pt para isto... abanicos?

Ditadura dos Flocos de Neve
Responder
#5

Estar sentado num pudim tracer!
Quer dizer...
Pudim flã! devil

Tenho entendido que o amortecedor de direção não tratava problemas de suspensão mas sim de direção.

Tens razão ao dizer que ia mascarar o problema, e não resolvê-lo, mas normalmente quando se tem problema de suspensão, actúa-se sobre a suspensão e não sobre a direção.

I just don't run with the crowd!

www.loneriderendlessroad.com
Responder
#6

Para resolver é fácil, é trocar a suspensão por uma decente e está feito. bigsmile

As minhas máquinas (e ex):
Kawasaki Versys 1000 / KTM 1290 Super Duke GT
Yamaha FZS 600 Fazer

[Imagem: censorship2.jpg]

Responder
#7

Ou trocar para uma mota de jeito. devil



Responder
#8

(03-12-2018 às 22:45)LoneRider Escreveu:  Estar sentado num pudim tracer!
Quer dizer...
Pudim flã! devil

Tenho entendido que o amortecedor de direção não tratava problemas de suspensão mas sim de direção.

Tens razão ao dizer que ia mascarar o problema, e não resolvê-lo, mas normalmente quando se tem problema de suspensão, actúa-se sobre a suspensão e não sobre a direção.


Repara que eu apenas dei a Tracer como exemplo de um caso onde, à semelhança do video, aplicam o amortecedor de direção para resolver um problema que está mais que identificado e se deve à suspensão traseira. Mas estava a abordar o tema na sua generalidade. Por exemplo, na MS1200 (não sei se na nova 1260 se passa o mesmo) também havia bastantes queixas de wobble a alta velocidade, que era tipicamente resolvido com afinação de suspensão (mas também vi 2 ou 3 casos em que optaram pelo amortecedor de direção). Também é comum nas superdesportivas o amortecedor de direção vir de origem, mesmo com as suspensões de topo que algumas delas trazem (mas aqui a razão é outra, como explicado no video são motas com muita potência e binário, em que a roda da frente tem tendência a levantar com frequência e o amortecedor de direção impede não só o wobble a alta velocidade mas também a instabilidade no guiador com o pneu da frente volta a assentar no chão).

Ditadura dos Flocos de Neve
Responder
#9

O amortecedor de direção serve só para resolver as inquietudes da dianteira, seja por questões nervosas, leveza ou deformações do asfalto.
Claro que isso influencia a estabilidade do veículo contrariando movimentos estranhos do mesmo, mas acho errado indicar um amortecedor de direção como um bom remédio para resolver um problema de suspensão.

As motas com uma altura elevada e um curso de suspensão grande (que em muitos casos previligiam o conforto e o desempenho do conjunto em outras situações que não sejam circular por asfalto) estão condenadas a sofrer de Parkinson a velocidades altas. Isso agrava-se quando existem transições de massa bruscas, principalmente em aceleração porque para além da transição de massa tem que lidar com a inércia da transmissão...
Ou seja, muito curso e possivelmente demasiado firme, o resultado é aquela sensação de estar sentado em cima de gelatina!
Como resolves esse problema.
Depende sempre do tipo de mota, da utilização que lhe dás e da qualidade das suspensões.

Se é uma trail com jante 21 ou 19, com aspirações enduristas o melhor mesmo é mudar de mota.

Se é uma mota do faz de conta e tiver suspensões reguláveis, comprimir o hidráulico, tirar curso ao hidráulico e cargar a precarga (tudo isto com pés e cabeça) e ter algum cuidado com a transição de massas, o que te obriga a ir mais devagar.
Se é uma mota com jante 17 e calça arregaçada, é pá, compra uma mota de jeito, com uma distribuição e geometria que favoreça fazeres curvas a 200 ou mais, como se fosses sentado num Rochedo!

I just don't run with the crowd!

www.loneriderendlessroad.com
Responder
#10

(04-12-2018 às 10:57)LoneRider Escreveu:  compra uma mota de jeito, com uma distribuição e geometria que favoreça fazeres curvas a 200 ou mais, como se fosses sentado num Rochedo!

Isso já sabemos que é a VFR, mas peço-te encarecidamente e uma vez que o fórum é público que não incitemos comportamentos desta ordem a esta malta.

Tem em atenção que começaram há meia dúzia de dias a andar de mota, compraram uma mota 'grande', têm meia dúzia de km feitos. Embora falem como gente crescida e que coiso e tal... como sabes ainda precisam consolidar reacções.

devil devil


Responder




Utilizadores a ver este tópico: 1 Visitante(s)