2015 YZF-R1 / R1M
#41

Responder
#42

Por momentos achei que ia ser revelado o mistério das quedas na Mulholland ...

[Imagem: mullholand1_zpsmxu4le4q.jpg]

Mas as electrónicas da nova R1 pelos vistos safaram o gajo...


Belo ronco, já agora. Parece uma Ducati!
Responder
#43

(10-03-2015 às 22:00)dfelix Escreveu:  Por momentos achei que ia ser revelado o mistério das quedas na Mulholland ...
...
Mas as electrónicas da nova R1 pelos vistos safaram o gajo...


Belo ronco, já agora. Parece uma Ducati!

Boas;
Com um "electrodoméstico" destes já nem dás conta de cair, só dás conta de já ir de rojo!!! lol
Estes 4 cilindros cross-plane têm um ronco brutalíssimo quando são "libertados", já o anterior tinha. O gajo da Graves já anda nos testes ao material para a rua. blink
Responder
#44

(11-03-2015 às 09:51)Johnny_1056 Escreveu:  Com um "electrodoméstico" destes já nem dás conta de cair, só dás conta de já ir de rojo!!! lol

Pera lá...
Mas isso não é o que acontece com as motos sem electrónicas?
wtf
Responder
#45

(11-03-2015 às 13:16)dfelix Escreveu:  ...
Pera lá...
Mas isso não é o que acontece com as motos sem electrónicas?
wtf
Boas;
Nas motos sem electrónicas geralmente apanhas uns cagaços valentes quando começas a esticar demasiado a corda.
Nos "eléctrodomésticos" está tudo bem até partir o focinho. confused
Responder
#46

Por acaso já me vejo no espectro oposto ao Johnny_1056. Vejo a eletrónica como um extra com grande potencial de experiencia e evolução, que pode tornar a experiencia de condução mais prazerosa, e ao mesmo tempo mais emocionante visto que permite atingir novos patamares na condução.
Responder
#47

Boas;
A electrónica só serve basicamente para colmatar as falhas do condutor.
Responder
#48

(11-03-2015 às 14:55)Johnny_1056 Escreveu:  Nas motos sem electrónicas geralmente apanhas uns cagaços valentes quando começas a esticar demasiado a corda.
Nos "eléctrodomésticos" está tudo bem até partir o focinho. confused

Já parti umas quantas vezes o focinho em motos sem electrónicas porque elas decidiram morder antes sequer de ladrar...
Tendo em conta que estou aqui a escrever isto, é sinal que as coisas até correram bem.
Mas algumas poderiam ter resultado de forma diferente.

Se calhar muitos plásticos que parti teriam sido poupados se as motos tivessem algumas funcionalidades desses "electrodomésticos".
Para não falar da pele que já tive deixar de crescer.

É que isto de um gajo se deitar a noite por cima dos lençóis de joelhos dobrados para conseguir no dia seguinte os esticar sem arrepanhar até pode dar umas conversas de café porreiras... mas pode ser evitado!

(11-03-2015 às 18:54)Johnny_1056 Escreveu:  A electrónica só serve basicamente para colmatar as falhas do condutor.

O teu ponto de vista é legitimo.
Só que acho que não tomas em consideração uma coisa importante:
Em 20 anos as motos duplicaram as potências e reduziram 1/3 do peso!
O nosso cérebro... esse coitado continua a funcionar à mesma velocidade desde o paleolítico.

Honestamente... acho que são as electrónicas que permitem ao comum mortal tirar proveito com alguma segurança das especificações das máquinas actuais.

E não acho que eliminem o factor cagaço...
Os limites é que passam a ser outros.
Responder
#49

Boas;
Dfelix, compreendo o argumento da segurança acrescida e das situações infelizes porque todos já passámos de forma mais ou menos violenta.
O que eu sou contra é a dependência cada vez maior dessas coisas. Será que caminhamos para uma época em que pura e simplesmente não conseguimos viver sem elas??
Não tenho problema nenhum em admitir que em certas motos gostava de contar com algumas "ajudas", nem que fosse o qualquer dia obrigatório ABS. Por outro lado, parte do fascínio que tenho pelas motos está nas suas reacções e comportamentos em situações mais próximas do limite.
Bem sabes que tenho uma das motos mais irracionais e desequilibradas da história, onde parece que quase tudo foi concebido ao contrário do que devia, mesmo assim consigo achá-la divertida de conduzir. Da mesma forma que muitos de nós continua a gostar das motos simples e cheias de imperfeições que de alguma forma marcaram a nossa evolução.

Uma FZR 1000 tinha 145 cv e 230 kg, a nova R1 tem 200cv e 190kg, mesmo assim alguma coisa havia de se conseguir fazer sem electrónicas. Seríamos mais lentos com uma moto assim? Garantidamente, com riscos acrescidos e muito maior probabilidade de partir focinho, mas não deixaria de ser divertido.
Responder
#50

Pá, é a tua opinião e como o dfelix diz, legítima. A electronica responde mais rápido que os teus reflexos neurologicos, e permite novos limites. Limites diferentes, nem piores nem melhores. São motos diferentes.

Pessoalmente defendo um conceito mais modular que permita malta como o Johnny_1056 desligar ou até retirar os componentes responsáveis pelas ajudas, ou deixar quem (como eu) assumidamente prefere estas "ajudas" brincar e desfrutar destas evoluções tecnologicas.
Responder




Utilizadores a ver este tópico: 1 Visitante(s)